quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Sobre Identidade de gênero, faz de conta e proibir publicidade para crianças

Hoje eu deixei o Youtube correr livre.

Estava imerso em um trabalho e usei os vídeos como barulho de fundo para me isolar do mundo.

Um vídeo sucedeu outro e do nada caiu uma palestra do Jordan Peterson.

Não me entenda mal, eu não gosto desse cara. Não costumo consumir os vídeos dele. Mas eu escuto palestras o tempo todo e acabou que um perfil que mostra palestras que me interessam também subiu um vídeo do Peterson. Aí o algoritmo do Youtube largou o Peterson nos meus ouvidos.

E nesse vídeo o Peterson larga sua conclusão nos primeiros segundos. O tempo necessário para identificar "que porra de vídeo é esse?" foi o mesmo para receber a conclusão do vídeo. E a porcaria da conclusão do Peterson ficou na minha cabeça.

O tema dessa palestra do Peterson era sobre identidade de gênero. E ele utilizou uma precisão de laser para entregar sua conclusão: "eu não estou certo que as crianças foram encorajadas ou permitidas a brincar o suficiente nos últimos 25 ou 30 anos. E eu acho que muito dessa identidade de gênero é apenas brincar com fantasia. É prolongar a brincadeira com fantasias. Porque é o que você faz com sete anos de idade. "Eu tenho essa identidade!" Você brinca com situações imaginárias. E isso está ok para essa idade. E nessa idade você convida outras pessoas para brincar contigo. Você não obriga que os outros tenham compromisso com a sua fantasia. Você aprende a não chorar e reclamar quando os outros não brincam com a fantasia que você criou."

Bem. Novamente. Eu não sou um seguidor do Peterson. Acho a interpretação que ele fez do Peter Pan no máximo "bonitinha". Mas esse pensamento dele colidiu com um assunto sério, que me preocupa há algum tempo.

Crianças.

O principal trabalho de cada criança é se preparar o melhor possível para a vida adulta.

Como crianças fazem isso?

Bem, escola é um bom princípio. Aprender a ler, escrever e conhecer o básico da nossa civilização é um excelente começo.

Mas escola ensina, não educa.

Educação é algo muito maior do que matérias que professores regurgitam todos os dias. Educação é algo muito mais amplo. Educação passa por conseguir descrever, interpretar, analisar, tirar conclusões, interagir e modificar o mundo ao seu redor.

Um adulto completo deveria ser capaz de entender e descrever as coisas pelas quais passa no dia a dia. Algumas descrições são questão de vida ou morte e devem ser efetuadas em frações de segundo, como identificar a cor do semáforo em um cruzamento agitado. Outras descrições são mais sutis, como a capacidade de ler emoções alheias corretamente, o que pode dar vantagens em relações comerciais, encontrar parceiros ou coordenar melhor trabalhos em grupo.

Um adulto completo deveria ser capaz de interpretar as descrições que faz. Entender que o vermelho significa "pare" e o verde significa "siga". Entender que uma pessoa triste talvez esteja precisando desabafar. Interpretar consiste em "preencher as lacunas" que a descrição não conseguiu alcançar. É encontrar os pontos não explícitos e conseguir criar um sentido mais amplo para o que está acontecendo. Interpretar corretamente os cenários dá subsídios para uma melhor tomada de decisão.

Um adulto completo deveria ser capaz de analisar as situações de acordo com a descrição obtida e com a interpretação efetuada. Uma análise bem feita permite que não apenas tomemos a decisão mais acertada, como permite a utilização da camada superior de raciocínio, aquela que abusa do bom senso para contrariar regras engessadas quando necessário, para o bem maior. Ver um sinal verde e analisar que os demais carros estão parados é o suficiente para você decidir atravessar o cruzamento em segurança. Mas uma criança correndo atrás de uma bola na calçada pode exigir que você analise os movimentos para prever se será necessário parar o carro para evitar um atropelamento.

Um adulto completo deveria ser capaz de extrair as melhores conclusões a partir das análises acertadas que fez com base em suas interpretações e descrições do mundo ao seu redor. Um guarda de trânsito que visse o motorista do parágrafo anterior parando em um cruzamento para salvar uma criança jamais daria uma multa por trancar o cruzamento para o motorista cauteloso. O bom senso fala mais alto do que qualquer regra engessada do código de trânsito.

