quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Como incentivar a criação de Tecnologias? (Ou "Porque a NASA é importante?")

"A necessidade é a mãe das invenções."
- Platão

"O brasileiro é um povo criativo por natureza."
- Dito popular


Todo mundo sabe que o Brasil é um país cuja economia depende quase que exclusivamente do agronegócio e extração mineral. Parece que a única vocação do brasileiro é produzir COMMODITIES.

COMMODITIES são todos os produtos necessários para a manutenção do estilo de vida de uma cultura. Todas as comidas que essa cultura consome. Os materiais necessários para produção de móveis, casas, infraestrutura, etc... Combustíveis e eletricidade.

Commodities são produtos muito importantes. Mas como são muito importantes, os métodos de produção são dominados por praticamente todos os povos. A única coisa que determina se um país produz a "commoditie A" ou a "commoditie B" é a disponibilidade que o país possui.

Assim, o VALOR das commodities geralmete é baixo. Para ganhar dinheiro com esse tipo de produto é necessário investir em quantidade absurdas.

A balança comercial do Brasil é sustentada por uma oligarquia baseada em soja, milho, laranja, carne, minérios e outras commodities. E essa matriz de produção faz com que nossos trabalhos sejam simples, quase completamente voltados para o agronegócio.

Logo, os maiores problemas brasileiros estão no campo. Assista ao Globo Rural uma vez e você verá a quantidade de problemas que as lavouras brasileiras têm. As necessidades criadas pelo agronegócio. E então você verá que existem muitos laboratórios que produzem tecnologia para o agronegócio, no Brasil.

Nossa produção industrial, comercial e científica é toda voltada para o agronegócio.

Logo, todas as necessidades que o país produz são voltadas para o agronegócio.

E todos os problemas resolvidos são do agronegócio.


Notou o padrão?

1 - Existe a demanda.
2 - É criada a empresa.
3 - A empresa possui necessidades.
4 - A tecnologia é criada para suprir a necessidade.
5 - A empresa paga pela tecnologia e obtém vantagem competitiva.
6 - A vantagem competitiva traz mais lucros para a empresa.
7 - A empresa reinveste o lucro, passa a atender novas demandas.

Aí tu volta para o primeiro passo e o ciclo virtuoso do avanço científico é criado.



Bem, o Brasil possui um problema grave. Enquanto nossa maior fonte de recursos está no campo, a maioria da população mora nas cidades. Tudo começou com os administradores públicos. Então, mais e mais pessoas passaram a criar negócios para atender a estes administradores públicos. Então, mais pessoas passaram a criar negócios para atender às pessoas que criaram negócios para atender aos administradores públicos.

A vida nas cidades é semi-artificial, sabe? Nós acabamos empregando nosso tempo para resolver problemas que nós não teríamos se não estivéssemos na cidade.

Exemplos? Academia é um bom exemplo.

Estivéssemos no campo, não precisaríamos usar academias. Mas acabamos precisando de um lugar para nos exercitar e não morrermos pelo sedentarismo.
Para montar a academia, o empresário tem que comprar equipamentos, material de expediente, contratar professores e executar os processos pertinentes a qualquer empresa.
Logo, deve existir uma fábrica de equipamentos de academia.
Uma fábrica para cada material necessário para o funcionamento da academia.
Uma instituição que ensine as pessoas a criarem e orientarem exercícios de terceiros.
Contadores, administradores, profissionais de TI, marketing, publicidade, etc, etc, etc...

Para cada necessidade, uma tecnologia criada.

Mas nossa matriz maior continua sendo o campo.


É aí que instituições como a NASA são importantes. E são, inclusive, a solução para o problema de falta de desenvolvimento industrial no Brasil.

Instituições como a NASA pegam os SONHOS das pessoas e geram NECESSIDADES.

Necessidades que deverão ser supridas por alguma INDÚSTRIA do país.

Quer ver como funciona?


É uma lua que contém água líquida, pode ter vida, pode responder muitas perguntas dos cientistas e seria um feito altamente notável.

Mas a parte prática: Os políticos dos Estados Unidos reservam dinheiro para esse tipo de objetivo.
Para 2015, a NASA pediu US$15 milhões para explorar as possibilidades de enviar uma sonda a Europa. O governo liberou US$100 milhões.

O que é feito com esse dinheiro?
São buscados peritos nos assuntos pertinentes ao objetivo. Físicos, químicos, matemáticos, engenheiros, profissionais de TI, etc... Essas pessoas agem como CIENTISTAS, levantando problemas e buscando soluções para atingir os objetivos traçados.

Essas pessoas dependem de materiais de precisão para poderem fazer seus estudos e apresentarem seus pareceres. Materiais que são encomendados de indústrias. Indústrias que são devidamente pagas com a verba liberada pelo governo.

Uma vez com os pareceres, a NASA monta equipes, compila projetos e determina planos de ação.
Você acha que a NASA fabrica os foguetes que lança? Cada pecinha? O combustível? Claro que não. No máximo monta tudo.

Os componentes são encomendados a indústrias. Caso o componente não seja sequer fabricado, é comum haver verba para que empreendedores simplesmente CRIEM as indústrias necessárias para prover os componentes para os projetos.

Exemplo clássico? Teflon.
A NASA precisava de um material de revestimento que aguentasse o atrito da reentrada dos foguetes na Terra, sem que isso fritasse e desintegrasse o equipamento (e os astronautas).
Muitas pesquisas foram feitas PARA A NASA, mas NÃO NA NASA.
Várias soluções foram testadas até que o Teflon foi inventado, testado e aprovado.

Só depois que a NASA gerou a necessidade do Teflon que a indústria notou que esse matéria era perfeito para você fritar seu ovo com menos óleo e, assim, se alimentar mais saudavelmente.
Hoje, praticamente todos temos pelo menos uma panela que não podemos lavar com a parte verde da esponja. Porque senão risca e perde o... teflon.

Você consegue notar como parece bobo o objetivo inicial? Gastar milhões (ou bilhões) e singrar o espaço só para responder a perguntas básicas... e cuja resposta parece não mudar em nada a vida de qualquer um...
Mas consegue notar que a cadeia de necessidades geradas cria tecnologia. E essa tecnologia é posteriormente utilizada em produtos que melhoram, SIM, a nossa vida?

E é claro... Cada produto novo desses gera toda uma nova indústria. Que depende de fornecedores, gera empregos e traz prosperidade para o país.


Muitas pessoas falam na necessidade de "desenvolver a indústria tecnológica no Brasil". Mas quase ninguém entende a necessidade que temos de uma instituição que demande tecnologia. Um programa espacial, uma agência de desenvolvimento nacional que demande novos veículos ou só um "prêmio estudantil para inovações tecnológicas" que tenha temas estratégicos, todo ano...

ISSO é investir em tecnologia. 
ISSO é criar oportunidades.
ISSO é avançar o Brasil.

O resto? É demagogia de populismo desenvolvimentista barato.