segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Setembro Amarelo: Suicídio

É. Eu sei, amigo. Faz tempo que eu não escrevo, aqui.
É. Eu sei, amigo. Eu deveria escrever mais, aqui.

Muita coisa mudou na minha mente desde o tempo que eu costumava despejar opiniões aqui no Ponto Final!.
Não, eu continuo vendo a vida daquele modo particular que só eu vejo.
Mudou em mim foram os dados que uso de base para emitir opiniões. E você sabe: eu não tenho compromisso com nenhum dado; se hoje aparecer uma evidência melhor do que as que eu uso, sem a menor cerimônia eu abandono o dado ruim e passo a usar o dado melhor.
E, como via de regra, se mudam os dados, mudam as conclusões. E se mudam as conclusões, as opiniões mudam.

Por exemplo: nesses anos eu acumulei dados o suficiente para entender que a LIBERDADE é a única coisa pela qual vale a pena morrer lutando para defender.

E quando eu falo de "liberdade" eu me refiro a TODAS AS LIBERDADES.
Cada uma delas.
Desde a liberdade dos drogados em usarem as suas drogas - mesmo eu não gostando de drogas -, passando pela liberdade de quem quer ter armas de possuir suas armas - mesmo eu não vendo motivos para ninguém ter armas -, passando pela liberdade de cada pessoa do mundo - a menor minoria, menor que raças, religiões, sexos, orientações sexuais, etc... - até as liberdades econômicas das pessoas - porra, eu lutei pelo dinheiro, deixe eu usufruir dele!

Quanto a suicídio?

Bem, muitos de vocês que chegaram até aqui estão lendo porque estão pensando em se matar.
Não, eu não vou tentar tirar essa ideia da sua cabeça.
Mas eu vou entrar nesse assunto citando a melhor definição de suicídio de todas:


"Suicídio é uma solução permanente para um problema passageiro."


Eu gosto dessa definição porque ela toca na palavra-chave do suicídio: problema.

Como diz o Louis CK em seu standUp: "Suicídio é a solução perfeita para todos os seus problemas e para todos os problemas do mundo!".

E é verdade. Se você se suicidar assim que terminar esse texto, TODOS os seus problemas somem. Em um estalar de dedos. E vou além: muitos dos problemas que VOCÊ traz para o mundo somem junto.

MAS...

Pense comigo por um instante...

A vida não é nada mais do que uma fila interminável de pequenos problemas, os quais estamos motivados a resolver.

Desde que nascemos, a vida nada mais é do que uma sucessão de dias que nos levantamos dispostos a resolver os problemas que a vida coloca à nossa frete.

Todos nós já tivemos o grande problema de conseguir o chocolate antes da janta. De ter que passar de ano pra ganhar um presente do papai noel. De ter que juntar coragem para falar com aquela gatinha do colégio. O imenso problema de precisar sair de noite para estar na festa aonde aquele gatinho vai e os pais não deixarem. O gigantesco problema de ter que escolher o vestibular. O incomensurável problema de conseguir um emprego. O problema de ter uma moto ou um carro pra poder enfrentar o problema dos buracos e engarrafamentos das nossas cidades. O problema mensal de pagar o aluguel ou o financiamento de onde você mora. Os problemas daqueles boletos que chegam mês após mês. O problema de você não conseguir conquistar a pessoa da sua vida e viver procurando ela em outras pessoas... ou o problema maior ainda de você conseguir conquistar a pessoa da sua vida e precisar reconquistar ela todos os dias. O problema de ter fraldas para trocar e cólicas para tratar no meio da madrugada, enquanto você precisava dormir para chegar bem no trabalho e resolver aquele problema daquela apresentação que pode te dar aquela promoção que você queria. O problema de você conseguir a promoção e precisar lidar com mais e mais problemas. O problema de você não ter tempo para respirar e, mesmo com o patrão torrando o saco e as crianças gritando dentro de casa, você ter que escrever sua monografia para tirar seu diploma. O problema do final de semana na casa da sua sogra. Os problemas do seu país que te deixam maluco. Os problemas do seu estado que te deixam furioso. Os problemas da sua cidade, violência, preços altos, malucos no trânsito, falta de opções de coisas legais para fazer... Os seus filhos que querem bonecas, carrinhos, bicicletas, animais de estimação, jogos, vídeo-games, começar a sair de noite... Nossa, será que sua filha vai engravidar sem querer em uma dessas festas? A idade que começa a chegar. O Imposto de Renda que te come pela perna e não aceita o recibo do dentista que colocou aparelho nos seus filhos. O problema da família que quer uma casa na praia. O exame de próstata ou a mamografia, que eram motivo de piada até uns anos atrás, passam a ser o problema da visita periódica ao médico. O problema dos seus filhos adolescentes que se transformaram em pequenos demônios. O surto dos seus filhos com coisas pelas quais você já passou. O problemão de você não conseguir (e nem saber como!) explicar para seus filhos que os problemas deles não são o fim do mundo. O problemão de você tentar explicar (e não saber como!) para seus filhos que as certezas deles são injustificadas e que eles precisam tomar cuidado com certas coisas! O problemão de ter que acordar de madrugada para resolver merda dos seus filhos porque eles não te escutam. O problema dos seus parentes mais velhos indo embora, um de cada vez. O imenso problema de você notando que sua hora de acertar as contas está visível no horizonte...

A vida, amigo, é uma sucessão de problemas.

E muito mais do que os SEUS problemas, a vida é uma sucessão de problemas das outras pessoas.
Vivemos em um sistema capitalista. 
As pessoas têm necessidades diárias. Comida, abrigo, agasalho, comunicação, transporte, educação, diversão, sexo, etc...
Nosso valor é medido através da nossa capacidade de resolver os problemas das outras pessoas.

