sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Inflação

Posso bater um papo com você um minutinho?
Valeu.
Hoje saiu a notícia de que a Dilma recomendou para o povo que "coma mais aves e ovos para combater a inflação da carne".
Amigo, eu manjo de matemática. E parece que a Dilma não. Deixe eu explicar porque essa declaração foi infeliz.
A inflação não é um fenômeno que acontece por causa do empresário. Não são os comerciantes que inflacionam os preços "porque sim". Inflação é uma resposta do mercado... uma adaptação dos cidadãos à quantidade de dinheiro existente no mercado.
A casa da moeda deve manter em circulação uma quantidade de dinheiro igual ao resultado de produção do país. Como acertar a quantidade de produção do país é quase impossível, os governos mantém uma "meta de inflação": jogam um pouquinho a mais de dinheiro do que esperam que o país produza. Isso é até saudável: dá a impressão de que sempre há dinheiro a ser conquistado no mercado, as pessoas se esforçam mais para ganhá-lo. Isso sem falar que a outra opção seria a deflação. Emitir menos dinheiro que o necessário e começar um cenário de recessão. Um cenário aonde ninguém tem dinheiro, os preços caem porque ninguém compra e as empresas fecham por falta de vendas, demitindo funcionários. Massa sem emprego é massa que não consome e agrava a crise. (Isso foi a grande depressão de 29...)
Portanto, amigo, o que gera a inflação é o GOVERNO emitindo mais dinheiro do que o necessário para o país funcionar.
E porque um governo emite mais dinheiro do que deveria?

O governo emite mais dinheiro porque quer fazer alguma coisa. Precisa do dinheiro e não tem em caixa. Sim, nosso país come uma perna de cada um de nós em impostos. E, mesmo assim, precisa emitir mais dinheiro do que a produção de todos brasileiros.
Pra que?
Olha, amigo. Nos últimos anos construímos diversos estádios por aí. "Foi empréstimo", alguns dirão. Até pode ter sido. Mas que dinheiro foi emprestado? Foi você quem emprestou?
"Minha casa minha vida" financiando grandes empresas (todas patrocinadoras da campanha da Dilma...) para construírem apartamentos de R$40.000,00 que são vendidos a R$ 120.000,00 para pessoas que pagarão em 30 anos... (Se o imóvel durar até lá.)

Dinheiro que entra na economia, sem que haja o lastro do crescimento econômico.
As primeiras empresas que recebem esse dinheiro sem lastro sentem-se ricas: ganham mais e compram com preços "pré-inflação".
Esse segundo nível de empresas, que vendem para as primeiras, já começam a sentir a quantidade de dinheiro a mais no mercado. Muito dinheiro = muita procura. Empreiteiras compram tijolos. Se todas comprarem ao mesmo tempo, as olarias ficarão sem tijolos para vender. Precisarão contratar mais gente, comprar mais matéria prima e... cobrarem mais caro, porque não têm produto sobrando.
A lógica escorre pirâmide abaixo. Quem vende argila para a olaria acaba por cobrar mais caro.
A padaria fica sem pão e cobra mais caro.
O plantador de trigo vê seu estoque sumir e cobra a próxima safra mais cara...

O dinheiro extra acaba sendo "engolido" pelos produtos. Em pouco tempo, a aparente "melhora na economia" se transforma apenas em "mesmos produtos com preços mais caros". Inflação.
No fim, o governo dissolveu os custos da obra que financiou nos preços de todos os produtos, sem cobrar imposto a mais algum. Sim. Foi um assalto ao cidadão.
E quem é que se dá mal nessa história de inflação?
Tal qual uma pirâmide financeira, se dá mal quem está na base. Os últimos para os quais o pagamento inflacionado chega. Porque essas pessoas vivem um tempo com os preços mais caros (porque os outros já estão consumindo com mais dinheiro), mas ainda recebem salários sem reajustes. (Se recebem salários...)

Portanto, amigo, o que a digníssima presidenta (sic) está dizendo é: "Olha aqui seus otários! Gastei mais dinheiro do que deveria. Desvalorizei o seu dinheiro pra fazer estádios, roubar da Petrobras, pagar médicos cubanos, etc... Agora vocês têm que trabalhar para que a produção se iguale à quantidade de dinheiro no mercado. E vão fazer isso economizando e comendo menos carne. E se reclamar faço mais uma vez. Vlws, Flws!"
E para constar: essa prática não é exclusividade da Dilma ou do PT. Enquanto não estivermos em um Estado Mínimo, estaremos sujeitos a este tipo de desmande. A este assalto silencioso.
Ridículo, para não dizer irresponsável e até estúpido.
Menos Estado. Mais liberdade.