Um adulto completo deveria se basear nesse tipo de conclusão para criar regras de convívio melhores, que consigam efetivamente evoluir nossa vida em sociedade. Criando novas ações que transformam o mundo para melhor.

As escolas até tentam estimular crianças nessas cinco habilidades, mas de longe não são o ambiente ideal para isso. 2021 rolando e até hoje temos professores mandando alunos calarem a boca em sala de aula, decorar tabuadas e perguntando quem descobriu o Brasil.

De qualquer forma, como já provou Daniel Kahneman, esse tipo de ensino apenas atinge a nossa "mente devagar". A parte do cérebro superior. A que tem alto raciocínio e alto custo calórico para ser mantida. Aquela parte do cérebro que presta atenção por apenas alguns segundos. Aquela parte do cérebro que custa tanto para o nosso corpo que o nosso corpo desliga ela sempre que pode.

O truque, segundo Kahneman, é utilizar essa parte superior para "treinar" nossa mente rápida. A mente rápida é uma mente mais instintiva. Mais emotiva, mais conectada com nossos desejos básico. Uma mente mais interessada em recompensas rápidas, em prazeres momentâneos. Uma mente que custa pouco e dá um resultado efetivo para o corpo. Uma mente que age por reflexo, dando respostas praticamente instantâneas para o que ocorre ao seu redor.

Em seu processo de educação para a vida adulta, a criança treina sua mente rápida através de brincadeiras. Através da fantasia, a criança se transporta para mundos e situações imaginárias. E por não compreender as amarras sociais dos adultos, as crianças se veem livres para segurarem gravetos e imaginarem espadas. Amarrarem um pano no pescoço e se imaginarem o Super Homem. Através desse mundo de faz-de-conta, crianças conseguem enfrentar situações que envolvem moral, ética e costumes. Ao imitarem seus heróis, elas vivem a carga de valores que eles possuem. Conseguem experimentar virtualmente as consequências das decisões que seus heróis tomam em um mundo protegido, longe das consequências do mundo real. E de fantasia em fantasia, meninos e meninas vão entendendo quais valores eles presam mais. Vão compreendendo as filosofias do que praticam. Vão encontrando aos poucos o seu lugar nesse mundo, formando a sua personalidade no processo.

Literalmente vão treinando sua mente rápida com fantasias geradas por sua mente devagar.

Bem, é fato científico comprovado que as brincadeiras de criança auxiliam não apenas os filhotes humanos como todos os demais filhotes de mamíferos superiores a se prepararem para a vida adulta.

E é ponto pacífico que precisamos proteger o tempo das crianças para que elas consigam se desenvolver o melhor possível.

Eu JURO que entendo e concordo com os progressistas sobre proibição de trabalho infantil. Lugar de criança é brincando, não exercendo algum trabalho remunerado.

Mas os progressistas não pararam por aí. Foram atrás das propagandas direcionadas para crianças. Na melhor das boas intenções, progressistas proibiram vendas direcionadas para crianças. E isso MATOU o patrocínio de programas de televisão direcionados para crianças em TV aberta. Não existe mais nenhum desenho transmitindo mundos fantasiosos, com personagens "do bem" lutando contra personagens "do mal".

As crianças ainda têm o TEMPO para gastar, mas tiramos dessas crianças as HISTÓRIAS que poderiam ser utilizadas nesse tempo.

Sem livros, sem desenhos, sem filmes e sem insumos para reger suas fantasias, crianças ficam à mercê do que está sendo passado para preencher seu tempo.

E o que temos oferecido para crianças é esse mundo cibernético das redes sociais e na TV um bombardeamento constante de sexualidade.

E é aí que a fala de Peterson faz sentido pra mim. Porque, se tudo o que oferecemos para crianças fantasiarem são situações sociais que elas ainda não compreendem e sexualidade, é claro que elas farão seus mundos de faz de conta a partir desses insumos.

E do mesmo jeito que eu, Arthur, me imaginava um He-Man, um Power Ranger ou o Homem Aranha quando eu era criança, porque esses eram os insumos que eu tinha para fantasiar, as crianças de hoje em dia olham a TV e têm a sexualidade como tema de fantasia.

Quando você menos espera, uma criança tá dizendo que é gay, bi, trans ou o escambau. E como o tema ainda é um tabu delicado, gera-se uma comoção.

