terça-feira, 26 de março de 2013

Tá ruim pra TODO MUNDO!


Das "expressões internéticas modernas", a que eu mais gosto é "Tá ruim pra todo mundo".

Eu gosto desse meme porque a ideia que ele traduz me parece ser a mais certa de toda a leva de "filosofia de botequim internético".
Essa frase resume o grau de dificuldade que a ferramenta consumismo, utilizada pelo capitalismo, impõe a todos nós.

(Parêntese obrigatório: O Capitalismo nos trouxe até aqui. Ele não é ideal, mas é o sistema "menos pior" que já inventamos.)

Se formos analisar, a situação "tá ruim para todo mundo" mesmo.
Está ruim para negros. E está ruim para brancos, também.
Está ruim para mulheres. E está ruim para homens, também.
Está ruim para homossexuais. E está ruim para heterossexuais, também.
Está ruim para indígenas. E está ruim para "civilizados", também.
Está ruim para animais irracionais. E está ruim para animais racionais, também.
Está ruim para quem não tem dinheiro. Mas está ruim para quem tem dinheiro, também.

Ninguém tem real educação: Segmentamos o conhecimento a tal ponto que "especialistas são aqueles que sabem tudo sobre nada".
Ninguém tem real segurança: Ou somos agentes da violência (no trânsito, na moral, na ética, intelectual, emocional ou no físico, mesmo), ou somos vítimas.
Ninguém tem real estabilidade financeira: É complicado para TODOS se qualificar, conquistar um trabalho, manter-se nele, crescer no mercado e se aposentar bem.
Ninguém tem real acesso à saúde: Nem os poderosos EUA têm um SUS. E, nos países que têm saúde gratuita, ou ela suga a maior parte dos recursos do Estado, ou não funciona. E a saúde privada é a mesma piada no mundo inteiro.

E o pior de tudo é a nossa miopia social: só enxergamos os problemas que nos tocam. No máximo, nos unimos com outras pessoas iguais a nós, para lutarmos contra o problema em comum que conseguimos identificar. E somos tão socialmente míopes, que vemos as pessoas com características diferentes às nossas como "inimigos da causa".

Aliás, essa miopia social não nos deixa ver que o que une de verdade os povos são os seus defeitos. As manias, como o famoso "jeitinho brasileiro". Encontramos outras pessoas que fazem as mesmas cagadas que nós fazemos, e, por isso, as toleramos perto de nós.

Simplesmente não conseguimos notar que "Está ruim pra todo mundo", não só para nós mesmos...