terça-feira, 22 de março de 2016

Primeira Super-Nova completamente registrada!

A matéria completa, você pode encontrar no site da NASA, aqui -> http://www.nasa.gov/feature/ames/Kepler/caught-for-the-first-time-the-early-flash-of-an-exploding-star

Vamos lá...

Eu sei, eu sei, o título não ficou muito legal.
Isso porque nós já sabemos há muito tempo que existem supernovas. Aliás, nós já vimos supernovas ANTES de sabermos o que eram as supernovas.

Supernova é a vitória das explosões nucleares sobre a gravidade dentro da estrela. A explosão definitiva que mata a estrela, espalhando partículas sub-atômicas, várias formas de energia e radiação, seus átomos e muita... mas MUITA... luminosidade, espaço a fora.
No lugar da estrela, um vestígio da sua existência pode ficar pra trás, na forma de estrela de nêutrons, quasares, buracos negros e outros objetos estranhos.

Desde os primeiros astrônomos que olhavam os céus noturnos com os olhos nus, a humanidade já percebeu estrelas que subitamente ficavam mais brilhosas. Passavam horas, dias, semanas... até meses com um brilho intenso nos céus... e então essas estrelas desapareciam.

Mas, pela primeira vez, o supertelescópio Kepler (aquele que busca por planetas fora do sistema solar) REGISTROU TODO O EVENTO de uma supernova. Desde o aumento de energia, a disparada de neutrinos, o flash inicial, toda a expansão das camadas da supernova... Até o seu final!

O resultado? Esse magnífico vídeo, representando os primeiros 60 minutos da morte de uma estrela:



Agora, os cientistas não precisam mais estimar a curva de liberação de energia. As supernovas são praticamente constantes nos céus, sempre emitindo a mesma luminosidade e quantidades de energia, não importa quão distantes estejam. Essas explosões são tão constantes que são utilizadas como "faróis cósmicos" para os cientistas, nos ajudando a estimar distâncias cósmicas com uma precisão inacreditável para nossa limitada tecnologia.



Isso foi anunciado dia 21 de março de 2016.
No dia 22 de março de 2016, extremistas religiosos explodiram bombas em Bruxelas (mais de 30 mortos, até o momento em que eu estou escrevendo esse post...).
Eu não consigo deixar de traçar um paralelo entre os dois eventos.
Enquanto o Ocidente batalha para avançar sobre as barreiras do desconhecido (nosso verdadeiro inimigo), a pequenez de extremistas do Oriente Médio insiste em manter sua ridícula luta contra "os infiéis".

Quantas pessoas geniais perdemos para o fanatismo religioso?
Quantos "Einsteins" passaram suas vidas lendo "textos sagrados" em vez de aprender e desenvolver as ciências?
Quantas vidas perdemos porque as soluções que essas pessoas deveriam ter descoberto ainda estão na nossa área de ignorância?

Insisto na minha previsão.
A última evolução na nossa sociedade se deu quando separamos a Igreja do Estado. Essa separação gerou o iluminismo e a revolução industrial. O salto na melhora de vida das pessoas foi monstruoso, nos últimos 200 anos.
A próxima evolução na nossa sociedade se dará quando o último crente abandonar sua religião. Quando todos nós aceitarmos que não é feio não ter as respostas mas, sim, é horrível fingirmos que temos as respostas... Nesse dia toda a humanidade estará empenhada em ensinar a próxima geração o máximo de verdades que já comprovamos... E teremos bilhões de pessoas lutando para descobrir um pedacinho a mais da verdade.

Aí, meu amigo... As estrelas deixarão de ser nosso limite.