Particularmente, eu gostaria de testar uma volta da publicidade voltada para o público infantil. Voltar a ter empresas de brinquedos anunciando bonecos e jogos nas manhãs das principais emissoras de TV. Ter novamente a TV Colosso, a TV Globinho, o Bom dia e Cia e toda sorte de desenhos na TV aberta. Crianças ocupando seu tempo com fábulas de heróis e princesas, em vez de ficarem fantasiando sua sexualidade aos 10 anos de idade.

Talvez isso pudesse gerar adultos mais preocupados em criar produtos e serviços mais úteis para a sociedade. E isso criasse uma geração que arregaça as mangas e faz, em vez dessa geração que faz filosofia e depois fica chorando nas redes sociais que não consegue fazer dinheiro suficiente para comprar uma casa, como seus pais fizeram 40 anos atrás.

terça-feira, 10 de agosto de 2021

Sobre Pandemia, Vacinação e vão se foderem direita e esquerda!

Faz tempo que eu não escrevo um texto polêmico, né?

Então bóra xingar direita e esquerda no mesmo texto.
Se uma pessoa ficar a meu favor no final desse texto, eu vou me sentir um fracassado. Esse texto só terá sucesso se 100% das pessoas ficarem revoltadas comigo e me xingarem nos comentários.

Vamos lá.

Um ano e seis meses depois do início da pandemia, minha namorada tomou a primeira dose da vacina.
AstraZeneca - se é assim que se escreve.

Agora a tadinha tá lá, deitada e medicada, toda amuada, sofrendo com reações da vacina. Calafrios, dor de cabeça e pelo corpo.

E eu aqui, PUTO. Sim, PUTO, porque quando algo não sai como eu espero meu lado italiano vem à tona, meu tom de voz levanta e cuidado com o que você fala na minha frente. Porque logo logo você desaparece e tudo vai levar a crer que pareceu um acidente.

E eu não consigo parar de ficar PUTO com a política brasileira - conservadores e progressistas.
E com cada um de vocês que defende esses pulhas.

Porque, veja bem, há mais ou menos um ano os laboratórios já estavam acenando com contratos de venda de vacinas. Puta que me pariu, já era para todos nós estarmos imunizados, livres dessa pandemia, retomando a vida normal. Mas não. Nossos conservadores imbecis precisaram criar um caso desnecessário, empacando negociações e atrasando nossa imunização.

Enquanto a direita atrasava a entrada de vacinas pelo meio público, a esquerda fazia DE TUDO para dificultar a entrada de vacinas pelo meio privado. Bobagens como "só a elite vai se vacinar" e "ninguém pode furar a fila do SUS" foram veiculadas exaustivamente. E tudo isso impediu que empresas comprassem lotes de vacina e imunizassem seus funcionários.

Impediram que EU comprasse vacinas para MIM e para MINHA NAMORADA, meses atrás.

Não me entendam mal, em momento algum eu quero escolher vacina por medo ou por achar que vacina A ou B funciona ou não. Eu queria ter a liberdade de ir até uma farmácia privada, comprar a vacina mais indicada para mim, que me desse menos reações e PAGAR O FUCKING PREÇO TOTAL dessa porcaria E FICAR IMUNIZADO.

Sabe, pagando impostos, que aumentariam o caixa do Estado, dando mais dinheiro pra político filho da puta desviar milhões enquanto compra vacinas para o povo.

Essa porcaria de AstraZeneca vem dando reações em diversas pessoas. Relatos que essa vacina derruba de um a três dias algumas pessoas.
Minha namorada, ali no sofá, agora mesmo.

E daqui 3 meses ela será obrigada a tomar uma segunda dose dessa mesma porcaria. Torcendo para não ficar mais dias derrubada por conta da vacina que o Estado IMPÕE que ela pode e deve tomar.

Porra, que tesão vocês tem em político mandando nas vidas de vocês, né? Se a merda do papai Estado não dá na boquinha, não tá bom. Nem que a colher que o Estado te dá na boca esteja cheia da mais extravagante BOSTA GOURMET. Vai ter baba ovo de político lambendo os beiços porque "ganhou" BOSTA do Estado.

Enfim. Sim.
Eu queria ter tido a liberdade de "furar a fila" da vacinação.
Eu queria poder ter escolhido uma vacina dose única, com o mínimo de reações adversas.
Eu queria poder ter feito isso em 2020, ainda.

