quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Vegetarianos: tão inteligentes quanto a Carol Castro?

"A ciência ajusta sua conclusões, de acordo com o que observa. O fundamentalismo ajusta o que deve ser visto, de acordo com as suas conclusões" - Tim Mintchin, Storm.

Eu sou um MALUCO por ciência. E sabe porque eu gosto tanto de ciência? Porque ela é REAL.

ACHO que faz sentido para um mitomaníaco como eu, basear toda a minha experiência de vida em algo que eu possa comprovar. Ajuda a manter meus pés no chão e minha personalidade unificada.

Não por acaso que eu parei de acreditar em religiões e deuses. Não por acaso que eu tenho abandonado todos os conceitos milagrosos de vida. Abandonei as receitas fáceis e os caminhos mais curtos para o sucesso pelo mesmo motivo.

Entenda: eu tinha (e ainda tenho) ideias fantásticas e maravilhosas na minha cabeça. Só que, antes, eu achava que eu conseguiria implementar cada uma delas. Formava planos malucos, aonde bastaria apresentar a minha ideia e qualquer um patrocinaria meu sonho.

Criança. Sabe como é, né?

Passou o tempo. Aprendi que cada dia é um novo dia para lutar pelos meus pés no chão. Um desafio constante para manter-me na realidade.

Não é surpresa que eu tenha deixado os contos de lado. Hoje, leio só o que é real. O que é tangível. As especulações eu guardo para os últimos comentários. Antes destes, vem muito debate de argumentos concretos. Sabe como é que é, né? Bom mesmo é ler saco de cimento, pois só podemos acreditar no que é concreto.

Por isso, uma das poucas revistas que continuo acompanhando é a SuperInteressante. Ali há espaço para o devaneio da ciência... Mas é ciência. É o pé-no-chão com fatos. O feijão-com-arroz das teses, testes e teorias. A humildade em ter TODOS os cálculos corretos no quadro e, mesmo assim, dizer que se trata de uma teoria. Que QUEREMOS que outras pessoas revisem e TENTEM derrubar a afirmação.

É a busca constante pela verdade, não importa qual seja ela.

Por isso, eu curti o perfil da SuperInteressante no facebook. Gosto de abrir aquela página e ver algo que preste, ao invés das frases batidas de auto-ajuda rasa que vocês vivem publicando.

MAS... Maldito "mas", né? Ele sempre dá pano para manga aqui no Ponto Final...

Na SuperInteressante on-line tem uma "postadora de conteúdo" intitulada "Carol Castro". Essa "escrevente" foge completamente o padrão de textos da revista. Eu não sei COMO o Alexandre Versiguinassi ainda mantém essa menina na linha de pessoas com permissão de escrever textos e clicar no "submit" para publicação em nome da revista.

Vamos colocar assim: eu não tenho NADA contra essa menina. Por mim, todo conteúdo é bem-vindo. Temos que disponibilizar ideias, estilos e pontos de vista. MAS... É importante que sejam mantidos os padrões. E a revista não tem por padrão incluir opiniões pessoais nos textos. Quer dizer... não TINHA, até a Carol Castro poder escrever algo para a SuperInteressante.

O mais engraçado é que muitas vezes ela cria um título que chama a atenção. Nós clicamos no link. Encontramos duas linhas falando sobre o assunto. Um parágrafo dela tentando ser engraçadinha e forçando que nós concluamos o que ela quer, sobre o assunto.

Simplesmente ridículo.

Tem uma matéria, deixarei ela linkada, aqui, aonde a Carol fala sobre coisas que supostamente deixariam as pessoas mais inteligentes. No título ela diz que vegetarianismo é uma delas.

Porém, no próprio texto, é dito que NÃO HÁ RELAÇÃO ENTRE A DIETA E A INTELIGÊNCIA! Que é uma coincidência estatística, apenas. As pessoas NÃO FICAM MAIS INTELIGENTES POR NÃO COMEREM CARNE! Somente são encontrados QI's maiores entre os vegetarianos...

Levando-se em consideração que a amostragem de vegetarianos é menor, é quase certo que a média do QI deles seja levemente maior. Ainda mais se contarmos que muitos "carnívoros" - que compõem a média de quem não é vegetariano - sequer possuem QI suficiente para discernirem sua dieta!

Absurdo.

Mas mais ridículo é ver os vegetarianos - ditos mais inteligentes pela matéria - compartilhando, repercutindo e reblogando essa baboseira toda.

No final das contas, acho que a Carol Castro é só uma grande troll da internet. Cada vez que eu vejo um vegetariano se fazendo de superior com esse texto dela, leio um atestado assinado de "eu sou burro e não consigo pensar além do elogio falso que me fizeram".

Tá difícil, amigo. É bom ter muita informação. Mas é foda discernir o que é bom e o que não é. E não será com restrição de proteínas que alguém conseguirá cumprir essa tarefa quase impossível...