quinta-feira, 27 de abril de 2017

Guardiões da Galáxia vol.2

Então eu acabei de sair do cinema pela segunda vez.
E pela segunda vez eu estou escrevendo uma resenha para esse magnífico filme.

Pronto. Entreguei. É magnífico, sim.


Ninguém dava nada pelo primeiro Guardiões da Galáxia. 
Ninguém conhecia os personagens, o grupo.
Com o sucesso estrondoso de Guardiões da Galáxia, todo mundo estava receoso com a continuação.
"James Gunn não conseguirá se reinventar para superar sua obra-prima, eles disseram!"

Eis que então James Gunn olhou para todos e falou: SEGUREM A MINHA CERVEJA!
Foi lá e mostrou como é que se faz uma continuação tão boa (ou melhor!!!) que o filme original!


Guardiões da Galáxia vol.2 tem duas horas e dezesseis minutos de comédia, drama, ação e toneladas de efeitos especiais meticulosamente arquitetados para te entregar um dos melhores filmes que a Marvel e a Disney já fizeram.

Sério, no meu top-3 particular, Guardiões da Galáxia vol.2 só perde para Guardiões da Galáxia e para Deadpool.

Não vá ao cinema esperando apenas um roteiro raso e uma sequência arrasadora de piadas ininterruptas. Não. O filme é muito mais do que isso.
Guardiões da Galáxia apresentou apenas superficialmente os personagens. Mesmo dando prioridade para o Star Lord, o primeiro filme não nos explica muito da sua origem, dos seus poderes, etc... Também pudera: são pelo menos 10 personagens E o grupo dos Guardiões da Galáxia que precisaram ser apresentados no primeiro filme.
Guardiões da Galáxia vol.2 aprofunda os personagens, suas histórias e as relações entre os personagens. O filme te explica motivações, mostra os dramas que cada personagem vive, mostra a redenção que os personagens encontram entre si e cria ganchos fantásticos para os próximos filmes.

Guardiões da Galáxia vol.2 é como uma montanha russa emocional: em um momento você está rindo de uma piada de peidos, daqui dois minutos você está emocionado ao descobrir o detalhe do relacionamento entre dois personagens.

E tem o Baby Groot.
Nossa, como tem o Baby Groot.
Tem Baby Groot pra caramba.
E eu queria mais Baby Groot!

"Ain Arthur, mas só fizeram o Baby Groot para vender bonecos!"


QUE BOM! EU QUERO TODOS OS BONECOS DO BABY GROOT!
Cada um deles.
Se você não quer, dá o seu boneco do Baby Groot pra mim!

Eu não preciso falar da trilha sonora, né? É marca registrada do James Gunn mesclar a trilha sonora com o roteiro do filme. Em Guardiões da Galáxia ele já havia feito isso primorosamente. E em Guardiões da Galáxia vol.2 ele não só se repetiu, como se superou mais uma vez. Dessa vez as músicas não tiveram apenas o apelo cômico, como no primeiro filme. As cenas mais emotivas foram embaladas por músicas selecionadas a dedo.

Ouso dizer que a mãe do Peter Quill é a melhor DJ da Galáxia!

A fotografia do filme seguiu a linha psicodélica que a Marvel parece estar querendo seguir. Começou com as viagens dimensionais de Thor: Mundo Sombrio. Evoluiu no mundo quântico em Homem Formiga. Em Doutor Estranho a psicodelia ditou o ritmo de mais da metade do filme. E em Guardiões da Galáxia vol.2 todas as cenas explodem a sua cabeça com cores e formatos únicos. (Tá, talvez as cenas nas naves espaciais não sejam tão psicodélicas, mas estão longe de ser a maioria no filme.)

Os efeitos especiais são surpreendentes. Aliás: usem mais CGI que tá pouco. Essa maravilhosa tecnologia nos ajuda a colocar todos os elementos necessários para contarmos histórias do melhor modo possível dentro da telona. Novamente usaram a técnica de rejuvenescer digitalmente atores. E a técnica está tão refinada e maravilhosa, que eu não vou me surpreender se daqui uns anos a utilizarem em um filme inteiro, não só em algumas poucas cenas.

Assista em 3D. 
(Eu nem sei se haverão sessões 2D. O filme todo é voltado para cenas 3D e ficou MARAVILHOSO. Mas de qualquer forma fica a dica: assista em 3D.)