Mas por causa da tara molhada de vocês, da insistência de vocês em ficar de quatro para ser arrombado no cu pelo seu político de estimação, por vocês torcerem para ideologias políticas idiotas como se fossem clubes de futebol, agora eu tô com o coração na mão, a raiva lá no teto e com zero produtividade para essa tarde, porque minha namorada tão mal no sofá. E não tem nada que eu possa fazer para arrumar essa situação.

Eu não posso nem mandar conservadores e progressistas tomarem no cu, porque se for a pica do Bolsonaro ou do Lula vocês vão sentar e rebolar com gosto, se sentindo privilegiados por perderem as pregas com seu bandido de estimação.

Viu?
Certeza que nenhum de vocês concorda comigo.
Podem xingar à vontade.
Eu não me importo.

Eu me importo com as centenas de milhares que poderiam ter sido vacinados desde o final do ano passado, não foram vacinados e morreram por causa disso.
E eu me importo mais ainda com a minha namorada.
Ela tá mal, nós tínhamos condições de ter tomado uma vacina melhor e não pudemos por causa da politicalha que vocês sustentam. Culpa de cada um de vocês.

(Eu lembro de Mancha Verde e Gaviões da Fiel se enfrentando em batalhas campais antes, durante e depois de jogos dos seus times. Eu lembro de dezenas e até centenas de mortos e feridos nessas brigas. Porque os torcedores de progressistas e conservadores também não vão pras ruas se espancar até a morte e se eliminem da existência, logo?)

terça-feira, 1 de junho de 2021

Super Miniaturas!

O magnífico Tatsuya Tanaka cria essas fotos fantásticas misturando elementos do dia a dia com miniaturas, criando cenas fantásticas!





sexta-feira, 28 de maio de 2021

Minha TL é a minha casa.

Eu não entro na tua TL cagando regra. Quando vocês postam merda, eu ignoro, deixo de seguir ou copio a bosta e coloco o meu ponto de vista aqui na minha TL. JAMAIS entro no teu perfil para dizer qualquer coisa sobre você. (Você não merece o meu feedback, tá ligado?)

Entrou na minha TL, imagine que você tá na minha frente.
Eu sou gordinho, baixinho e tenho cara de bobalhão. Mas se tu me falar bosta na minha cara, teus dentes começam a voar.

Educação. Porque, né?

SOBRE POLÍTICA:

Eu tenho posicionamento, sim.
Antes de atender a qualquer filosofia, eu sigo o método científico: observo, teorizo, testo e replico.

Nem a bosta do conservadorismo, tampouco a aberração do comunismo jamais funcionaram na história.
Tanto o intervencionismo de reis e ditadores absolutistas (direita) quanto o intervencionismo de comunismos, socialismos e toda sorte de coletivismo tirou tanta gente da linha da miséria quanto o capitalismo de livre mercado.

É só olhar os números. Eu tô repetindo arroz com feijão.
Estados Unidos, Inglaterra, Holanda, Austrália, Nova Zelândia, Japão, Hong Kong, Alemanha, Suécia, Noruega, Finlândia... quanto mais livre o povo é para abrir seu negócio, empreender, empregar, atender as necessidades dos clientes e lucrar, mais pessoas conseguem sair do estado natural do ser humano (miséria) para um estado de qualidade de vida confortável.

Toda ou qualquer intervenção do Estado - seja para beneficiar corporações e proteger empregos como a direita faz ou para acabar com a desigualdade como a esquerda faz - sempre resulta em dificuldades para as pessoas empreenderem e resolverem os problemas umas das outras através do mercado.


Intervenções custam dinheiro.
Dinheiro cobrado do povo através de impostos.
Impostos que ficam aos cuidados de políticos.
A ocasião faz o ladrão e quanto maior o dinheiro, mais leis para os políticos se apropriarem do erário público aparecem.
Quando você menos vê - tanto na direita quanto na esquerda - aparece uma "casta", uma "classe social" de políticos e burocratas super ricos, que muito pouco ou nada resolvem na vida prática e apenas sugam o dinheiro das pessoas que realmente estão resolvendo problemas dos outros.

Nesse contexto, se você apoia direita ou esquerda, ou você não tem o cenário completo, ou é um retardado mental ou está ganhando um com essa situação toda.

