quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

E lá vamos nós falar de Aborto mais uma vez...

As minhas opiniões sobre aborto você consegue ler aqui:





O motivo deste texto é essa matéria aqui:



E lá vamos nós mais uma vez...

Antes da opinião, deixe eu colocar alguns dados aqui, pra você.

Em um primeiro momento, quero definir o que é "matar".
E essa é a definição de "matar" segundo o dicionário Aurélio:


Você pode procurar em outros dicionários, mas o sentido de "matar" sempre será muito próximo a esse.
"Matar" significa "tirar a vida de" (no caso, "de outra pessoa").

Em um sentido mais restrito ao ser humano, eu gosto de definir "matar" como sendo "o ato de determinar quando a vida de outra pessoa terminará".
Isso porque você pode mandar que outra pessoa alguém mate por você. Nesse caso, você é tão responsável quanto o executor.

Em um segundo momento, quero deixar aqui algumas matérias para determinar: quando começa a vida?







Leu todos? Não? Peraí, eu resumo pra ti:

NINGUÉM SABE QUANDO COMEÇA A VIDA.
Não adianta discutir por discutir. Nem você, nem eu, nem os cientistas que trabalham duro em laboratórios, colhendo e analisando dados todos os dias, conseguimos até o momento determinar o momento exato em que começa a vida.

Se por enquanto não está adiantando nem os cientistas da área teorizarem, IMAGINE nós dois, aqui, começarmos a discutir o sexo dos anjos.

Existem diversas correntes diferentes de pensamento CIENTÍFICO a respeito de "quando começa a vida". E nenhuma delas alcança 50% + 1 do convencimento dos peritos da área.

40 HORAS
Depois da fecundação, o número de células do zigoto dobra a cada 20 horas.

14 DIAS
O embrião chega à parede do útero. A menstruação pára e a mãe começa a suspeitar que está grávida.

4ª SEMANA
Uma versão rudimentar do que um dia será o coração começa a bater. O embrião mede cerca de 4 milímetros, o tamanho de um feijão.

6ª SEMANA
A aparência humana se define com o aparecimento dos primeiros órgãos. Já é possível reconhecer onde estão coração, cérebro, braços e pernas. O tamanho chega a 1 centímetro.

10ª SEMANA
O feto apresenta ondas cerebrais, podendo responder a estímulos, e ganha unhas. O fígado começa a liberar a bílis. Para muitos cientistas, neste estágio ele já é capaz de sentir dor.

17ª SEMANA
A mãe começa a sentir movimentos do feto, que já tem músculos e ossos. Nas próximas 3 semanas ele passará de 8,5 para 15 centímetros de tamanho.

5 MESES
O pulmão está pronto – é a última estrutura vital a se desenvolver. A partir daqui, o feto tem chances de sobreviver fora do útero.

NASCIMENTO
Somente quando o feto sobrevive ao nascimento ele se torna uma pessoa de fato e de direito.

E então? Qual dessas teses você vai se apoiar? 
É quando a atividade celular do embrião está a pleno, mostrando todas as características básicas da vida?
Ou é quando o embrião se prende à parede do útero da mãe? A partir daí, se nada interferir, o nascimento é certo.
Será que você já aceita a vida quando o coração começa a bater?
Ou será que você precisa de aparência humana para determinar que é um humano?
Será o início das atividades cerebrais superiores?
Ou quando o feto começa a se movimentar conscientemente?
Ou - por fim - somente quando o feto já pode sobreviver sozinho?


Independente da tua preferência, ela ainda não é consenso. Escolher qualquer uma dessas opções é como escolher um time de futebol. Você primeiro escolherá o "time" (geralmente por motivos egoístas/interesseiros), depois usará qualquer argumento (muitos imbecis) para defender a sua opção.

Há um momento que parece fazer sentido, mas não faz: O do início da atividade cerebral.
Para declarar alguém morto, a ciência determinou que o momento é o fim da atividade cerebral. Por isso, parece fazer algum sentido que o início da atividade cerebral seja o início da vida.
MAS... células nervosas já estão presentes no feto desde as primeiras semanas. Entenda: músculos só funcionam por ordem de células nervosas. O coração não poderia bater antes de haver alguma estrutura cerebral pronta. E eu lembro a você que muitas das nossas emoções mais básicas (que representam MUITO da nossa capacidade cerebral) são controladas pelas áreas mais primitivas (e primeiramente formadas) do nosso sistema nervoso.
E, para te deixar espantado, o tal do cérebro só está completamente formado depois dos teus 25 anos de idade...

E se nada disso for suficiente pra ti, qualquer um desses marcos é diferente de pessoa para pessoa. Não somos máquinas em uma linha de montagem, formando cada pedaço do nosso corpo no mesmo local, no mesmo instante, com ações robóticas e o tempo cronometrado.
Um de nós pode ter formado o sistema nervoso dias antes de outros de nós. E aí? Tu erra e remove da existência alguém que já tem o sistema nervoso completo?


