segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Porque Gente Legal Sempre Mora Longe?

Olá Amigo! Quanto tempo, ein? Tudo bem por aí?
Por aqui não anda nada muito bem, não. Obrigado por se importar.

Sabe, estou te escrevendo porque veio mais uma daquelas ideias malucas na minha cabeça. Dessa vez uma menos polêmica, daquelas que eu posso publicar sem ficar morrendo de medo de algum troll chegar aqui defecando pelos dedos, xingando e amaldiçoando até a minha terceira geração.

Você já sabe a minha opinião sobre a vida virtual, né?
O pessoal gosta de dizer que a vida virtual está distanciando as pessoas. Que prejudica o contato humano. Nossa, como eu discordo disso! E eu concordo, também.

Se "diz-me com quem andas, que eu te direi quem és", então "antes só, do que mal acompanhado", não é?

Eu concordo que a internet separa as pessoas. Mas essa separação se dá porque as pessoas encontram outras pessoas mais iguais, na internet. E é por isso que "as pessoas legais estão longe".

Deixe-me explicar melhor.

Voltemos uns vinte anos no passado. A internet era um brinquedo caro e difícil de brincar. A pessoa tinha que ser MUITO entendida de tecnologia para poder fazer alguma coisa legal nos antigos canais de mIRC, por exemplo.

Nesse tempo, você tinha apenas seus grupos sociais para interagir.
E cada pessoa consegue manter uns cinco, talvez até uns dez... quem sabe uns quinze, no máximo, grupos sociais.
Sua família. Um ou dois grupos de vizinhos. Os amigos do colégio/curso/faculdade... Os colegas de trabalho. Os amigos da pelada de quarta ou as amigas do salão de cabeleireiro. Amigos da igreja, do clube social ou de qualquer outro grupo. Os amigos da praia, das férias de verão. Talvez os amigos de mais um ou dois lugares diferentes.

(Um CONSELHO: se você ainda vive essa fase de ter diversas turmas, JAMAIS misture-as. Sério. Vá por mim.)

Os grupos sociais "ao vivo" têm uma "estrutura". Cada indivíduo é enquadrado em uma "função" dentro de uma "hierarquia informal". Claro que essa "hierarquia informal" varia demais de grupo para grupo.
Existem grupos com um "líder", um "chato", o "inteligente", o "brigão", um "piadista", os "seguidores", os "apoiadores", os "do contra", os "bonitinhos", etc, etc, etc...
Grupos em que existem duas ou mais figuras para cada item.
Grupos em que uma mesma pessoa acumula dois ou mais funções.
Grupos em que algumas funções não são exercidas por ninguém.
Bem, acho que eu já consegui passar bem a ideia dessa "estruturação da turma", né?

O grande problema dos grupos "ao vivo" é que eles dependem de interação instantânea. E isso beneficia as pessoas extrovertidas. Aqueles que possuem pensamento rápido e não têm medo de falar o que passa na cabeça. Essas pessoas geralmente são alçadas aos melhores "cargos" na turma, mesmo sem ter o talento necessário para exercer essas funções.
Então, no outro extremo, estão os introvertidos. As pessoas que demoram um pouquinho mais para reagir às interações sociais, ou que simplesmente não possuem confiança suficiente para externalizar seus pensamentos, por melhor que sejam. Os introvertidos, apesar de terem todas as qualidades necessárias para atuarem em algum dos "cargos" da "hierarquia informal" da turma, acabam ficando escanteados. Participando da turma nos papéis coadjuvantes.

Nunca esqueça que a interação social é um vício. O "efeito de manada" existe e nada mais é do que a manifestação do vício nas substâncias químicas que o corpo secreta, de acordo com grau de dependência que a interação social atua em cada ser.

Assim, muitas vezes nós nos sentimos "presos" a uma turma. Nos sentimos "deslocados". Gostamos das pessoas e gostamos do contato. Mas, depois que a interação social acaba, nos vemos sozinhos nos perguntando "porque ainda ando com essas pessoas?"
Isso acontece por dois motivos:
1 - Não deveríamos andar com essa turma;
2 - Não conseguimos nos "encaixar" na posição em que realmente deveríamos estar, nessa turma.

A internet é uma ferramenta DELICIOSA para nos ajudar a sair de turmas nocivas. A internet nos separa. Sim. Justamente desse povo com quem só andamos porque não tínhamos OPÇÃO!

A interação na internet é bem diferente. Aqui, nós não precisamos de timming e feeling. Basta ter o mínimo de domínio da língua para saber se expressar corretamente e entender os demais corretamente. Bem, com o mínimo de boa vontade e coração aberto, tu não precisa nem desse domínio técnico para compreender os outros.

Aqui na internet todos somos indivíduos. "Bolinhas" soltas no vácuo. Cada bolinha consegue mostrar exatamente o que é. Senão em um primeiro momento, com o passar do tempo todos se revelam. E as "bolinhas" iguais acabam... se juntando!

Na internet todos temos tempo para PENSAR antes de INTERAGIR. Assim, nossas ideias acabam entrando em contato diretamente com as ideias das outras pessoas. Os grupos reais são desfeitos e passamos a interagir com grupos virtuais de pessoas que defendem os mesmos pensamentos que nós.

Às vezes encontramos pessoas com os mesmos pensamentos (ou seja, "legais") perto de nós. Mas a tendência é que encontremos pessoas espalhadas pelo mundo inteiro, mesmo. 
Nesse universo de mais de sete bilhões de pessoas deve haver algumas dezenas que pensem exatamente como você pensa. Que se enquadrariam na turma exatamente no mesmo lugar ideal que você se enquadraria. Pessoas que terminam as frases que você começa. Ecos que dão força para cada pensamento seu.

Pessoas legais moram longe porque a internet "embaralha as turmas". Você encontra as pessoas parecidas contigo que estão por toda parte.

A internet te aproxima das pessoas com quem você deveria estar, desde o início.