Um completo idiota em qualquer uma das três situações.

A prosperidade só vem quando você consegue manter o seu suado dinheiro dentro do seu bolso.

O dinheiro é como se fosse um "voto" dentro do livre mercado: ao usar seu dinheiro com uma empresa ou marca, você está dizendo que quer que essa solução persista. Você está indicando que esse serviço ou produto é bom e merece continuar existindo. A decisão de onde os nossos recursos naturais limitados serão gastos é realmente coletiva, tendo você uma parte importante nela.
Quando o seu dinheiro vai para algum político, você está terceirizando as suas escolhas. Você está dizendo que esse político pode escolher quem vai atender as suas necessidades no seu lugar.

Durante o governo de esquerda, você deu dinheiro para o Lula escolher a MRV e outras construtoras do agrado dele para fazer casas por todo Brasil (entre outras coisas). Como se esse fosse a sua prioridade. (Claro que as construtoras deram presentes para o Lula por ele ter escolhido elas... todos sabemos.)
Durante o governo de direita, você deu seu dinheiro para o Bolsonaro comprar o apoio dos parlamentares com verbas para emendas e para a melhoria do exército (entre outras coisas). Como se essa fosse a tua prioridade. (Claro que o Bolsonaro tá ganhando prestígio político para passar as suas leis imorais... todos sabemos.)

Eu não sei vocês. Mas eu prefiro que o dinheiro que eu ganho fique no meu bolso. Eu tô aqui, penando para fazer minha empresa decolar. Queria mesmo comprar uns equipamentos e contratar alguns funcionários. Mas tá foda. E quando vou lá olhar minhas finanças, vejo que 73% do que eu me esforço pra receber vai pra mão dos ladrões de estimação de vocês.

Sério.

E não é só do meu bolso que saem os 73%, não.
E eu até consigo me virar bem, mesmo com esse assalto.
Eu fico PUTO é com a situação de quem recebe salário mínimo. Aquela pessoa que se mata para fazer R$1000,00 em um mês. Depende desse dinheiro para aguentar as pontas até o próximo mês. E 730 desses reais são sugados - direta ou indiretamente - pelo governo, todos os meses.

E vocês aí, vindo no meu perfil dizer que eu ~não sou inteligente~ por criticar o ladrão de estimação de vocês.

Ah, vá tomar bem no meio do olho do seu cu.

"Ai, Arthur, pra que xingar???"

Porque parece que vocês só acordam quando o Capitão Nascimento mete o dedo na cara do playboyzinho viciado, mostrando que é o vício daquele bosta que sustenta o tráfico.

É a insistência de vocês em votarem em políticos ESCROTOS que mantém o Brasil como a eterna promessa de ser "o país do futuro".
Sabe quando seremos "o país do futuro"?
Quando chegar uma outra geração de pessoas que rejeitem PMBD, PP, PT, PSDB, PRN, PSD, e todas essa siglas de aluguel para políticos corruptos.
Porque outra geração?
Porque vocês são uns bostas que torcem para político.
Porque não adianta esfregar na cara de vocês que o bosta do presidente atual rejeitou a compra de milhões de doses de vacina por motivos banais, por convicções tolas, por crenças em bobagens, por ser um completo imbecil.

Países como Inglaterra e Estados Unidos estiveram em cenários piores que o nosso. Seus governos reconheceram os erros e passaram a tratar a situação com seriedade. Hoje, conseguem ver o final das quarentenas e a reabertura total dos comércios no horizonte.
O Brasil? Nosso presidente vem falar que chá indígena ajuda no combate à COVID... E mesmo assim ainda tem retardado mental que DEFENDE ESSE ENERGÚMENO.

Vocês não mudaram nada.
Vocês apenas trocaram a reverência dada ao Lula para o Bolsonaro.
E o pior: pras próximas eleições vocês querem trazer a bosta do Lula, de novo.

É. Eu acho que eu não sou inteligente, mesmo.
Tô aqui perdendo meu tempo falando para portas, achando que meu rage consegue mudar qualquer coisa que seja.

Certos são vocês, que pagam para torcer por times e por políticos. Aí a vida de vocês não melhora nunca. E vocês podem continuar jogando o jogo de miséria pra sempre.

Heróis em Hieróglifos!

