terça-feira, 7 de abril de 2015

Meritocracia na Educação

Antes de mais nada: cale a boca e faça a porcaria do seu trabalho.

Dinheiro não é um bolo estático, como comunistas gostam de alardear. Para uma "Pessoa A" ganhar dinheiro, não é necessário que a "Pessoa B" perca.
Na verdade, o dinheiro É CRIADO no exato momento em que você AGREGA VALOR a um produto ou serviço.
Você paga R$100,00 por uma tábua bruta. Serra. Plaina. Lixa. Adorna. Instala. No fim, você tem uma prateleira que custa, no mínimo, R$200,00. Esses R$100,00 de diferença foi DINHEIRO que VOCÊ criou, ao AGREGAR VALOR do SEU CONHECIMENTO ao produto inicial.

O mesmo acontece com a fábrica de roupas que transforma algodão cru em camisas macias. Ou com fábricas de celulares que transformam areia, petróleo e metais em iPhones.

O dinheiro é criado nessa transformação. E a cédula serve para guardar o trabalho que você teve, para poder utilizá-lo no futuro. Usá-lo para que? Para poder reconhecer o trabalho de outra pessoa.

Eu não sou inteligente, eu só estudei mais que você;
Eu não sou rápido, só corri mais que você;
Eu não sou forte, só treinei mais que você.
A lógica comunista é tão absurda, que eles não notam que a hora que é efetuada a troca de um produto ou serviço por dinheiro não é uma "soma zero". Você só tem dinheiro porque alguém considerou que o resultado do seu esforço é mais importante do que aquela quantidade de dinheiro que esse alguém tinha no bolso. E você mesmo só aceitou vender o resultado do seu esforço porque considerou que a quantidade de dinheiro dessa outra pessoa é mais importante que o seu esforço.
Depois da troca efetuada, restam duas pessoas satisfeitas, com sensação de estarem mais ricas do que antes da troca. Uma pessoa com um produto ou serviço que julga importante em sua vida. Outra pessoa com um montante de dinheiro guardado para quando precisar utilizá-lo.

Mas não. Comunista só sabe olhar para o montante guardado de quem tem algum dinheiro. Esse comunista não entende porque essa pessoa tem dinheiro guardado.

"Deus nas lacunas" e o comunista já pensa que é pacto com o demônio. Que a pessoa que tem mais dinheiro é algum ser cruel, que só pode ter chego aonde chegou explorando outras pessoas.

O engraçado é que não vemos essa horda de pessoas exploradas, insatisfeitas e obrigadas a consumir o que não querem, com tochas e ancinhos nas mãos, querendo o escalpo do Bill Gates.
Muito pelo contrário, o que vemos é uma legião de pessoas que VOLUNTARIAMENTE entram em lojas, escolhem produtos e efetuam compras. E essas pessoas fazem isso com (às vezes até por) prazer.

O ponto chave, então, para o crescimento de uma economia é justamente o esforço que fazemos para agregar valor a um produto ou serviço. E não se agrega valor fazendo algo que todo mundo consegue fazer. Não existe valor em algo comum. Quanto mais óbvio e cotidiano algo, mais barato é o seu valor. Exemplo? Qualquer um pode plantar alfaces. São como mato, as sementes são baratas... Basta semear a terra e esperar as plantas nascerem. (Existem muitas técnicas, eu sei. Mas são fáceis de aprender e simples de aplicar. Semear alface não é difícil.) Por isso as alfaces são baratas no mercado.

Você quer que seu trabalho valha mais? Você tem que ter mais conhecimento. Tem que acessar aquela ideia que ninguém mais teve. E isso você só consegue ESTUDANDO.

EVIDENTE que até isso os comunistas demonizam. Afinal de contas, para quem não entende o mundo ao seu redor, tudo é ruim é culpa dos outros, não é? As diferenças sociais, para os comunistas, começam já no capitalismo aplicado à escola. Olhe bem a imagem abaixo, tirado da página comunista "Sociedade Racionalista", do facebook:

Comunistas e seu eterno coitadismo...
Porque, ao invés de propor tirar o dinheiro do azul para dar para o rosa,
não garantem que o rosa tenha como conseguir tanto dinheiro quanto o azul?

