sexta-feira, 26 de abril de 2013

Nunca antes na história do futebol brasileiro...


Eu não gosto de falar de futebol. Você sabe bem disso. "Blá-blá-blá", "mal vejo os jogos do Inter", etcetera e tal...

Mas eu tenho que falar sobre algo que parece que só eu vejo. 

Futebol é um esporte. Mas, quando ele é bem jogado, é tão bonito e emocionante, que já houve quem repetisse que se assemelha com arte. Até já cunharam o termo "futebol-arte" para denominar jogadas e partidas de esplêndida técnica e beleza. E o substantivo torna-se adjetivo para os jogadores que expressam a mais alta categoria ao jogar futebol.

Os craques de bola são tão poucos, tão raros, que são contratados a preços inimagináveis... que fazem o preço do quilo do ouro parecer troco de mercado, daqueles que tu aceita receber em bala, de tão insignificante... Os jogos dessas estrelas são tão especiais que são televisionados para o mundo inteiro. Seus lances de maior destaque são referência histórica...

Bem, acredito que eu não precise falar para brasileiros sobre o valor direto e indireto da habilidade e do "futebol-arte". Nas terras tupiniquins, o moleque mal se reconhece como gente e já sonha em ser um astro do futebol. Todo menino cresce gastando horas dos seus dias treinando para a final da copa do mundo que sonha em jogar. Até algumas meninas têm esse sonho... Educação física, nos colégios, é jogar bola. A realização de vida de muito pai e mãe por aí, é ver o filho entrar na escolinha de futebol... Se consegue chegar nos juniores ou no profissional, então? Bem, aqui no Brasil é uma carreira bem promissora... Não acredito que um jogador de segunda divisão de campeonatos estaduais corra atrás de uma bola por menos que um salário mínimo... Levando em consideração o número de times em primeiras divisões de campeonatos estaduais... seus titulares, diversos reservas... Sem falar no mercado exterior de modo geral. Sempre existe um clube de Portugal, China ou leste europeu, prontos para pagarem alguns milhares de reais pela "habilidade brasileira".

Mas... Tem sempre o "mas", né?

Mesmo o "futebol-arte" sendo o produto mais procurado e valorizado, a incongruência já começa nos campos de várzea e quadras. Naquele momento em que o guri mais forte abre o braço, empurra o guri mais inteligente e habilidoso, toma a bola e, se reclamam, o brutamontes exclama: "Jogo de corpo!!!"... "Jogo de corpo" o Sr Meu Bráulio, utilizando monóculos garbosos, de ouro 24 quilates...
A insanidade continua nas peneiras, onde os ~brilhantes~ técnicos avaliam os guris por sua altura e força. Baixinhos franzinos têm que jogar MUITA bola para entrarem em alguma escolinha. Baixinhos e franzinos que já pensam e cadenciam o jogo, então? Nenhuma chance.
Já na escolinha, o "método de treinamento" dos rapazes selecionados é comparável com o "regime de engorda de gado": aumentam condicionamento físico e força muscular dos guris. Só isso. Não é a toa que nos campeonatos "sub-alguma-idade-qualquer" vemos uma enxurrada de passes errados, faltas medonhas, péssimo posicionamento e gols feitos sem querer... Afinal de contas, guri de categoria de base parece que aprende de tudo, menos como chutar uma bola de modo correto, para os colegas...
Se já está ruim agora, a próxima etapa é pior ainda: só os juniores extremamente bons (aqueles que os técnicos de categorias de base não conseguiram estragar) e os brucutus menos-piores, são promovidos para os profissionais. 

Aí, aparecem comentaristas se perguntando porque o futebol brasileiro não revela mais jogadores como o Ronaldo, Zico, Garrincha ou Pelé... O pensamento das categorias de base é o de formar zagueiros, volantes e centro-avantes fortes, altos e subservientes. Perfeitas nulidades que esperam pelo grito do técnico até para decidir o momento de chutar a bola em gol.
Vez que outra aparecem jogadores como Júlio Baptista, Fernandão, Rogério Ceni, etc... Que conseguem articular duas frases sem erros de português, com o mínimo de concordância e sem cair em clichês esportivos...
Menos vezes ainda aparecem jogadores como o Nilmar, Pato, Robinho, Ganso ou Neymar, que são baixinhos, franzinos, rápidos, ágeis, habilidosos e inteligentes, com a bola nos pés.

E, aí, entra o porquê dos técnicos de base só quererem jogadores altos e fortes em seus times: Os árbitros brasileiros punem o "futebol-arte".

Não sou "neymarzete". Mas concordo quando o Neymar reclama de carrinhos e entradas duras. Principalmente quando o árbitro não marca a falta. Principalmente quando não coíbe o ante-jogo. Ou, pior ainda, pune quem está querendo jogar bola, deixando o agressor livre.
Desculpe, mas, na qualidade de espectador de futebol, eu quero ver boas jogadas. Quero ver dribles, quero ver boas tramas de passes. Quero ver lançamentos. E, principalmente, quero ver gols bonitos. Eu espero isso do meu time. E quero que o meu time se defenda, mas dentro da regra. Porque, por mais chato que seja ver o meu time tomando um gol, se o gol foi bonito, mesmo assim ele vale o preço do ingresso. E da derrota do meu time. 

Ganhar na base da pancadaria? Não é mais fácil colocar dois caras para se espancarem em um ringue? Epa... Já tem isso.. É o UFC...

O mais irônico é olharmos para o melhor time do mundo e notarmos os seus melhores jogadores... Todos baixinhos em comparação com os nossos brucutus. Todos começaram franzinos. Todos escolhidos por sua habilidade e inteligência... 

Visivelmente o modelo de seleção de jogadores no Brasil é "escolher os mais fortes e colocar habilidade neles";
Enquanto o modelo de seleção dos melhores jogadores do mundo é "escolher os mais habilidosos e trabalhar o físico deles"...

Aí, olhamos o ranking da FIFA e vemos o Brasil - pela primeira vez na história - acima da décima colocação... Será só coincidência que não temos uma seleção competitiva há alguns anos?

Passou da hora de mudarmos a nossa cultura sobre futebol. Passou da hora de "largarmos a bola para os piás e seja o que Deus quiser". Futebol é algo sério. Um negócio de bilhões de dólares. Entretém a massa, movimenta a economia e, quando bem jogado, é realmente bonito de se ver.
Nossa "safra" de garotos está ruim, porque estamos procurando no lugar errado. Tem muito rapaz bom que está sendo reprovado em peneirões agora mesmo, porque não é alto ou forte. Como se tamanho fosse documento em uma partida de futebol...