E por fim, a história. O roteiro ficou ótimo. Leve, fácil de seguir. Se você parar para dissecar o roteiro, ele é até meio bobo. Mas a edição e a condução do filme é tão suave que as cenas se sucedem sem que você note. É entretenimento puro da mais alta qualidade.

Sim, são 5 cenas pós-créditos. Fique até o último segundo. Não perca nada, por favor. São 3 ganchos para próximas histórias, 1 gancho para desenvolvimento do relacionamento entre os personagens... e 1 piada excelente com o Stan Lee.

E ainda sobre os créditos, a Marvel inovou mais uma vez. Quando as letrinhas estão subindo, muitos nomes das pessoas aparecem substituídos por piadinhas do filme, como "I am Groot". Então, o nome "pisca" e aparece o nome e a função da pessoa real. Isso acontece várias vezes durante os créditos. E como as piadas são sensacionais, pela primeira vez na vida eu me peguei lendo vorazmente os créditos para encontrar essas piadas assim que elas aparecem.

Guardiões da Galáxia vol.2 é excelente. Vá assistir agora.



Bem. Como vocês já sabem, agora chegou a parte do texto que eu conto a história.



Se você não quer ler spoilers, cai fora daqui, agora.



Sério, eu tô avisando.



Bem, se tu ainda tá lendo, é porque quer receber spoiler.



Não diga que eu não avisei.



Vamos lá.



O filme começa mostrando o amor entre a mãe e o pai do Peter. Eles estão na Terra, passeando de carro. O pai de Peter leva a mãe de Peter até um bosque atrás de uma lanchonete de beira de estrada. E lá ele mostra algo "muito especial" à mãe de Peter: algo que parece ser uma "planta alienígena".

Corta para os Guardiões.

Eles foram contratados pela raça conhecida como Soberanos para defender sua fonte de energia de um ataque de um monstro interdimensional.


Porque eles foram contratados? Por que, hora bolas, eles são OS GUARDIÕES DA GALÁXIA, tá ligado? Depois de derrotarem Ronan, salvarem Xandar e recuperarem uma das joias do infinito, o grupo ficou conhecido em toda a galáxia! São heróis e, como heróis, ajudam a quem precisa... pelo preço certo, claro.

A cena da batalha é fantástica, porque 2/3 dela acontece enquanto vemos o Baby Groot dançando! Sim! O foco das tomadas está no Baby Groot, enquanto os demais guardiões estão lutando contra o monstro. E que coisa fofa o Baby Groot!
Mas o monstro arremessa Drax nas caixas de som e acaba com a música. O Baby Groot fica indignado e o grupo derrota o monstro.

Nesse momento, Rocket rouba algumas células de energia que os guardiões foram contratados para defender. Apenas Drax nota.

O problema aí é que os Supremos não gostam de serem feitos de tolos. Eles são uma raça que se ofende com facilidade. E a punição para essas ofensas geralmente é a morte.
Os guardiões aceitaram defender a fonte de energia dos Supremos por uma recompensa. E a recompensa é justamente Nébula, que havia tentado roubar essas mesmas células de energia e fora capturada. Gamora quer levar a sua irmã para ser julgada e presa em Xandar.

Quando os heróis estão saindo do planeta os Supremos notam que as células de energia foram roubadas. E mandam suas naves atrás do grupo.

A sequência de ação é linda. Combate espacial de primeira qualidade. Efeitos especiais de tirar o fôlego, especialmente quando Peter e Rocket pilotam a nave no meio de um campo de asteroides.


Quando os heróis pensam que se livraram das naves dos Soberanos, dois grupos maiores ainda contornaram o campo de asteroides e os cercaram. Parecia o fim dos heróis. Tiros dos dois lados. Nave se despedaçando, rombos no casco!!!

Então uma outra nave passa por ali e simplesmente destrói as esquadras dos Supremos. Como se as naves dos Supremos fossem de papel ou gelatina.

O pouco que sobrou da nave dos guardiões cai em um planeta.

Corta para Yondu. Ele e seus saqueadores estão em um planeta que parece ser especializado em "divertimento adulto". Então chega outro grupo de saqueadores, liderado por não menos do que Starhawk (Sylvester Stalone!). 
Aqui nós vemos a primeira cena emotiva. Um Yondu suplicando a Starhawk para voltar a fazer parte da frota de saqueadores... E Starhawk deixando claro que Yondu quebrou a regra de não sequestrar crianças. E, por isso, ele estava banido para sempre da frota de saqueadores.