EU, em minha ENORME ignorância, prefiro inicialmente não determinar o momento que outra pessoa deixará de viver. Mesmo porque, conforme o já exposto, NINGUÉM SABE quando começa a vida.

Sendo assim, o SEGURO é determinarmos que a vida sempre existiu.

O que, aliás, não é nem um pouco absurdo.

Veja só: duas células humanas, vivas, cada uma com metade de um código de DNA humano, se encontram e se transformam em uma única célula humana viva. Essa célula humana viva e completa, resultado da união de duas outras células humanas vivas, já é um novo ser humano. No momento que os gametas dos pais se encontraram, o resultado já não é uma célula nem da mãe, nem do pai.
Se tudo der certo, essa célula desse novo ser humano se fixará no útero da mãe e usará os nutrientes dela para se desenvolver.

Desculpem meninas, especialmente as feministas, mas isso é uma das funções fisiológicas dos seus corpos. Não fui eu - homem, branco, hétero, CIS - quem determinou isso. Não encomendei o projeto, não programei nada e não escrevi o manual. Esses são fatos da vida. Fêmeas de mamíferos placentários gestam internamente seus filhotes. 
Paciência se a natureza determinou que você será casa e supermercado de outra pessoa por cerca de nove meses.

Se você determinar o momento que a vida esse outro ser humano (que NÃO É VOCÊ) irá acabar, você estará matando ele.

Lógica simples. 

E vamos um pouco mais longe.

Como costumamos classificar as pessoas que determinam o momento que a vida de outra pessoa vai acabar, de modo insensível, sem demonstrar arrependimentos, com planos, caso pensado, por motivos fúteis e até com requintes de crueldade?

Assassinos? Não. Eu costumo usar o termo "PSICOPATA".

Esse texto começou porque, em uma discussão sobre a notícia, alguém disse "são casos e casos, é complicado (julgar)".

Não, amigo. Não é complicado julgar. Com o mínimo de leitura e o mínimo de lógica qualquer um pode julgar o tema. Mínimo mesmo. Bem menos do que a importância da vida de um ser humano.

Quer saber o que é complicado?

Complicado é que as pessoas têm visões LEVIANAS, EGOÍSTAS e VIOLENTAS da vida.
Complicado é que as pessoas estão CAGANDO E ANDANDO pra qualquer coisa que não seja o que elas querem naquele momento.

Essa tal D.L., mesmo. Chegaste a ler a matéria?

Ela foi para a França, teve um encontro casual e engravidou.

PUTA QUE PARIU!!!

Motivo para não usar contraceptivos?
"Não tomo pílula porque o hormônio me faz mal, então sempre usamos preservativo, mas uma única vez ele estourou e aí aconteceu."

Primeiro que eu DUVIDO que TODOS os hormônios de TODAS as pílulas e injeções façam mal à ela. Existem dezenas de marcas, cada uma com hormônios e dosagens diferentes.
O que ela DEVERIA ter feito? Ido ao médico, feito um exame e tomado o hormônio mais indicado a ela. (Que, inclusive, seria receitado levando em consideração efeitos colaterais...)
O que ela (e quase todas as meninas que eu conheço) fazem? Perguntam pra amiga qual pílula ela toma e compra a mesma. E foda-se o que acontecer com o corpo. Foda-se se é a ideal. Foda-se.
Aí a pílula errada gera efeitos colaterais... E o mais comum é engordar a guria... aí elas jogam esse 171 ridículo de "não posso tomar pílula porque me faz mal..."

E se isso não for o suficiente, ainda existem pelo menos mais uma dezena de métodos contraceptivos além da camisinha (que SEMPRE estoura com quem quer abortar! impressionante! Eu fodo há 18 anos e NUNCA estourei uma camisinha! Como esse povo consegue???).
Não estava lá. Mas apostaria um porco gordo que no calor da saudade esses dois não usaram porra de camisinha nenhuma. Se encontraram, pensaram com o órgão sexual, foderam como animais e ela engravidou.

Por fim... você sempre tem a opção de não foder quando sabe que não tem métodos anticoncepcionais à disposição, né? Não? Há, esqueci. Estou lidando com animais.


Aí ela justifica o aborto dizendo "não tenho um trabalho estável, não tenho meu apartamento, não tenho um namorado. Eu preciso de uma estabilidade, não posso dar a vida a alguém quando minha vida não é estável."

Hum. Aqui a Psicopatia de determinar o final da vida de outra pessoa se une à sociopatia.
Então se não houver a situação ideal a pessoa não deve ter o filho?
(Porque não pensou nisso antes???)

Amigo, antes de mais nada, situações são transitórias. Hoje você está muito bem no trabalho, a esposa te ama, a sociedade tem grande estima por você, tudo dá certo e a vida é feliz.
Aí vocês decidem ter um filho.
Depois que a criança nasceu, você perde o emprego. A falta de dinheiro gera brigas com a sua esposa. Vocês se separam. A sociedade passa a te ver como um inapto. A vida fica uma merda.