A imagem direciona o teu pensamento para a ideia de que os filhos de ricos conseguem enfrentar a escola com mais facilidade. Que filhos de pobres não têm as mesmas oportunidades. Que ricos são ricos porque têm dinheiro para fazer seus filhos ricos, também.

Tipo de pensamento que me dá náuseas.

Antes de mais nada, estudo e trabalho são características da CULTURA da pessoa, não do DINHEIRO que ela tem. O dinheiro é consequência direta do sucesso, que é consequência da aplicação da CULTURA de estudo e trabalho.

Não é que o rico só consiga estudar por ter dinheiro e trabalho. É o contrário. Rico só tem dinheiro e trabalho porque estuda.

E NADA impede o filho de um rico ser um relapso nos estudos e um vagabundo para o trabalho. Geralmente esse infeliz acaba sendo um "filhinho de papai" para o resto da vida. A velha história do "Avó rico, pai classe média e filho pobre" já nos conta como é uma família que tem dinheiro, mas perde a cultura do estudo e do trabalho.

Assim como NADA impede uma família pobre entender e passar a utilizar a cultura do estudo e do trabalho.

Amigo, é difícil estudar e trabalhar? 
Vou contar um segredo pra ti: É difícil pra todo mundo.

Não é porque o pai tem dinheiro que a matéria entra mais facilmente na cabeça do filho.

Escolas públicas são piores do que escolas particulares? Engraçado. O conteúdo é o mesmo. Os livros são só objetos e - até onde eu lembro - são distribuídos gratuitamente em nas escolas públicas. Assim como eu sei que existem bibliotecas em cada colégio e em cada cidade.

Resumindo: só não estuda quem não quer.

"Ah Arthur... mas crianças pobres têm que trabalhar desde cedo!"
Amigo, quem quer fazer algo encontra soluções. Quem não quer, encontra desculpas.
Eu mesmo trabalhei durante o dia por anos, enquanto fazia faculdade à noite. Fins de semana? Lendo livros, fazendo pesquisas e trabalhos do curso.

Quem aqui não teve o professor que soltou a fantástica piadinha: "Sem tempo para estudar? O que tu faz entre a meia noite e às seis da manhã? Vai dizer que tu dorme!"
Claro, para estudar não dá pra usar esse horário... Mas para ir pra festas, ficar "de boa" com os amigos ou ficar na internet, claro que dá!

Bem, não importa o que eu vá dizer aqui, né? Mas quem sabe se eu trouxer um exemplo?

Clique na imagem para ler a notícia!
Hoje a Mariana Brito (@marianabritosl, musa do liberalismo brasileiro!), postou essa notícia no Twitter:

Essa é Geórgia.
Geórgia é mulher. Para comunistas, oprimida historicamente pelo machismo que nãos a deixa estudar, trabalhar e agir livremente.
Geórgia é negra. Para comunistas, oprimida historicamente pela escravidão.
Geórgia é nordestina. Para comunistas, oprimida historicamente pela força do capital do sudeste e sul do Brasil.
Geórgia não é rica. Para comunistas oprimida pelo capitalismo.

Geórgia é uma menina com talento, com perseverança e com muita vontade de vencer na vida.

Desde cedo Geórgia se envolveu em projetos com colegas brasileiros e internacionais, pelos quais foi premiada inclusive por Havard.

Hoje, aos 19 anos, Geórgia tem convites para estudar em NOVE universidades norte-americanas. Claro que ela está esperando por bolsas. Porque ela não é rica e, como eu já disse, não tá fácil para ninguém.

ISSO, amigo, é o que acontece com alguém que "cala a boca e faz a porcaria do seu trabalho".

O real comunismo é você entender que VOCÊ tem que ser útil para as demais pessoas. Você tem o DEVER de entregar algo de útil para a sociedade. Os outros estão aí. Criando tecnologias. Estudando para melhorar algum produto ou processo. Tentando facilitar a vida de todos nós.
O dinheiro não é vilão. É só uma tecnologia que quantifica a quantidade de conhecimento que você está aplicando no produto ou serviço que você está dando para outra pessoa.

A Geórgia certamente irá colocar muito conhecimento em cada produto que ela oferecer para todos nós. E pela área que ela quer exercer (biomedicina com computação!) certamente ela mudará a vida de muitas pessoas com tratamentos e remédios!

Parabéns Geórgia. Muito sucesso para você, aonde quer que tu escolha ser teu futuro!