Josh Lane imaginou como os antigos egipcios liam gibis lá nos seus tempos!

O resultado? BACANA!


terça-feira, 25 de maio de 2021

terça-feira, 27 de abril de 2021

Sobre "Filmes de hominho", Sapiens e como criamos a próxima geração

"Arthur! 40 anos batendo à porta e você continua acompanhando filmes de hominho? Não tem vergonha?"

"Filmes de hominho" são apenas uma versão moderna de mitos e lendas. Mitos e lendas acompanham a humanidade desde o princípio. Constelações são mitos e lendas. Religiões são mitos e lendas. Como bem aponta Harari no seu livro Sapiens, o que difere o ser humano das demais espécies é a capacidade de cooperar em grandes números. E essa cooperação se dá porque a humanidade cria uma "segunda realidade" sobre a realidade factual. Pré-estabelecemos mitos que guiam os papéis para atingirmos essa cooperação. Nesse cenário, não apenas valores morais e escolhas frente a dilemas formam mitos e lendas, mas itens abstratos que temos como reais são mitos e lendas, como países, moedas, leis, mercado, esportes, etc...


Nesse sentido, os "hominhos" são seres superpoderosos. Muitos com poderes de deuses, o que muitos de nós acreditam que seria o suficiente para resolver qualquer problema.
Mas os "hominhos" também possuem sua própria carga de valores e seu próprio contexto. E o interessante desses mitos modernos é que eles geram conexão com o público. Porque, veja bem, o mito do Rei Midas, da Meduza, do Minotauro e até mesmo Hércules ou Teseu já estão em contextos desatualizados, com morais e valores que precisam ser "atualizados" para conversarem com o público atual.
Ao criar um Capitão América, um Homem de Ferro ou um Batman, conseguimos desenvolver mitos que poderiam estar vivendo nas nossas ruas. Muito mais próximos do que vivemos, hoje. E essa carga de valores e morais enfrentando os problemas que você ou eu temos hoje em dia.


Nós acreditamos que é fácil para o Capitão América ou para o Homem de Ferro enfrentar qualquer desafio. Eles são superpoderosos! Mas a realidade é que eles passam por dilemas morais e dificuldades tão grandes quanto nós. E por serem símbolos, eles precisam manter sua coerência e enfrentar as consequências, tal qual nós fazemos.
E, por fim, é inspirador ver o herói passar por toda sua jornada. Crescer enquanto ser humano. Se sacrificar pelo bem maior, por aquilo que acredita e por aquilo que é certo ser feito.

Eu não sei vocês. Mas eu quase perco minha cabeça quando vejo alguém ostentando o símbolo de algum super herói enquanto é cuzão. Um desrespeito a tudo o que o herói luta e defende.

Nesse cenário, os "hominhos" são os protagonistas dos novos mitos. Personagens que, tais quais Sansão, Dalila, Ícaro, Édipo ou centauros, elfos, orcs e anõs, criam toda uma discussão sobre temas cruciais para o bom desenvolvimento do dia a dia das pessoas.

De forma geral, a sociedade precisa passar para as novas gerações os mitos pré-estabelecidos, de modo que as novas pessoas que compõem nossa sociedade possam assumir os papéis que vamos deixando para eles, no desenvolvimento do nosso mundo. E esses papéis estão expressos dentro dos mitos que criamos e repassamos.
Entretanto, no nosso mundo moderno, a produtividade tornou-se ponto focal do sucesso das pessoas. Assim, mais horas de estudos, pesquisas, leituras e trabalho são necessárias. Os níveis de estresse aumentam a tal ponto que o tempo de lazer deixa de ser algo trivial e passa a ser o momento de recarregar as energias e capacidade cognitiva para enfrentar a próxima jornada de trabalho. Nesse contexto, a criação dos filhos fica mais e mais ameaçada. Não é a toa que nos últimos 50 anos a natalidade caiu de 4 filhos por mulher para os atuais 1,8 filhos por mulher.
Outra prática que se tornou comum foi justamente a terceirização da criação dos filhos. Nesse último século foi - e ainda é - prática comum deixar filhos com avós, creches ou simplesmente na frente da TV, mesmo.