Anote aí: Quanto mais problemas de mais pessoas você consegue resolver da melhor forma possível, mais você vale.

Há um motivo pelo qual o padeiro do seu bairro é mais bem quisto do que o vagabundo do seu bairro. O padeiro acorda cedo, compra com o próprio dinheiro os ingredientes e máquinas para fazer o pão. Ele emprega pessoas do seu bairro para ajudá-lo nas tarefas da padaria. Quando você acorda, o padeiro já tem pães quentinhos prontos. 
Quando o vagabundo acorda, todos os pães já foram vendidos.
A diferença entre os números da conta corrente do padeiro e do vagabundo mostram exatamente o esforço em resolver problemas da comunidade que cada um tem.

Nós, seres humanos, só temos um modo de nos tornarmos imortais: através do reconhecimento das soluções dos problemas que resolvemos.

Einstein, Newton e todos os nomes da ciência não são conhecidos por sua inteligência; são conhecidos pelos problemas naturais que conseguiram resolver, abrindo perspectivas para novas tecnologias. As suas soluções para problemas demonstram a inteligência que nós inferimos que eles tinham.

Mozart, Beethoven, Elvis, Walt Disney, James Dean, Helth Ledger, Picasso, Leonardo da Vinci... nossa... todos os grandes nomes de todas as grandes artes. Os nomes deles ainda são lembrados porque eles resolveram muito bem os problemas de entretenimento das pessoas. Alguns deles resolveram o problema tão bem que atraem multidões para verem suas obras décadas, séculos ou mesmo milênios após suas mortes.


E eu não estou falando isso para que você tente se igualar aos grandes nomes da nossa história. 
Existem bilhões de pessoas que resolveram problemas menores e que são lembrados por menos pessoas. Eu certamente vou me lembrar até o último dia da minha vida de várias pessoas que já morreram e não brilharam para o mundo, mas que foram importantíssimos na formação do que eu sou hoje. Pessoas que trouxeram situações que eu encarei como problemas a serem solucionados e me motivaram a superar os meus limites.


O que eu quero te dizer é que eu te entendo.
Entendo que o teu problema é grande.
Entendo que a vida é difícil.
Eu entendo que você não vê perspectiva.
Eu entendo que você chegou a um ponto aonde nada mais faz sentido.
E eu entendo que você está realmente pensando na solução fácil para sair disso tudo.

Mas, amigo, eu vou citar o Super Homem para te dar uma perspectiva.

Há uma história em que o Clark se depara com uma suicida em cima de um prédio, pronta para pular.
Ele passa horas do lado dela.
E, assim como eu, ele diz que entende a decisão dela.
O Super Homem promete que não irá salvar a suicida do salto final se ela responder negativamente à pergunta:


"Se honestamente você acredita, com todo o seu coração, que nunca mais terá um dia feliz na sua vida, então dê um passo no ar. Eu vou manter minha promessa e não vou te salvar.
Mas se você acredita que exista uma chance - não importa o quão pequena ela seja - que possa existir apenas um dia feliz aqui, então pegue a minha mão."


Amigo, a vidá é foda. 
E é pra ser difícil, mesmo.
Se ela fosse fácil, qualquer um conseguiria vencê-la.
E lembre-se que a vida é tão foda, mas tão foda, que mesmo os que parecem vencê-la, um dia morrerão.

São os problemas que a vida te apresenta e a finitude que a vida te impõe que dão sentido para a sua existência.  São os problemas que você precisa resolver urgentemente que fazem o seu coração bater mais rápido. Que te movem para o futuro. São esses problemas que te fazem transformar o mundo à tua volta.
Uma vida eterna sem problemas seria inútil. 
E eu realmente acredito que problemas aparentemente artificiais retiram nossa motivação para enfrentá-los. Essa falta de motivação nos enterra na depressão. E é a depressão de olhar a vida inteira como um complexo sistema de problemas sem sentido e insolúveis que nos leva ao pensamento de suicídio.

A única coisa que eu tenho a dizer pra você é que com um pouco de esforço você pode mudar os problemas que você enfrente. Você pode substituir os problemas sem nexo por problemas que te desafiam. Que te fazem ir pra cama mais cedo porque "amanhã você tem que destruir os problemas que a vida colocar na tua frente!"

Você pode trocar de emprego.
Você pode trocar de família.
Você pode ir morar sozinho em outra cidade, outro estado, outro país, outro continente.
Você pode conquistar aquela pessoa especial.
Você pode largar tudo e ir vender coco na praia ou ir morar no meio do mato.

Você pode substituir esses problemas todos que você não vê sentido por problemas que você se sentirá desafiado a resolver.

Mas eu acredito na liberdade das pessoas.
Enquanto as tuas atitudes não prejudicarem outras pessoas, você deve ser livre para fazer o que quiser.
É como diz o Jim Jefferies: "não existe liberdade maior do que você decidir a sua hora de ir dessa pra melhor".

Portanto, amigo, pense bem sobre sua decisão.
Pense quais são os problemas que te levaram até essa decisão.
Pense se você realmente nunca mais terá um dia feliz na sua vida.
Pense em todos os problemas que você quer resolver e sequer tentou, ainda.

Se, depois de tudo isso, você ainda achar que acabar com tudo é a solução... Eu ainda vou te pedir pra você tentar por mais um dia.

Porque, no final das contas, o mundo inteiro é composto apenas por pessoas que estão aqui, tentando mais um dia. E nós gostaríamos que você trouxesse amanhã suas soluções para os problemas das nossas vidas.

Só mais um dia.
Todos os dias.

domingo, 10 de setembro de 2017

Arte: Heróis da DC

Espetacular trabalho de Melissa Smith!
https://www.redbubble.com/people/melissa-smith