terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Retrospectiva 2020

Mas e aí, amigo?

Nossa, faz um tempão que a gente não troca uma ideia, né?

Aliás, faz um tempão que eu não escrevo nada diretamente aqui no PontoFinal! Só coletâneas de imagens de artistas, uns textões escritos para redes sociais que eu copio e colo aqui. Meu mais sincero agradecimento para os quase 500 doidos que continuam acessando o PontoFinal! todos os dias. Cês são ó: do coração.

Como eu não tenho dado notícia alguma, acho que a retrospectiva é um bom momento para falar um pouco de mim.

2020 foi um ano da porra, ein?


Janeiro.

Comecei o ano desestimulado. Em 2019 fiz escolhas profissionais que me deram uma ponta de arrependimento. E o trabalho estava chato demais. Tudo o que eu queria era ficar na minha, quieto no meu canto. E parece que 2020 atendeu às minhas preces: em janeiro o Twitter me baniu.

Eu já estava de saco cheio do Twitter. Entre 2007 e 2017 sempre que eu chegava a 500 seguidores, fazia uma limpa para manter uns 300. Qualidade, não quantidade. A partir de 2017, ouvi o conselho de um amigo e deixei os seguidores acumularem. No final de 2019 eu já tinha alguns milhares de seguidores e nenhuma alegria ao entrar no Twitter. Mas mesmo assim, não vou mentir para vocês: os dois primeiros meses sem Twitter foram difíceis. Eu tô falando de síndrome de abstinência mesmo. Passar mal por não estar seguindo os assuntos do dia, não saber da última notícia em tempo real.

Mas... conforme o tempo passou, eu fui notando que tinha tempo livre, para mim. Meu sono melhorou. Passei a cozinhar mais. Pude dar mais atenção para a Barbarah. Fiz alguns cursos, tirei algumas certificações. Até a concentração no trabalho melhorou.

Fevereiro.

Mês do aniversário. 2020 viu que eu estava querendo ficar na minha, sozinho... arranjou o COVID-19 pra mim.

Um tempo atrás, uma colega e eu conversamos seriamente sobre fabricar um vírus mortal e espalhar pelo mundo. E vou confessar que chegamos a fazer um roadmap. Definimos as fases, criamos milestones, abrimos as duas primeiras fases em etapas e tarefas. E até já tínhamos conseguido finalizar três dessas tarefas. Mais dia, menos dia, nós teríamos um vírus mortal para espalhar pelo mundo. Alguém foi mais rápido. E talvez a pressa dessa pessoa tenha estragado a oportunidade de infectar o mundo inteiro com uma doença mortal, levando a humanidade de bilhões de pessoas para alguns milhares, centenas ou até mesmo a extinção total. Pena.


Março, abril, maio e junho.

Sabe quando você tenta ser legal com os outros e os outros só te fodem a vida?

Quarentena. Então. Fiquei em casa 97% do tempo. Mal saí para fazer compras no mercado uma vez por semana e uma vez para ir ao trabalho pegar uma encomenda para outra pessoa e enviar por motoboy para outra cidade. Tipo, lááááááááá fora do meu escopo de trabalho.

Com emprego garantido, tentei usar minha renda para agitar a economia em volta de mim. E puta merda, como é difícil fazer o povo entender como se ajudar. Chega a ser irônico: tanto socialista nessa merda de país e, quando tem chance de exercitar o socialismo, são uns cuzões egoístas, na melhor expressão do corporativismo mais mafioso que você pode imaginar.

Tentei me preocupar com outras pessoas. Fui usado. Traído. E sei que não vou ver o cheiro do dinheiro emprestado nunca mais.

Julho.

Um colega saiu para outra empresa. Uma festa de despedida. Cerveja. Um desafio. "O máximo que pode acontecer é ouvir um não!" Olha nós aí com namorada nova!

Viajei em Julho o que não viajei nos últimos anos. Nem sabia que conseguia viajar tanto, assim.

Comecei uma dieta. 100kg e descendo.


Agosto

Bala. Novo AP. Novo relacionamento. Novos ares.

Fui sair do apartamento que estava morando sozinho. Puta merda a droga da Imobiliária Haus. Gentinha do pior tipo. Desorganizados de propósito. Atrasou o que pôde para aceitar o apartamento de volta. E cobrou de mim cada dia que ele atrasou o processo. Até hoje não recebi a vistoria inicial do apartamento. E nem a final. Recebi um lixo de apartamento e fui obrigado a entregar com pintura. Recebi com a cozinha destruída e fui obrigado a consertar até torneira. Tive que limpar a porcaria do lugar na entrada e na saída. E o infeliz do dono da imobiliária com a cara de pau de dizer que isso é normal. Terei zero surpresas se um dia ler em um jornal que esse cara amanheceu com a boca cheia de formigas. Eu paguei para me livrar de relações comerciais com ele. Não sei se outras pessoas terão a mesma atitude nobre que eu.