E por isso os "hominhos" têm ganhado tanta relevância na sociedade. Porque nossos avós já aprenderam com o Super Homem e com o Batman conceitos, valores e mitos que puderam utilizar na sua vida pessoal. Nossos pais aprenderam conceitos com o Homem Aranha, também. E nós estamos sendo apresentados a todo um mundo de filosofias através do Homem de Ferro e do Capitão América.

Quer chamar de "filme de hominho"? Chame. À vontade.
Mas entenda que o papel desses heróis é justamente discutir e criar os mitos que vão reger a sociedade daqui alguns anos.


Eventualmente a sociedade encontrará novos desafios, que exigirão novos valores, que criarão novas filosofias e modos de encarar o mundo. Eventualmente alguns destes heróis serão adaptados e até mesmo aposentados.

Mas uma coisa eu asseguro a você: chame do jeito que chamar, sempre teremos "hominhos" em histórias fantásticas para discutir nossos valores e nossa moral.
Porque a humanidade ama histórias. A humanidade ama mitos. E é mais fácil criar um personagem para dizer as coisas que nós queremos dizer.

segunda-feira, 26 de abril de 2021

Sobre COVID, SUS e porque nenhum político presta

 Tuítes que envelhecem mal...


Lembrando:
1- O SUS não é "gratuito";
Cada produto que você compra - não importa se você é "rico" ou "pobre" - tem carga de imposto sobre imposto. No Brasil até os "ricos" são considerados "pobres" lá fora. E esses impostos embutidos impactam em todos nós. Quanto menos se tem, maior o peso desses impostos. E esses impostos são recolhidos das empresas, que precisam criar estruturas operacionais e legais apenas para tratar essas burocracias. Dinheiro que deveria estar sendo direcionado para a atividade-fim, mas que fica sendo gasto com BESTEIRA, aumentando mais ainda os preços e tirando competividade do setor produtivo.

2- O SUS não é "de qualidade";
Acupuntura, homeopatia e tantas outras práticas sem comprovação cientifica estão disponíveis na rede. O SUS é administrado pelo setor público, sujeita à politicagem, administração por não-especialistas, "ambulâncioterapia", superfaturamentos, desvios, regras que não premiam bons profissionais e não punem os maus profissionais, etc... Céus, nesse último mês um maluco aplicou nebulização com pó de cloroquina, levando o paciente de COVID a óbito.

3- O SUS não é "acessível";
Todos nós conhecemos histórias de exames marcados para daqui meses, procedimentos que nunca são feitos por falta de profissionais, falta de medicamentos em unidades, pacientes em macas nos corredores, pessoas morrendo por falta de atendimento, etc...
Para cada unidade que funciona bem temos dezenas de unidades precárias. Para cada pessoa dizendo que o SUS foi ótimo, temos pilhas de corpos não atendidos. Uma unidade boa em um universo de unidades ruins significa "sorte de haver um bom gestor ali" em vez de "todo SUS é ótimo".

Chegou a hora do SUS mostrar seu diferencial!
Chegou a hora e o SUS mostrou porque serviço público não funciona.

Serviço público não funciona porque POLÍTICOS, com VISÃO PARTIDÁRIA, administram o serviço público.
Se o presidente atual fosse um bom médico, provavelmente o SUS tivesse funcionado. Lembram quando um URBANISTA foi prefeito de Curitiba e a cidade recebeu cuidados de planejamento urbano, se destacando pelas boas obras? Então. Foi sorte, não regra.
Basta votarmos em alguém que não acredita em ciência para o SUS ser uma merda. E como íamos prever uma pandemia? Como vamos saber qual político precisaremos para o ano que vem?

Eu queria uma Tecnocracia, sabe? Que os mais proeminentes especialistas cuidassem de cada área. Pessoas orientadas pelo método científico, que ficassem felizes quando fossem ultrapassadas tecnologicamente e se sentissem felizes em serem substituídos no controle de setores da sociedade.

Mas temos um bando de pequenos reis e rainhas, sem a menor capacidade de compreensão dos problemas atuais e menos capacidade ainda de propor soluções que realmente façam a diferença.
Em um mundo cada vez mais digital, orientado a dados, temos um lado "conservador" querendo voltar para a idade média católica e um lado "progressista" agarrado nas ideais de um pensador de 1800!

Eu tô cansado de vocês.
Da sua burrice.
Nesse momento eu sou totalmente #TeamCovid.
Quero mais que esse vírus mate cada um de vocês.