quinta-feira, 23 de julho de 2015

Inflação no Brasil

Todo dinheiro deve ter lastro. Algo de valor pelo qual você possa trocar o papel sem valor na sua carteira.
Antigamente usávamos ouro e outros metais como lastro para o dinheiro. Petróleo já foi usado. Especiarias. Até café e açúcar, veja só!

Só que... a economia cresceu muito. Não temos mais produtos que bastem para lastrear o papel-moeda. Sem falar que cada um da valor pra algo diferente. (Eu mesmo não dou valor algum pra ouro...)


Então passamos a lastrear a moeda com o PIB. A soma de todas as riquezas geradas.
Cada vez que tu pegas uma matéria prima e transformas em um produto, tu agregas valor. A que? Ao PIB.
Comprou a madeira por 1. Fez uma estante. Vendeu por 2. Esse "1 de lucro" é o valor agregado ao PIB.


Então o governo tem um problema. Ele deve imprimir dinheiro para representar esse "1 de valor agregado à economia" que a venda da sua estante criou.
Mas... como o governo vai prever isso? Como o governo vai saber quanto vamos produzir amanhã?

Bem. Não dá. Não tem como.

Então o governo tem duas opções:

1 - Jogar MENOS dinheiro do que o necessário.
Isso é horrível. Gera deflação. Existem mais produtos no mercado do que dinheiro para representá-los. Enquanto o ideal é ter 1 produto para 1 dinheiro, a deflação cria um cenário de 1 dinheiro para 2 produtos. O dinheiro na tua carteira fica mais valioso do que o produto na loja. O dono da loja baixa o preço para conseguir vender e ter algum dinheiro. Mas tu notas que os preços estão baixando. Então espera que o dono da loja baixe mais ainda os preços, para você poder comprar ainda mais. Aí o dono da loja não vende. Fica sem dinheiro. Demite funcionários. Deixa de comprar de fornecedores... até fechar a loja.
A economia fica estagnada. Todos perdem. (Foi o que aconteceu na grande depressão de 29.)


2 - Jogar MAIS dinheiro do que o mercado produziu.
Isso é inflação. Fora de controle é uma maluquice. Quem é mais esperto se dá bem... e todos no final se dão mal. Perdemos a referência dos preços. Não sabemos se uma maçã vale um milhão, dois milhões, três...


Mas... antes termos um pouco de inflação do que vivermos o inferno da deflação.

Se acertarmos uma "meta" para a inflação, jogando sempre um pouco a mais do que esperamos que o país cresça, tudo corre bem.
Se achamos que o país produzirá amanhã 1 e jogarmos 1.1 de papel dinheiro no mercado, tudo fica perfeito.
Não falta dinheiro. Todos têm a sensação de que existe dinheiro no mercado... isso impulsiona as pessoas a consumirem... e consumo gera demanda que gera trabalho. O mesmo trabalho que você fez pegando a madeira e transformando em estante. Estante que outra pessoa precisava e achou que tinha dinheiro para comprar.


Mas... esse pouquinho de inflação somada aparece depois de anos.

O Brasil cresceu 3% ao ano em média, nesses últimos 21 anos. 4 a 5% de meta de inflação tá legal. Joga um dinheirinho a mais no mercado, a produção acompanha, os salários aumentam... Todo mundo feliz.

O problema é estourar a meta da inflação. Passar do controlável para a maluquice.
Exatamente o que está acontecendo agora no Brasil.


Porque o governo imprimiu mais dinheiro do que produzimos?
Porque o governo atual aposta no desenvolvimentismo econômico.

E o desenvolvimentismo é lindo. Consiste no governo injetando dinheiro em áreas estratégicas. Favorece o povo, aquece a economia. PAC, moradias, saneamento, escolas, faculdades, saúde...


Porém... (sempre tem o porém, né?)

Porém o desenvolvimentismo precisa ter dinheiro. Sem dinheiro, não há como investir. E o Brasil até teve algum dinheiro, porque vendeu commodities para a China, na década passada.
Não vou entrar nos méritos dos investimentos do governo. EU acho melhor reduzir impostos e fortalecer as empresas. Mais empregos, mais renda com dignidade. Mais trabalho, mais pessoas agregando valor ao PIB. Mas essa é a MINHA opinião. Muita gente acha melhor o governo dar o peixe, do que ensinar a pescar.


O que aconteceu quando a China parou de comprar nossas commodities? Sim. O dinheiro acabou.
Sem dinheiro, sem desenvolvimentismo.

Mas mesmo sem dinheiro o governo passou 2013 e 2014 imprimindo dinheiro como se a China ainda estivesse comprando da gente.
Sem produção e com mais dinheiro impresso... Temos inflação.


E a situação está crítica agora porque o governo não pára de gastar. Para tirar dinheiro do mercado, o governo aumenta os impostos e aumenta a taxa básica de juros. Uma taxa básica de juros mais alta faz com que os bancos emprestem menos dinheiro e deixa os Títulos do Tesouro Direto mais atrativos.

Só que o governo tira o dinheiro do mercado em um dia... e joga o dinheiro no mercado novamente no outro, com seus gastos desenvolvimentistas.

Menos dinheiro na indústria e comércio. Mais dinheiro para as empresas que executam os projetos desenvolvimentistas do governo.

As mesmas empresas que financiam as campanhas de todos os políticos.

EU acho uma pouca vergonha. Um jogo aonde "um lava as mãos do outro". Como se tivéssemos voltado a ter reis. E não me entenda mal: não estou falando só do PT. Falo de TODOS os partidos. PP, PMDB, PSDB... Todos roubando do nosso bolso compulsivamente.

No fim, eu não entendo porque nós não paramos de dar poderes aos políticos. Qualquer problema que aparece, nós esperamos que os políticos resolvam. 
Queremos ter toneladas de direitos... Mas não nos damos conta de que cada serviço e cada direito que recebemos dos políticos é custeado pelo nosso dinheiro, que pagamos nos impostos.

Pedimos para os ladrões nos roubarem. E damos poderes para eles meterem a mão nos nossos bolsos.
Acho que somos masoquistas.