quarta-feira, 20 de maio de 2015

Quem manda nessa porra?

A vida, conforme conhecemos, foi feita se adaptando ao meio em que ela existe.
Cada ser possui níveis de percepção proporcionais ao meio em que vive.

E o ser humano não é diferente. Nós conseguimos distinguir distâncias relativas à nossa realidade.
Você sabe mais ou menos quanto é um metro. Quanto é um litro de água. Mais ou menos você sabe quanto pesa um quilo.

Agora, se confrontado com distâncias muito pequenas ou muito grandes, o ser humano se perde. Você sabe o que é um quilômetro. Mas não sabe mensurar isso corretamente. Nem "mais ou menos". Um micrômetro, então? Talvez você nem saiba o que representa essa grandeza.

O mesmo vale para uma tonelada, para um ano luz ou outras medidas muito grandes ou muito pequenas.

É fato científico. Nosso cérebro não lida muito bem quando somos obrigados a calcular dados muito grandes. Nós nos perdemos. Simplesmente abstraímos a quantidade que não entendemos e jogamos esse conceito em um nome.

Mas o fato de "simplificarmos" os conceitos, não significa que eles não continuem sendo complexos. Eles estão lá. Os fatos continuam acontecendo, independente da nossa capacidade de notá-los.

Por favor, esqueça a bobagem exotérica sobreposta à mecânica quântica. A realidade existe. Ponto Final! Na mecânica quântica observar as partículas interfere no estado delas. Logo, há essa dualidade: Se você não observar, talvez ela não exista da forma que você observou, porque quando você observar, você vai interferir na partícula e ela será o que você estiver detectando. Vale a pena estudar mais sobre isso, para não ficar acreditando e repercutindo qualquer bobagem exotérica/quântica por aí.

O que acontece é que nossas vidas são resultados diretos das nossas ações. Tudo que você é hoje é resultado das coisas que você já fez na vida. Das coisas que você escolheu não fazer. Das coisas que você decidiu que outras pessoas decidiriam por você.
E às vezes você é resultado das escolhas dos outros, que impactam diretamente na sua vida, sem que você tenha muitas chances de evitar.

A certeza, aqui, é que não existe nada predefinido na sua vida. Não existe um "destino imutável". As coisas não estão "escritas" para a sua vida.

Eu sei, muitas vezes você pode achar que as coisas simplesmente acontecem na sua vida. Que você é apenas um passageiro na sua jornada por este mundo. Que em todo o seu tempo aqui na Terra, você é um ator com script pronto, imutável.

Mas a verdade é que a cada dia nós construímos mais um pedacinho das nossas vidas. A cada dia nossas escolhas nos jogam em uma direção ou outra. E a verdade é que o nosso cérebro não é bom em estimar o resultado de uma ação feita hoje, daqui um ano, dois anos ou dez anos.
Certamente você sabe que, se comer muito agora, ficará com dor de estômago o resto do dia.
Certamente você sabe que, se não dormir direito hoje, amanhã passará o dia com sono.
Certamente você sabe que, se tomar chuva e frio hoje, ficará gripado na próxima semana.
Alguns de nós até conseguem pensar nas consequências de um a três meses para frente. Conseguem visualizar as consequências das coisas que fazem hoje, daqui 90 dias.

Mas a maioria das pessoas não nota "o que vai colher" nem daqui 10 dias. Essas pessoas geralmente são as que acreditam em "destino". E desconsideram completamente o "Efeito Borboleta".

Não, não existe aquele negócio de "nada acontece por acaso". E, adivinhe só, também "nada acontece por algum propósito"... a menos que você assuma as rédeas da sua vida e passe a fazer ações pensadas, que gerem as consequências que você deseja.

Eu passei muito tempo da minha vida acreditando em destino. Fazendo qualquer coisa hoje e esperando que amanhã brotassem as soluções para os meus problemas por um lance de sorte. Mas foi só quando eu notei que a causalidade é a essência da nossa existência nesse mundo, que a minha vida passou a "dar certo".

Você pode esperar que um milhão de reais caiam milagrosamente dos céus. Mas, convenhamos, é mais fácil ganhar na loteria do que todo esse dinheiro cair do nada no seu colo, né?
Bem, você pode escolher apostar todas as semanas na loteria. Você está decidindo uma ação. E, a partir dessa ação, você pode ter uma consequência positiva: ser sorteado e ganhar o milhão. Mas convenhamos, é mais fácil você ganhar esse milhão trabalhando do que esperando a sorte no jogo.
Bem, você pode escolher trabalhar. Trabalhando você tem um salário, pode escolher economizar. Pode investir o dinheiro. Pode transformar algumas economias em uma carteira respeitável... Abrir um negócio e trabalhar duro até chegar no seu milhão...

Entende o processo? Entender que tudo o que acontece na sua vida é consequência direta de algo que você fez previamente, te dá o poder de escolher com consciência hoje, para colher o que você quer, amanhã.
E tendo essa consciência, você pode escolher melhor. Suas ações são mais frias, mais calculadas. Você para de fazer coisas "porque sim" ou "porque não" e passa a fazer as coisas "porque quer chegar naquele determinado lugar".

Você estuda porque o conhecimento é importante para alguma ação.
Você trabalha porque o resultado do trabalho é importante para alguma ação.
Você trata pessoas bem porque ter essas amizades é importante para alguma ação.
Você passa a escolher melhor seus relacionamentos porque sabe o tipo de pessoa e vida amorosa que quer ter.

Você para de ser vítima dos "acontecimento misteriosos do destino" e passa a ser "mestre de tudo o que acontece na sua vida".

Você começa a prever quando as coisas darão certo ou errado. Sabe que muitas vezes basta o seu trabalho para fazerem as coisas acontecerem.
E também sabe que, quando não consegue alcançar algo que deseja, é porque trabalhou pouco para aquilo. Porque escolheu o caminho errado. Porque o método empregado não foi o melhor.
Você passa a saber que não existe esse negócio de "sorte e azar" e que os seus fracassos são culpa sua. Só sua. Apenas sua.

E isso é até bom. Você pode ser ativo até nessa hora e aprender com seus erros de uma forma completamente honesta. De uma forma também ativa. Você pode recomeçar com a sua experiência. Tentar de outra forma. Procurar outros meios. E, então sim, conquistar seus objetivos.

Porque, no final das contas, quem manda nessa porra aqui é você. Você é quem sabe aonde quer chegar. E, nesse mundo, poucos são os sortudos que contam com alguém mais alem de si próprio para atingir seus objetivos.

Então chegou a hora. O que você quer? E o que você está fazendo para atingir esse seu objetivo?
Quem manda nessa porra?