terça-feira, 4 de março de 2014

O que você aprende nos 40's

Esse é um texto de Pamela Druckerman, em tradução livre feita por este que vos escreve. 

Eu gostei porque são dicas de alguém com 40 anos, colocando em perspectiva as coisas que aconteceram na vida dela aos 20 e aos 30. Alguém vivendo o seu próprio tempo, procurando suas explicações e com coragem para deixar o que aprendeu para os demais. Não concordo com tudo. Mas gostei de muitos pontos desse texto.

Se você lê em inglês, clique na propaganda do meu blog e vá ler o texto lá. Se não sabe, eu estava a fim de treinar tradução e fiz essa mão para você. 

----------------------------------------------------------------------------------------------------

PARIS – Se o plano der certo, eu farei 44 anos assim que essa coluna for publicada. Até o momento na minha vida adulta, eu nunca consegui compreender o ponto principal de uma década, até muito depois dela ter acabado. Acontece que eu não estava esperando gastar meus vinte e poucos anos procurando por um marido; Eu deveria estar construído minha carreira e aproveitando meu último suspiro de liberdade. E então eu gastei meus trintas ruminando as minhas queixas acumuladas nos meus vintes.

Desta vez, eu gostaria de usar meu tempo para entender a década enquanto eu ainda estou nela. Entrar na meia-idade em Paris - o epicentro do existencialismo no mundo – não é muito útil. Com sua própria mistura de sutileza e pessimismo, os franceses retalham a meia-idade em "crise dos 40's", a "crise dos 50's" e a "noonday demon" (descrita por um escritor francês como "quando um homem em seus 50's se apaixona pela babá").

Os modernos 40's são tá ocupados que é difícil avaliá-los. Pesquisa descrevem a nova "hora do rush da vida", quando carreira e os momentos críticos na criação dos filhos se colidem. Os profissionais quarentões de hoje são a geração DITT: rendas duplicadas, irmãos dos filhos (Double Income, Toddler Twins).

A literatura existente trata os 40's como uma transição. Victor Hugo supostamente chamou os 40's de "a velha idade da juventude". Em Paris, essa é a idade em que os garçons passam a chamar você de "madame" sem uma piscadela irônica. A sabedoria convencional diz que você continua razoavelmente jovem, mas tudo está decaindo: saúde, fertilidade, a certeza que você um dia lerá "Hamlet" e que aprenderá a cozinhar alho-poró. Entre os meus pares, há um pensamento de "agora ou nunca": nós ainda temos tempo para um segundo ato, mas é melhor nós começarmos a nos mexer agora.

Eu acho que a maior transição dos 40's é entender que nós estamos realmente, improvavelmente, lidando a aprender e a crescer um pouco. Em outros dez anos, nossa "40-alguma coisa revelação" sem dúvida serão ingenuidades ("formigas conseguem enxergar moléculas!" um homem me disse na faculdade).

Mas por enquanto, para consolidar nossas pequenas conquistas, aqui vão algumas coisas que nós sabemos hoje, que nós não sabíamos uma década atrás:

Se você se preocupar menos com o que as pessoas pensam sobre você, você pode pegar uma quantidade impressionante de informações sobre elas. Você não terminará mais uma conversa imaginando "o que acabou de acontecer?". A mente e os motivos das outras pessoas são finalmente revelados.

As pessoas estão constantemente tentando moldar você em como elas te veem. Em alguns casos extremos, eles parecem te transmitir um lema pessoal, algo como "Eu tenho um jeito irresponsável de ser pai"; "Eu ganho em jogos infantis"; "Eu sou autentico e não tento projetar uma imagem!".

Oito horas de sono continuo, sono não medicado, é um dos grandes prazeres da vida. Na verdade, risque "não medicado".

Não existem adultos. Nós suspeitamos disso quando somos jovens, mas podemos confirmar isso somente quando somos nós quem escrevemos livros e vamos à reuniões de pais e mestres. Todos nos perguntamos isso, muitos só não falam.

Não existem almas gêmeas. Não conforme o senso tradicional, pelo menos. Nos meus 20's alguém me disse que cada pessoa não tinha uma, mas 30 almas gêmeas andando pela Terra ("Sim", disse um colega, quando eu contei a ele sobre isso, "e eu estou tentando dormir com cada uma delas.") De fato, "alma gêmea" não é uma condição preexistente. É um título conquistado. Eles são construídos com o tempo.

Você perderá algumas almas gêmeas próximas. Isso vale para amizades, também. Existirão pessoas inesquecíveis com que você dividiu uma excelente noite ou alguns dias. Agora eles estarão morando em Hong Kong, e você nunca mais os verá novamente. E isso é somente como a vida é.

Ceninhas emotivas são cansativas e desnecessárias. Em um casamento muitos anos atrás, um velho cavalheiro britânico me encontrou mal-humorada em um canto e me explicou gentilmente que eu estava tendo uma G.E.S. - uma ceninha emocional medonha (Ghastly Emotional Scene). Nos seus 40's, elas não são mais necessárias. Só para começar, você não será mais convidada para casamentos. E você e seu parceiro saberão seu ritual de argumentação tão bem, que vocês poderão ter uma imensa discussão em um décimo do tempo.

Perdoe seus ex's. Eles estão somente querendo isso, também.

Quando você conhecer alguém extremamente charmoso, seja cauteloso em vez de deslumbrado. Pelos seus 40's, você será melhor em reconhecer narcisistas antes que eles arruínem sua vida. Você saberá que "bom" não é uma qualidade suficiente para começar uma amizade, mas um requisito necessário.

As peculiaridades dos jovens podem se cristalizar em doenças nos adultos. O que é adorável aos 20's pode ser preocupante aos 30's e perigoso aos 40's, você verá os contornos do que será o seu parceiro aos 70's.

Mais coisas em você são universais do que não universais. Meu palpite não científico é que somos 95% iguais aos outros, 5% únicos. Saber disso é um pouco desapontante, e um pouco um alívio.

Mas você encontra a sua tribo. Jerry Seinfield disse em uma entrevista no último ano que sua parte favorita dos Emmy Awards era quando os escritores de comédia estavam no palco para pegarem seus prêmios. "Você vê esses cretinos disformes e eu penso: 'Isso sou eu. Isso é quem eu sou. Esse é o meu grupo'". Pelos seus 40's você não quer estar com pessoas legais; você quer estar com o seu povo.

Simplesmente diga "não". Nunca sugira almoçar com pessoas que você não quer almoçar. Eles ficarão muito menos desapontados do que você imagina.

Você não tem que decidir se Deus existe. Talvez ele exista, talvez não exista. Mas quando você estiver apavorado que a Agência de Segurança Nacional está lendo seus e-mails (e como um estrangeiro francês, que está constantemente quebrando regras culturais não ditas), é melhor não saber se outra entidade está vigiando você.

Finalmente, mais algumas dicas adquiridas nessas quatro décadas de experiências:

Não compre jeans muito pequenos, na expectativa de perder peso logo para poder usá-los.

Se você for convidado para almoçar com alguém que trabalhe com moda, não use sua roupa que "está na moda". Use preto.

Se você gostou do que está no manequim, compre exatamente o que está no manequim. Não tente recriar a mesma combinação por você mesmo.

Está tudo bem se você não gosta de Jazz.

Quando você está imaginando se ela é a filha ou a namorada dele, ela é a namorada.

Quando você está insegura se é uma mulher ou um homem, é uma mulher.