domingo, 14 de dezembro de 2014

Um conto sobre três Arthures

Então vamos lá...

A verdade é que existem muitas dimensões. Hoje, nosso intelecto consegue distinguir quatro e imaginar 12.
Em termos concretos, temos largura, comprimento, altura e tempo.
Somos seres tridimensionais porque podemos manipular três dimensões mas estamos presos na quarta. Tal qual bactérias são seres bidimensionais: elas podem controlar duas dimensões, mas estão presas na terceira.

No final de 2012 eu cansei de olhar pro meu passado e ficar puto da vida com as decisões que o "Arthur do Passado" tomou. Esse babaca, sempre fazendo merda, deixava as piores consequências para mim, o "Arthur do Presente".
Infelizmente, como eu sou um ser tridimensional, não posso voltar no tempo e meter a mão na cara de uns seis ou sete "Arthures do Passado". Uns imbecis que mereciam uma bela surra pelas decisões ruins que tomaram.

MAS...

Se o "Arthur do Presente" nada pode fazer com o infeliz do "Arthur do Passado", ele pode fazer qualquer coisa para o "Arthur do Futuro". Posso estudar mais para que o "Arthur do Futuro" saiba mais. Posso conquistar e poupar mais dinheiro para deixar para o "Arthur do Futuro". Posso ser mais legal com as pessoas, para deixar mais amigos para o "Arthur do Futuro"...
Aliás, enquanto a nossa prisão temporal - que chamamos de "Presente" - se move, o "Arthur do Futuro" vai se transformando em "Arthur do Presente" e o "Arthur do Presente" vai se transformando em "Arthur do Passado".
E conforme essa nossa prisão vai se deslocando, eu começo a notar o quanto as decisões que eu tomo pensando sempre no "Arthur do Futuro" têm transformado o "Arthur do Passado" em um cara legal. Um sujeito bacana. Alguém que não tem mais merecido levar umas boas bordoadas. Muito pelo contrário: a cada dia que passa eu noto os presentes que o "Arthur do Passado" tem me deixado. E fico até com pena em não poder voltar no tempo e agradecer esse cara tão legal, comigo.

Enfim. Somos seres presos na quarta dimensão. Mas nada nos impede de tentar ver pra fora dessa nossa prisão e, assim, conseguirmos manipulá-la a nosso favor.

O que você tem que fazer para agradar seu "eu do Futuro"? Olhe para o seu "eu do Presente" e veja o que você gostaria que o seu "eu do Passado" tivesse te deixado...