quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Dica de Tumblr: Não conte para a mamãe!

Quando eu começo a seguir um novo blogueiro, eu geralmente posto algum texto dele, aqui. Geralmente o que eu mais gostei.
Nessa semana eu conheci e passei a consumir TUDO o que o @Neto tem escrito. Em especial o Tumblr dele: http://naocontepramamae.tumblr.com/

Visitem o Tumblr dele. Coloquem o Tumblr dele na barra de favoritos (assim como eu fiz). Vale muito a pena.
Esse é o texto que eu mais gostei do Neto, até o momento.

----------------------------------------------------------------------------

O CÓDIGO DO BANHEIRO MASCULINO.
Estou lavando as mãos no banheiro do Shopping. 
Sábado de feriado é dia de movimento.Pelo espelho, vejo os mictórios, aquela coisa medieval onde os homens se aliviam de suas necessidades líquidas sem nenhuma privacidade.São cinco mictórios. Três deles estão ocupados, um sim, um não, um sim, um não, um sim, da esquerda para a direita, como todo homem sabe que deve ser.
Requer conhecimento profundo de um código tácito, todo especial, que homens aprendem desde criança.
Por exemplo, banheiro masculino não é lugar onde os homens vão juntos conversar.
Num jantar com três casais, sempre tem um momento em que duas ou mesmo as três mulheres vão juntas ao banheiro.
Mas nunca chegará o momento em que os maridos se levantam e fazem o mesmo.
Ao banheiro, homem vai sozinho.
Se algum amigo levanta da mesa de bar e anuncia que vai ao banheiro, deve haver um pequeno intervalo antes que o próximo faça o mesmo anúncio.
Alias, é de bom tom, numa noitada, que a ordem de idas se alterne randomicamente, evitando o risco de seguir sempre o mesmo companheiro.
Banheiro masculino tem uma finalidade específica. 
Duas na verdade.
Eventualmente, aceita-se uma terceira. Lavar as mãos.
Mas é um lugar que se vai com um objetivo, não para conversar.
E do qual se sai o quanto antes.
O código do banheiro masculino, é complexo.
Se acontecer de um homem encontrar um conhecido lá dentro, não se dá a mão.
Não é aceito contato físico no banheiro masculino, todo mundo sabe disso.
Se esse encontro for no mictório, pior ainda. 
Um homem de verdade, bem formado e educado, sabe que não se puxa muita conversa nessa situação.
E em hipótese nenhuma se olha para o lado.
No mictório, o pescoço só pode mover-se longitudinalmente.
Os olhos devem estar focados na parede, como se estivesse contando azulejos.
- Certo. Mulherada tá foda hoje, né?
- Ô! - olha para baixo e mira o ralo.
Pouca coisa oferece mais prazer para o homem moderno do que dissolver gelo de mictório.
Mas o mais importante do código a se aprender, é o valor geográfico de cada mictório de acordo com sua posição na parede.
Homens sabem isso instintivamente.
A ideia é: o valor do mictório é inversamente proporcional a quantidade de vizinhos possíveis. 
Ou seja, as duas pontas são as posições nobres, mais desejadas e por isso, quase sempre ocupadas.
Em seguida, o próximo a entrar, deve encontrar um mictório vago de preferência sem vizinhos em uso.
E assim por diante.
Assim, num conjunto de 5 mictórios, apenas 3 estarão em uso, no máximo, a qualquer momento. 
Os dois da ponta e o do meio.
Sempre que for possível - e se a urgência estiver controlada - deve-se evitar espremer-se entre dois mictórios em uso.
Dois amigos entram, falantes.
- E ela?
- Disse que… - interrompe, ao visualizar o problema.
Existem dois mictórios vagos, 2 e 4. 
Mas ambos com vizinhos ocupados.
De repente, a posição 5 fica disponível.
O mais rápido dos amigos a ocupa.
E então acontece.
O sujeito assume a posição, e enquanto abre a braguilha, vira-se para o outro que já havia se refugiado no celular, esperando a próxima posição liberar, e faz um gesto com a cabeça, apontando a posição livre ao seu o lado.
Não satisfeito, dispara:
Ele e eu entendemos tudo.
Sabemos que o código foi rompido.
Não lhe resta opção.

Neste ponto preciso abrir um parênteses para mulheres e meninas.
Banheiro masculino, público, não é lugar simples para trafegar. 
- Ô rapaz, e aí? Tudo certo? - olhos fixos no azulejo.
Gelo no mictório foi um passo gigantesco para a humanidade.
Então estou lá, olhando para o espelho, cinco mictórios, posições 1, 3 e 5 todas ocupadas.
- Aí eu mandei um whatsapp para a amiga dela.
Posso ver pelos espelho os olhos de ambos, calculando as possibilidades.
- Vem aí!
Meus olhos, pelo espelho, cruzam com os do amigo constrangido.
- Não vou mijar não. Vim só lavar as mãos.
Taí. Ainda existem homens íntegros.