Você pode matar seu filho, então? Um bebê sem cuidados, deixado à própria sorte também morre. Ele continua dependente da mãe, pouca coisa menos do que quando estava dentro do útero.

Aí passa mais um ano, as coisas melhoram, tu recupera teu emprego, se acerta com a esposa... A vida volta a ficar feliz... E aí? Bóra fazer mais um filho antes que a situação volte a ficar instável?

O que eu quero dizer com essa alegoria toda: A vida é muito complexa, muito grande para você determinar que NAQUELE MOMENTO o melhor para A VIDA DE UMA PESSOA seja não existir.
Eu vejo egoísmo. A mãe e o pai não querem aceitar a responsabilidade do que fizeram. Não querem passar por alguns apertos, não querem aceitar as obrigações dos deveres que surgiram a partir da execução do seu livre direito.

Traduzindo: FODERAM, FIZERAM UM FILHO E NÃO QUEREM CUIDAR.

Aí começa a hipocrisia leviana, egoísta e violenta.

"Mas imagina a vida de merda que a criança vai ter..."

Amigo... Você sabe. Sou ateu. Não há base nenhuma que comprove vida após a morte, vida eterna, alma e todas essas bobagens. Temos nossos 60, 80, 100 anos de expectativa de vida. Uma única vida para viver.
Não é MORALMENTE justo você privar outra pessoa de usufruir os anos de vida que ela tem pela frente. Não importa se ela tem um dia de concepção ou se está agonizando no leito de morte.
Cada segundo conta. E esses segundos são da outra pessoa, não são seus.

Se a vida da criança for uma merda, ela que decida se suicidar.

Esse pensamento de que existem parâmetros para que uma pessoa decida sobre a morte de outra pessoa é de uma sociopatia ímpar. Nível Hitler.
Então eu vou subir no alto da minha ignorância. Da minha incerteza sobre o futuro da próxima hora... Para balizar o que é uma vida digna de ser vivida e uma vida passível de ser exterminada?

Posso começar com os judeus?

Então se a pessoa for pobre e não tiver condições de ter um filho, podemos abortar de boa?
Que tal um mutirão de abortos na Etiópia e na Somália?
Aliás, nem precisamos ir tão longe. Basta subir alguma favela brasileira. Você vai encontrar algumas dezenas de milhares de mulheres grávidas sem condições de criarem filhos.

Bóra estipular: só rendas individuais acima de R$3.000,00 podem ter filhos.

Só rico pode se reproduzir!
Eugenia social. Se não for rico, loiro e de olho azul, aborta!

(Que bom que eu tenho algum dinheiro, sou loiro e tenho olhos azuis!)

Consegui te mostrar o quanto é estúpida e vil essa ideia?
Não tem cabimento alguém determinar quem pode ou não vir a esse mundo...


Não se trata de uma romantização da vida.
Não é uma questão complicada de se pesar.

Errado não é obrigar a mãe a gerar um filho.
Errado são os pais fazerem o filho e condená-lo à morte.


E mais errado ainda é a forma como todos andam lidando com isso. Homens, mulheres, especialistas, jornais... a sociedade como um todo.
Banalizamos a vida a tal ponto, que estamos validando o dito antigo "o que os olhos não vêem, o coração não sente".
Parece que enquanto a criança não deu sinal de que está ali no útero, ela não existe.

Esse mesmo povo não acredita que existam átomos porque não viram ainda, então?

A única coisa que parece estar sendo tratada como um problema são os casos de mulheres que morrem fazendo abortos ilegais!

Peraí, deixa eu ver se eu entendi...

AS ANTAS dos pais fodem, não querem assumir o filho e decidem MATAR A CRIANÇA.
Aí a mulher inicia um processo o qual o corpo não está programado para fazer... tanto que precisa de substâncias nocivas, instrumentos que literalmente TRITURAM o corpo do feto, em procedimentos altamente invasivos...

E depois dessa selvageria ficam irados se a MÃE morre?

Peraí, eu perdi algo aqui?
Antes de mais nada: se a mulher não fizer o aborto, ela não morre. Sacou?
E que moral tem uma pessoa que acabou de exterminar o próprio filho para exigir segurança para si mesma durante esse processo? Dafuq que eu sou o único a sentir medo de uma mulher que faz isso?


A vida é a primeira e mais importante propriedade de cada indivíduo. Ninguém pode determinar o que pode ou não pode ser feito com a sua vida.
No caso do aborto, a mulher tem total direito ao seu corpo até o momento em que engravida. Use métodos contraceptivos, não faça sexo... Sei lá. Enquanto é só a mulher, todas as decisões sobre o seu corpo são só dela.
Mas a partir do momento que há uma outra pessoa dentro do útero da mulher, ela perde o direito total sobre o seu corpo. 

Não é uma questão complicada.
Aborto é a solução leviana, egoísta, violenta, covarde, psicopata e sociopata para uma gravidez não desejada.
Simples assim.