sexta-feira, 21 de outubro de 2016

A Década Perdida

Dê uma boa olhada nesse gráfico.


Tá complicado entender?
Peraí, eu ajudo.

Esse gráfico nos mostra a renda média anual do brasileiro, desde 2002 até a projeção de 2020.
Vocês podem ver que desde 2003 a curva em vermelho subiu, subiu, subiu... A renda média anual pulou de cerca de R$23.000,00 para mais de R$30.000,00 em 2013.

O motivo?
Eu elenco dois:
1) Lula "fez o que deveria fazer, não o que todos esperavam que ele fizesse".
Mesmo com escândalos como o mensalão e o apoio às Empresas X do Eike, Lula manteve uma equipe econômica sólida. Essa equipe "rezou a cartilha" da austeridade. Conquistou a confiança dos investidores externos. O governo auxiliou empresas a fecharem negócios com a China.

2) O Brasil se beneficiou do "Efeito China". Nesse período, o governo chinês bancou obras por todo o país deles. Desde as necessárias (estradas, hospitais, etc...) até algumas malucas (eles construíram cidades INTEIRAS em regiões inabitadas! Cidades que estão até hoje sem população!). E essa onda de keynesianismo SUGOU as commodities do mundo. Ferro, plástico, comida, equipamentos, areia, cimento... A China comprou TUDO O QUE PÔDE! E como o Brasil sobrevive da venda desses produtos básicos, nós nos beneficiamos do aumento do preço desses produtos no mercado externo.
Não que tenhamos nos esbaldado. Ao meu ver, com políticas mais agressivas de flexibilização da CLT, cortes REAIS de impostos e privatizações, nossas empresas teriam sido mais competitivas e nós teríamos enfrentado um tsunami de dinheiro entrando no Brasil. Entretanto, as ações do governo garantiram que o Brasil pudesse "surfar" uma onda de dinheiro extra.

No gráfico dá pra ver, também, a crise imobiliária de 2008 refletindo no Brasil, em 2009.

E esse é um ponto importante a ser ressaltado.

Naquele momento o MUNDO estava redirecionando seu dinheiro para recuperar o sistema bancário. Com menos dinheiro, as pessoas compram menos produtos, inclusive os básicos. NAQUELE MOMENTO a curva já deveria ter começado a mudar para baixo.
Mas o governo interviu e passou a queimar nossas (poucas) reservas em projetos internos. Literalmente ENTUPIU construturas de dinheiro público para fazer os imóveis do Minha Casa Minha Vida e outras obras pelo Brasil inteiro e "nações amigas". (Projetos que hoje estamos vendo que foram superfaturados e objetos de corrupção ativa, através das investigações da Lava Jato...)

Ou seja: a curva até 2008 era próxima do "natural".
Em 2009 ela já sofreu alguma intervenção do governo.
E até 2013, essa curva é completamente artificial.

Ali estamos vendo subsídios nas contas elétricas, preço dos combustíveis congelado, IPI zerado apenas para empresas amigas, etc, etc, etc...

Então, em 2014, o dinheiro acaba. As reservas somem. O governo não consegue mais subsidiar preços. Anos de reajustes necessários são entregues ao povo de uma única vez.
Empresas que eram viáveis no momento de bonança artificial deixam de conseguir se manter e vão à falência. 
Milhões de desempregados.

Quer saber porque a Dilma sofreu impeachment?
Porque as políticas keynesianas são excelentes enquanto existe dinheiro para mantê-las. Enquanto o governo pode bancar, sobra dinheiro no bolso do povo e amamos o governo.
Mas quando o dinheiro acaba, o governo nos apresenta a "conta" dessa bonança. E nessa hora temos que pagar o acumulado de todos os anos de riqueza artificial.

Some a esse modo infantil de conduzir a economia todos os anos de corrupção e roubalheira descarados promovidos pelo PT e você começa a compreender porque foi necessário retirar o PT do poder.

A infantilidade e cara de pau eram tantas que o PT MAQUIOU as contas para não mostrar aquela reta entre 2014 e 2015. Quando nossa renda anual média passou de R$30.000,00 para R$28.000,00.

E sabe qual é o problema em MAQUIAR as contas? É que a matemática é evidente, exata. Se você souber olhar os números, você sabe o que está acontecendo. Mesmo que a outra pessoa minta pra você, você consegue ler o que está errado.

O mercado externo notou que as coisas estavam mal no Brasil.
E, por isso, os investidores tiraram o dinheiro daqui. O que só aumentou nossa crise interna.
De economia de investimento (aquela que o investidor deixa o dinheiro por anos na economia para tirar dividendos), passamos a economia de especulação (aquela que o investidor coloca o dinheiro pela manhã e tira durante a noite, só pra tentar tirar um lucro na flutuação do dia).

Eu ODEIO o PMDB e, por mim, terminava o partido inteiro hoje mesmo.
Não esquecendo de cassar os direitos políticos de todos os filiados.

Mas o Temer assumiu a presidência e - ainda provisoriamente - a primeira coisa que fez foi eliminar a maquiagem das contas públicas e RECONHECER A DÍVIDA BRASILEIRA. Primeiro passo para reconquistar a confiança do investidor externo. Assumindo que estamos devendo, podemos criar um plano para pagar a todos. E esse plano, para todos que sabem ler os números, nos custará pelo menos uma década de muito trabalho e muitos impostos.

Some à esta década de "trabalho para pagar a dívida que o PT nos deixou" mais dez anos de retrocesso, que podemos ver ao comparar a renda média anual prevista para 2020 e a renda média anual de 2010, ambas próximas de R$29.000,00.

Você gosta de fábulas?
Pois bem, austeridade Vs keynesianismo é igual à fábula da "Tartaruga e do Coelho" ou à fábula da "Formiga e da Cigarra".
Austeridade é o "devagar e sempre". O "Devagar se vai ao longe". É a tartaruga concentrada em dar um passo de cada vez no ritmo certo para chegar no final da corrida. A formiga concentrada em juntar comida no verão para enfrentar o inverno de barriga cheia. Você gosta de SUSTENTABILIDADE? Então, a austeridade te dá isso. Pode demorar para conquistar certo patamar. Mas quando você chega lá, não depende de nada para se manter naquele lugar. O que você conquista É SEU.
Keynesianismo é tão bonito no início. Você sai correndo na frente, você tem recursos de sobra para passar o dia cantando e brincando. Mas sempre chega a hora da auto-confiança excessiva. O inverno do "o dinheiro acabou" sempre chega. E nessa hora a realidade bate à porta. A tartaruga da austeridade passa pelo coelho do Keynes. A cigarra do Keynes precisa bater na porta da formiga da austeridade.

E aí, amigo?

Bem... Apenas no dicionário o Sucesso vem antes do Trabalho.

É nossa hora de baixar a cabeça, arregaçar as mangas e TRABALHAR.