sábado, 7 de junho de 2014

Adeus Fernandão...

Na madrugada do dia sete de junho de 2014 houve um acidente aéreo em Goiás, um helicóptero caiu e todos os seus ocupantes faleceram.

Entre os ocupantes estava Fernando Lúcio da Costa, o famoso jogador de futebol "Fernandão".

Fernandão tinha 36 anos, deixa família e uma legião de fãs. Eu incluso.

Hoje não é um bom dia. Desculpem. Não consigo não pensar que é mais um ídolo que perco para acidentes aéreos. Desculpem meu egoísmo nesse momento.

Eu acho importante frisar que o Fernandão não é ídolo só por jogar futebol. Foi o caráter que ele sempre apresentou que o elevou ao posto de ídolo.

Explico.

Todos nós sabíamos que ele não era um craque. Fernandão não era jogador para a seleção. O Fernandão era aquele jogador que sempre seria indicado para os prêmios pelo conjunto da sua obra. Ele próprio sabia disso.

Mas a postura dele o fez capitão. Esse era o seu diferencial. Com sua conduta, exemplo e palavras ele mobilizou um grupo de jogadores. Uma base de sócios. Os torcedores que frequentam o Beira-Rio e todos os demais torcedores colorados... Fernandão foi tão inacreditavelmente formidável nesse ponto que outras torcidas - inclusive a do Grêmio - reconheciam sua grandeza.

Fernandão criou uma geração de vencedores.

A liderança que Fernandão impunha não te dava escolha senão acreditar nos mesmos sonhos que ele acreditava. E quando os sonhos são sonhados junto, a realidade acontece.

E o Fernandão fez mais do que um grupo de jogadores sonharem juntos. Fernandão contagiou os torcedores das arquibancadas. Os sócios. Os torcedores de bares e da televisão. O sonho de Fernandão foi sonhado até mesmo pelos colorados distantes, que só escolheram o lado vermelho do Rio Grande do Sul porque, aqui nessas terras, tu tem que escolher um dos lados.

Sonhamos todos juntos com a libertadores e com o mundial. Acreditamos tanto nesses sonhos que eles viraram realidade.


Obrigado Fernandão. Aquele 2006 me fez gostar mais ainda de futebol. E não por causa dos títulos em si. Mas porque as tuas atitudes me fizeram lembrar que o impossível sempre pode ser alcançado.

Fernandão merece, sim, todo o status de "Capitão Planeta" que recebeu enquanto ainda estava entre nós. Merece todas as homenagens que já foram feitas por ser um ídolo do Clube do Povo. E merece mais homenagens ainda. Já li pessoas sugerindo que o Inter aposente a camisa número nove e até que seja feita uma estátua para ser colocada no Beira-Rio. Por mim, tanto faz. A maior homenagem que Fernandão poderia receber ele já tem: todo colorado reconhece sua importância e seu tamanho.

Esse é outro daqueles momentos em que você vê como a vida pode ser grandiosa... e, de uma hora para outra, volta a ser frágil.

Hoje não é um bom dia. Hoje é um dia triste.