É quando a líder dos Soberanos entra em contato com Yondu para ele descobrir aonde estão os Guardões da Galáxia.

Volta para o planeta aonde estão os guardiões.

Lá, pouco depois que eles "caem com estilo" no planeta, a nave que os salvou aparece.
E assim, do nada, sai Ego (Kurt Russel) e Mantis (Pom Klementieff) da nave. E Ego já revela: ele é o pai de Peter Quill.


Peter não acredita, mas Gamora insiste que ele dê uma chance ao seu pai.
O grupo se divide: Rocket e Groot ficam com Nébula no planeta para reparar a nave.
Peter, Gamora e Drax vão com Ego até o seu planeta.

Lá, Ego conta mais da sua história.
Basicamente, Ego é um celestial. Um deus no Universo Marvel. Imortal, existe "desde sempre".
Ego singrou o Universo procurando vida. Procurando outros iguais a si mesmo.

E nesse momento vemos outro momento emotivo do filme. Peter cobrando seu pai por ter abandonado sua mãe. E vemos uma conversa sobre "propósito". Ego revela que Peter é meio-deus. Que Peter pode manipular a mesma energia básica de construção de planetas que Ego.

Eu ouso dizer, inclusive, que Peter Quill é o personagem mais poderoso do MCU. 
E o melhor lanterna verde feito até o momento. Hehe.


Gamora sente que há algo de errado com a situação. Ela tenta conversar com Peter. Mais um momento de emoção. Aonde Peter tenta conversar com Gamora sobre "o que os dois não falam". Mas Gamora insiste na conversa que há algo errado com o planeta. E Peter fica bravo, pois ela mesma havia insistido para que ele se aproximasse do seu pai.

Corta pro Rocket. Yondu encontrou a nave dos guardiões. E todos os saqueadores foram tentar capturar os guardiões. Mas Rocket armou armadilhas e estava conseguindo vencer a maioria deles sozinho!
Até que chega Yondu e sua flecha! Rocket não tem muito o que fazer. Yondu decide poupar o guardião e, com isso, é visto como fraco por alguns dos seus saqueadores. Um motim começa. E rapidamente termina com Nébula atirando em Yondu.


Todos vão para a nave de Yondu. Os amotinados lançam no espaço os saqueadores que ficaram do lado de Yondu. Uma cena muito "piratas fazendo inimigos andar na prancha".
Nébula só quer uma mão robótica nova, um pouco de dinheiro pela captura dos guardiões e uma nave. Ela quer matar Gamora e Thanos a todo custo!
Yondu e Rocket são presos.
Grott vira o "mascote" dos saqueadores amotinados.

Na prisão, Yondu deixa claro porque não entregou Peter para o seu pai. Ele sabia que Ego mataria Peter ou, na pior das hipóteses, utilizaria Peter para dominar o Universo. Quem diria, um momento emotivo entre Yondu e Rocket... E quem diria que Yondu é um cara legal???

Com a ajuda de Groot e um saqueador, Yondu recupera sua flecha. Ele e Rocket fogem da prisão MATAM TODOS OS AMOTINADOS em uma das melhores e mais sangrentas sequências de luta que a Marvel já fez! Yondu e Rocket estão indo atrás dos guardiões. Mas, antes de morrer, um dos amotinados comunica para a líder dos Supremos para onde eles vão.


Volta para o planeta Ego.

Gamora se isola. Está sozinha, pensativa após a discussão com Peter. E então a nave de Nébula aparece. E Nébula não está brincando em serviço quando o assunto é matar Gamora. No fim, Nébula joga a nave pra cima de Gamora dentro de uma caverna. E após uma salvar a outra da explosão da nave, há mais uma cena emotiva. Ficamos sabendo a origem de toda a raiva de Nébula por Gamora.
Thanos fazia as duas meninas lutarem quando eram crianças. Cada vez que uma perdia, Thanos substituía uma parte do seu corpo por uma prótese robótica. E Nébula perdia todas as lutas. Há uma aparente trégua entre as duas por causa desse momento. Então elas notam milhares de esqueletos em uma das câmaras da caverna.
Tem algo de muito errado e elas precisam sair do planeta o mais rápido que puderem! 


Mas conforme Ego e Peter vão conversando, o plano sobre o "propósito" de Ego vai aparecendo. E, basicamente, o celestial precisa da ajuda de outro celestial para conseguir se espalhar por toda a existência. E por "se espalhar" Ego quer dizer "absorver todos os planetas e a vida que existe neles!
Ego assumia formas de outras raças e fazia filhos, na esperança que um nascesse celestial, também.
Filho após filho, ele os trazia para seu planeta e tentava fazê-los manipular a energia básica. E um a um, eles falhavam e mal serviam como "baterias" para Ego evoluir um pouco mais seu plano.

Lembram da "planta-alienígena"? Aquilo, na verdade, é uma "semente-Ego". Quando energizada, essa planta "domina" o planeta inteiro!

Tão logo Peter fica sabendo disso, ele se coloca contra.
E então Ego deixa escapar que sentiu muito por ter "colocado um câncer no cérebro da mãe de Peter".
Peter pira a cabeça e ataca Ego com suas pistolas!
Ego se recupera e usa a energia básica para imobilizar Peter.
Ego ainda quebra o walkman de Peter!!!

Nesse momento Gamora e Nébula se reúnem com Drax e Mantis E Yondu, Rocket e Groot chegam no planeta.

Enquanto os guardiões entram por uma porta para salvar Peter, Yondu quebra toda uma parede e "aterriza" sobre o corpo de Ego.

Eles têm pouco tempo para fugir. Entram na nave, saem do prédio e... em vez de ganharem o espaço, eles mergulham por uma rachadura na superfície para ir até o centro do planeta.

Ego não é uma pessoa. Ego é uma energia, uma mente que construiu todo o planeta. Não só isso, Ego construiu corpos para si.

Os guardiões têm pouco tempo para atingir o centro do planeta antes que Ego se recomponha e ataque o grupo!

Quando eles estão no núcleo, perfurando a carapaça que protege a mente de Ego, os esquadrões dos Supremos aparecem no planeta!


Esse esquadrão impede que os guardiões terminem o serviço a tempo.

Agora tem uma cena de ação frenética acontecendo. 
Mantis tentando manter Ego dormindo.
Peter, Drax, Yondu, Gamora e Nébula tentando conter as naves dos Supremos.
Rocket montando uma bomba... e Groot tentando levar essa bomba até a mente de Ego.


No fim, as naves dos Supremos são derrotadas. 
Todos chegam na nave para fuga, menos Yondu e Peter.

Os dois só têm um propulsor e uma roupa espacial.
A bomba de Rocket explode a mente de Ego, destruindo o vilão.
O planeta todo começa a implodir e Yondu se sacrifica para salvar Peter.
No fim, Yondu se redimiu. Mostrou que sempre quis fazer o certo e deu sua vida para garantir que todos ficassem a salvo.

Os guardiões fazem um funeral saqueador para Yondu. E os demais saqueadores aparecem, depois que Rocket conta o que realmente aconteceu. Yondu morreu honrado e como herói!

Peter, no último momento emotivo do filme, reconhece que Yondu foi o pai que sempre esteve ali por ele. E Gamora finalmente concorda com Peter que existe "algo que os dois não conversam"...


Na primeira cena pós-créditos, vemos o braço direito de Yondu treinando com a flecha.

Na segunda cena pós-créditos, vemos Starhawk reunindo antigos companheiros... será que teremos um grupo de "Defensores da Galáxia"?

Na terceira cena pós-créditos, vemos uma conversa engraçada entre Peter Quill e o adolescente Groot! E que coisa engraçada!!! O próximo guardiões será sensacional só por ter um Groot adolescente revoltado com o mundo!

Na quarta cena pós-créditos, vemos Paragon, a líder dos Supremos, criando Adam Warlock! E, nossa... SIM! POR FAVOR!!! Precisamos ver o Adam contra Thanos!!!

E na última cena pós-créditos, vemos o Stan Lee em um asteroide conversando com Vigias! Ele contando suas histórias e os Vigias largando ele de mão. 


Por óbvio eu deixei de fora todas as piadas e nuances nas conversas que aprofundam os personagens.
Não entrei em detalhes com alguns personagens porque eles não são decisivos na trama desse filme.
O filme é maravilhoso e, mesmo depois de ler tudo isso, você precisa ir assistir nos cinemas. Uma, duas, três... quantas vezes você puder. Certamente comprarei DVD e miniaturas do Baby Groot.

Que filme, amigos. Que filme!