quinta-feira, 26 de abril de 2018

Os Vingadores: Guerra Infinita

Não.
Peraí.
Desculpe.

Eu errei o título.
(Em minha defesa, os irmãos Russo também erraram.)

Aqui vai o título correto:

THANOS: GUERRA INFINITA


Pronto.
Bem melhor.

Agora sim eu posso começar a falar sobre o melhor filme jamais feito na história da humanidade.

Bem. 
Metade dele. 
A primeira metade.
A primeira metade que demorou 10 anos para ser concluída.

Tudo. Absolutamente TUDO no Universo Cinematográfico da Marvel (MCU) convergiu para esse momento. Para esse filme. E os irmãos Russo te entregam 2 horas e 40 minutos da maior desolação e anti-clímax que você já presenciou na história das histórias contadas.

E é justamente por conta desse anti-clímax que Guerra Infinita é tão grandiosa.

Como eu disse ali em cima, esse não é um filme sobre Os Vingadores. Se fosse o caso, seria apenas para mostrar o quanto todos os grandes heróis nos apresentados nos últimos 10 anos são fracos e despreparados para qualquer ameaça que aconteça.

A Marvel nos acostumou com filmes do grupo Os Vingadores para "fechar" cada uma das fases. Mas, nessa terceira fase, a Marvel ousou no sentido correto e "fechou" a sequência com a maior história que a empresa já contou.

Explico.

Eu fui "marvete" por toda a década de 90. Até perceber uma coisa: a Mavel não cuida dos seus vilões. O "centro" de suas histórias sempre são os conflitos internos dos heróis e o relativismo moral entre os heróis. Os vilões são somente uma válvula de escape. Um estopim para levar os heróis ao seu limite. Os vilões são figuras bidimensionais, sem motivações ou sequer características que os aproximem de um personagem de verdade. Os vilões estão lá apenas para o público saber em quem o herói deve bater para vencer a história.

Mas não em Guerra Infinita. Não no MCU. A Marvel usou e abusou de "vilões descartáveis" em seus filmes... até agora. Imbecis fracos, com objetivos infantis e facilmente derrotáveis.

E então Guerra Infinita nos apresenta Thanos. 
O filme inteiro é do Thanos. 
Guerra Infinita serve para mostrar a história, o ponto de vista e o objetivo do Titã Louco.

Guerra Infinita junta a maioria dos heróis do MCU... os maiores campeões da galáxia... só para nos deixar claro que não são NADA frente ao poder de Thanos.

Thanos está sob controle da situação o tempo inteiro.
Seu plano é muito simples e segue mais ou menos a história dos gibis: coletar todas as joias do infinito, juntá-las na manopla do infinito e, com o poder de um deus, dizimar metade da população do Universo com o estalar dos dedos.

E esse é um filme sobre o Thanos.
E esse é um filme sobre o maior vilão que o cinema já colocou à nossa frente.

(Sim. Eu disse isso. Nossos pais presenciaram Star Wars. Nós teremos o privilégio de dizer que presenciamos em tempo real a maior obra-prima da sétima arte. Esses 10 anos. Esses 19 filmes lançados até hoje entrarão para a história como o projeto mais audacioso e bem sucedido do cinema.)

E por ser um filme sobre o vilão, é um filme aonde o vilão vence. E, acredite em mim, isso não é um spoiler. É só o fim inevitável de todas as coisas.

Tudo no filme se encaixa à perfeição.
(Talvez, exceto, a menção que Homem Aranha se passa 8 anos DEPOIS da invasão Chitauri e Guerra Infinita se passa 6 anos DEPOIS que Tony Stark revela ser o Homem de Ferro. Tem uns 4 anos de erro, aí.)
(Também tem o problema crucial no plano de Thanos: se ele quer poder para salvar a vida da finitude de recursos, porque não usa os poderes de um deus da manopla do infinito para... tornar infinitos os recursos para a vida?)
(Tá, também tem alguns outros problemas pontuas, como o Dr Estranho não usar a joia do tempo para impedir o Thanos de conseguir todas as outras pedras.)

Tá, pensando bem, o filme tem um monte de coisas que não se encaixam direito.

Mas eu vou te contar o maior segredo para Guerra infinita ter funcionado tão bem: a diferença entre a realidade e a ficção, é que a ficção precisa fazer sentido. E essa falta de sentido em alguns pontos - propositais ou não - criam uma atmosfera de incertezas. Essas incertezas mantém as histórias abertas. E todas essas dúvidas criam a nossa necessidade de sentar em uma cadeira no cinema às 00:01 de uma quinta e enfrentarmos com alegria quase 3hs de filme madrugada a dentro. Mesmo sabendo que no dia seguinte vamos precisar acordar cedo para voltarmos para nossas vidas.

Guerra Infinita não é um filme de comédia. Embora piadas estejam presentes aqui e ali, elas mal servem para aliviar a tensão das cenas do filme.

Muito pelo contrário, Guerra Infinita é a primeira metade sombria do filme. É pesado e até aterrorizante em alguns momentos.

O Thor se sobressai um pouco fazendo algumas proezas. O Senhor das Estrelas é mostrado sendo muito mais do que um "reles humano". A Feiticeira Escarlate mostra muito mais domínio e extensão dos seus poderes. O Homem de Ferro novamente mostra todo seu poder. Viúva Negra continua chutando bundas, mesmo sem que a gente saiba como ela consegue fazer isso. O Capitão América e o Soldado Invernal passam meio desapercebidos. Máquina de Guerra e Falcão continuam como side-kicks...

Depois da cena inicial, Banner não consegue mais se transformar em Hulk. Nas vezes que tenta, o monstro verde aparece apenas para dizer "NÃO!".

Gavião Arqueiro e Homem Formiga NÃO ESTÃO no filme...
Mas o Caveira Vermelha tem uma participação especial muito legal!

Eu fiquei especialmente chateado com os asseclas do Thanos. Acreditava que eles seriam mais formidáveis. Mas não é nada que atrapalhe o filme: quando Thanos consegue a pedra da realidade (que estava com o Colecionador...) ele decreta a sua vitória. A partir desse momento, tudo foi questão - literalmente - de tempo.

Thanos aniquila metade da população do Universo.
Assim, seguindo a lógica cartesiana, pelo menos metade dos heróis morre.

Mas assim como muitos heróis morrem, alguns novos aparecem.

A cena pós-créditos, como sempre, prepara para mais um filme. O da Capitã Marvel. 

O filme termina com a sensação de que não há esperança e o mal enfim venceu o bem.
Mas a quantidade de heróis mortos deixa claro que estamos na metade do filme. 
E ainda há o que ser feito para reverter o quadro catastrófico.

O quarto filme de Os Vingadores não tem nome, ainda. Mas certamente os heróis remanescentes encontrarão reforços, deixarão suas desavenças de lado e, enfim, vencerão Thanos.
Ou não.
Vá saber.
Só teremos a resposta dentro de um ano.
E eu só posso dizer que será o ano mais longo e desolador de todos os tempos.

A partir de agora, eu vou contar o filme.


domingo, 22 de abril de 2018

Capas animadas do Universo MARVEL!

Em ordem de lançamento!



quarta-feira, 11 de abril de 2018