Fui entrar no apartamento novo. Época de pandemia. Povo dependendo como nunca de serviços essenciais. Hospitais, bombeiros, supermercados, água, esgoto, internet, telefones... E você nota que todos esses serviços essenciais dependem diretamente de... ENERGIA ELÉTRICA? No auge da pandemia, precisei ligar um contador de energia. 10 FUCKING DIAS ÚTEIS PARA FAZER UMA LIGAÇÃO. E quando você liga na central da Celesc eles têm a pachorra de dizer "por causa da pandemia estamos com capacidade de atendimento reduzida". Sim. Em vez de contratarem mais mão de obra para atender à demanda, reduziram o pessoal.

Setembro.

Lua de mel fodida da porra.

Outubro.

Não suportava mais o meu emprego. Hora de buscar novas oportunidades.

Novembro.

Entre uma empresa gigante e um desafio inédito de aplicar agilidade na educação e uma startup disruptiva na cidade que eu amo.

Partiu Floripa, de novo!

Cidade nova, AP novo, emprego novo.

Dezembro.

Acredita que eu tô me fodendo com um instaladorzinho de ar condicionado? Bem, já fiz um vizinho barulhento ser obrigado a fazer trabalho voluntário. Já fiz um receptador de roubo passar uns anos na cadeia. Bóra fazer esse instalador passar um tempo na cadeia por apropriação indébita.

Pelo menos tô com 85Kg. 15kg a menos nesse ano. Jejum intermitente. Funciona bem pra mim.


Esse ano me deixou bem feliz. 

Não precisar passar muito tempo com os outros. Cara, como eu adorei home office. Produzir pra caramba e mesmo assim poder cuidar da Barbarah o dia inteiro. Estar perto da minha namorada sempre. Quanto sucesso.


E esse ano me deixou muito puto.

Eu já achava as pessoas péssimas. Bando de cuzões. Um imbecil em cada esquina. A quantidade de pessoas fazendo asneiras parece que multiplicou. Eu JURO que nesse ano um ciclista que estava andando sobre a calçada me ameaçou de porrada NA FRENTE DA DELEGACIA DE POLÍCIA CIVIL de Blumenau. Bando de energúmenos.

Aí tu dá tempo em rede social para esses cuzões. E cada um deles cagando pelos dedos a cada post. Eu não aguento mais ler comentário de torcedor de político. E também não aguento mais gostosa que a gente sabe que é escrota, fazendo postagem da raba com frase de auto-ajuda e fundo moral. Hipócritas dos infernos. 

O que já era péssimo, se tornou algo terrível. Aterrorizante. Eu já odiava cada um de vocês, agora eu transcendi. Eu que já estava puto fiquei indignado que esse viruzinho de bosta não consegue realmente dizimar cada um de vocês. Agora os países estão preparados para pandemias. Vai ficar mais difícil para o meu vírus matar vocês.

Para aguentar esse ano, só com muito vídeo no Youtube.

Não fosse pessoas como o Kimagure Cook, Jim Jefferies, Afonso Padilha, Rodrigo Marques, Júnior Chicó, Anton Petrov, Sérgio Sacani, Fabio Akita, entre outros, eu não sei como conseguiria passar esse ano.

2020 mostrou que eu sou viciado em filmes e cinema. Um ano inteiro e eu fui ao cinema 3 vezes. Eu não aguento mais não ir ao cinema, não ter filmes novos, não ter mais histórias para acompanhar.


Em 2021 eu realmente espero que as vacinas não funcionem. Que vocês tomem a vacina, se sintam seguros, vão pra rua, peguem o COVID, fiquem doentes, passem para outros e morram.

Espero que o COVID sofra uma mutação violenta, garantindo mais infecção e maior mortalidade.



Assim foi o meu ano de 2020.

E esses são os meus desejos para 2021.

Cabe a cada um de vocês serem pessoas melhores e difundirem boas maneiras e educação para as demais pessoas para que vocês provem que eu sou injusto e estou errado.

É isso, amigo. Talvez todo esse ódio no meu coração seja o motivo pelo qual eu não esteja dando tantas notícias sobre mim. Vou voltar a ficar quieto no meu canto, para que as confusões não me encontrem e eu consiga ter um pouco de serenidade na minha vida.


E ainda faltam dois dias para essa droga terminar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário