terça-feira, 18 de junho de 2013

Foco das Manifestações

Ontem, dia 17 de junho de 2013, na TVE (Nacional) e na TVCom (RS), "líderes" das manifestações deram entrevistas.
E o que mais deu para perceber é que estes imberbes mal sabem o que querem.

Pior: além de não saberem o que querem direito, não sabem argumentar para sustentar as suas posições.

Sinceramente, eu larguei de mão uma das entrevistas, quando escutei "...a luta do proletariado contra o capital...".

Bem, se vocês não sabem o que e como reivindicar, eu posso ajudar. Eis a pauta completa. Justificativas, argumentações e as soluções esperadas. Ponto a ponto.


1 - Moralização da Política - Fim da Corrupção.
Não adianta, isso é a base de todo o movimento. Chega, cansamos de políticos corruptos, roubando descaradamente e beneficiando seus amiguinhos com cargos de confiança.

Chega de negociatas. Chega de "uma mão lava a outra" no parlamento e entre os poderes. Chega do executivo e do judiciário criarem leis, do legislativo e do executivo quererem desmandar a justiça e da justiça e do legislativo mandarem no executivo.
E, por favor, chega de igrejas nos poderes.

Queremos o arquivamento imediato da PEC 37. Quem não deve, não teme. Quem não deve publica seu salário e seus gastos. Deixa claro para todos tudo o que tem e tudo o que recebe.
Aliás, chega de altos salários para os políticos. Salário mínimo para todos. No máximo, ressarcimento ou ajuda de custos para moradia, transporte, etc... Ninguém aqui no Brasil é rico o suficiente para manter essa estrutura faraônica em que os nossos políticos vivem. Todo aumento de salário deles deve ser vinculado ao aumento do salário mínimo. Querem ganhar mais, políticos? Façam a economia girar alto para poderem aumentar o salário mínimo.

Aliás, políticos e suas famílias devem ser proibidos de utilizarem serviços privados que têm correspondentes públicos. Chega de Sírio-Libanês ou Albert Einstein para tratar doenças de políticos. O câncer do Lula deveria ter sido tratado em hospital público, pelo SUS. Os filhos de políticos devem estudar em escolas públicas. Todo político só deve ter contas bancárias em bancos públicos e aqui no Brasil. Chega de contas em paraísos fiscais.

Os condenados do mensalão devem começar a cumprir suas penas imediatamente. Chega de recursos em liberdade. Chega de imunidade parlamentar. Chega de cela especial. Espera-se mais responsabilidade de quem tem curso superior. Quem tem consciência do que estava fazendo merece total rigor da lei.
Aliás, todos os políticos (em exercício ou não) que sabemos que fizeram coisas erradas no passado (como o Maluf, por exemplo), devem esperar o julgamento dos seus recursos na cadeia. Bem longe das nossas urnas ou de quaisquer cargos.

Chega de alianças partidárias. Cada partido que defenda o seu ideal. Ideais diferentes que sejam defendidos separadamente. Nada de união de siglas só para aumentar o poder. 

O Estado deve ser submetido ao Estatuto do Consumidor, no que tange a prestação de serviços. E os responsáveis em cada esfera devem responder pela falta de qualidade ou não prestação de serviços que os clientes (população) pagaram, através de impostos.

Que os políticos exercitem mais a honestidade. Caso seja descoberta irregularidades, os demais políticos que sabiam do esquema devem ser punidos com a mesma pena. Para exercitar a denúncia de colegas desonestos.

Os políticos devem compreender que eles não foram eleitos para serem nossos reis. Eles são nossos funcionários e assim devem se comportar. Parem de esbanjar nosso dinheiro com bobagens e passem a cuidar das pessoas que pagam os seus salários.

Políticos que fazem projetos que ferem diretamente os direitos constitucionais do povo (como ESSE) merecem a demissão compulsória. Se todos os cidadãos devem saber as leis vigentes do país (ninguém pode alegar ignorância de leis perante o juiz), quem as faz, cumpre e faz cumprir têm o dever de sabê-las de cor.

Fim da estabilidade de emprego para servidores públicos. Chega de amadorismo na gestão dos serviços públicos. Instituição de ISO e procedimentos de medição de desempenho. Profissionais que estiverem abaixo da meta de produtividade devem ser demitidos e suas vagas devem ser abertas para o próximo concursado. 
Fim imediato de todo ou qualquer cargo de confiança. 
Os únicos cargos públicos que independam de votação ou concurso que podem existir são os de consultores especializados. Isso caso seja comprovado que a pessoa em questão é a única capaz de prestar os serviços de conhecimento indicados. Estes serão contratados por tempo determinado e também terão suas metas a serem atingidas.


2 - Priorizar investimento na Educação.
Chega de escolas ruins, currículo defasado, professores mal pagos, material didático partidário, de má qualidade ou inexistente. Escolas em tempo integral. Mais equipamentos para aulas de ciências, geografia, estudos sociais, matemática, etc... Cursos extra-curriculares de música, esportes, artes, técnicos e humanos. Mais centros de educação para a comunidade, com cursos abertos para a população. Grupos de leituras de livros.

Completa isenção de impostos para a produção, distribuição e venda de todo ou qualquer tipo de impresso. De periódicos do bairro, jornais, revistas, livros, enciclopédias, etc... Desde o corte das árvores até a entrega do livro nas mãos do leitor.

Que os salários e os recursos oferecidos aos cargos de professores incitem ao desejo de lecionar, até mesmo nos profissionais que não lecionam e são extremamente bem pagos. Que os maiores concursos públicos efetuados sejam as provas de seleção para professores. E que, mesmo com salários maiores até do que os políticos, os professores tenham bonificações por desempenho e metas conquistadas.
Evidentemente, que os professores que não cumprirem suas metas sejam demitidos, como todo funcionário público. Chega de amadorismo e descaso.

Queremos mais escolas referência, em mais cidades. Chega dos alunos precisarem se deslocar quilômetros para estudar. O investimento não é em ônibus mas, sim, em prédios próximos.


3 - Manter Estabilidade Econômica.
Austeridade, se preciso. O povo brasileiro está acostumado com os juros altos e não nos importamos tanto com empréstimos caros, caso isso seja necessário para mantermos a inflação sob controle.
Só não podemos retornar ao patamar de inflação Pré-Plano Real. O Brasil já está globalizado e, desse ponto econômico, só queremos melhoras.
E, por favor, nada de "isenções de impostos" para gerar resultados positivos artificiais na nossa economia. Ou vocês, políticos, acham que somos burros e não notamos a manipulação do IPI para gerar mais vendas e aquecer a economia?

Queremos uma reforma nos impostos. Pagamos demais. Pagamos diversas vezes o mesmo imposto, para o mesmo produto, em fases diferentes de sua produção, transporte e comercialização. Chega de exploração. Imposto Único já! Atualização dos valores de deduções de imposto de renda. Sistema mais inteligente, que cobre do contribuinte apenas pelos serviços que ele usa! Contribuinte que não use o SUS, por exemplo, que não pague pela saúde pública. Contribuinte que não use a educação pública, que não pague por ela.

Com menos arrecadação, sabe qual é o "milagre" para poder oferecer tantos serviços e com mais qualidade? Simples: PAREM DE ROUBAR OS COFRES PÚBLICOS.

Chega de licitações fraudulentas. Chega de se aproveitarem de calamidades públicas para contratarem serviços de empresas de amigos a preços irreais.

Importante frisar que é aqui que estão os "R$0,20". Esse aumento abusivo na passagem de ônibus em São Paulo (e no Brasil inteiro) é fruto da inflação gerada pelas obras da copa, dos empréstimos do BNDS e da Caixa, do dinheiro do Bolsa Família e de aumentos de salários dos políticos fora da realidade.
O Governo ligou a "maquininha de imprimir dinheiro" e colocou no mercado dinheiro que não existia. E, pior, só para benefício próprio. Seja diretamente com os aumentos dos seus próprios salários ou através de ações (Minha Casa, Minha Vida e Bolsa Família) e obras feitas só para se auto-promover. 

Sim, Governo. Muitos de nós já sabemos que o dinheiro do programa "Minha Casa, Minha Vida" é uma manobra para que as classes média e baixa gostem mais de vocês. E o Bolsa Família é "dar o peixe" para os mais pobres, ao invés de "ensiná-los a pescar".
ISSO é violência. ISSO é um soco na cara dos cidadãos de bem. Nós queremos ter meios de trabalho que nos permitam comprar as nossas coisas. Não queremos que o "papai governo" nos dê tudo de mão beijada.

Esse dinheiro todo gerou inflação. Vimos essa inflação no tomate, no leite, na carne... e, agora, nas passagens de ônibus.

Chega, ok? Se os políticos que estão no poder querem se manter lá, que mantenham e melhorem a nossa economia. Queremos estabilidade e meios para crescermos enquanto profissionais e pessoas. Chega de fingir que os pobres estão saindo da linha da pobreza, injetando dinheiro na conta deles e diminuindo o valor considerado como "linha da miséria". Queremos que essas pessoas aprendam um trabalho e lutem por seu dinheiro. E acredito que até os beneficiários do Bolsa Família acabarão concordando que esse é o melhor caminho, depois que notarem os resultados.

Uma boa economia não se mede pela satisfação gerada pelas compras dos indivíduos mas, sim, pela dignidade que cada pessoa adquire, após notar o seu trabalho bem feito.


4 - Investimentos na Saúde.
Pessoas morrem todos os dias. E nossos ancestrais vivam trinta anos em média.

Mas, graças aos avanços científicos nas áreas médicas, já somos capazes de viver três vezes mais que nossos antepassados. Alguns de nós já conseguem viver quatro vezes o que nossos ancestrais viviam.

Queremos ter acesso a estes avanços científicos nas áreas médicas. Simples assim.

Todos nós sabemos que vamos morrer. É única certeza da vida. Mas muitos de nós não conseguem prolongar um pouco mais suas vidas, por falta de acesso à saúde adequada.
O famoso "pessoas morrem nas portas dos hospitais".
Queremos o fim disso.

Criem carreiras para os profissionais da saúde. Criem centros médicos especializados regionais, em cidades de médio e pequeno porte, para acabar com a "ambulancioterapia". Esses médicos seriam transferidos de hospital para hospital, tal qual gerentes de bancos são transferidos para atenderem a demandas.
Remunerem melhor os médicos. Sinceramente, quando EU estiver sendo operado, não quero que o médico esteja desconcentrado, pensando em como pagar uma de suas contas, etc... Quero ele bem tranquilo, focado na resolução do meu caso de saúde. Acho - é só suposição - que todos no Brasil querem o mesmo.


Queremos que estes centros médicos possuam os melhores equipamentos. E que estes equipamentos tenham manutenção periódica adequada. Não é pedir demais, né?

Queremos protelar o inevitável o máximo de tempo que conseguirmos. Seja por medidas reativas às doenças ou por medidas preventivas. Então, não são só as emergências, cirurgiões e médicos especialistas que devem ser priorizados. Queremos assistentes sociais, nutricionistas, dentistas, equipes de saúde pública, vacinas, etc... disponíveis para toda a população. Bem remunerados e bem equipados. Sempre.

E que estes profissionais não tenham estabilidade em seus empregos. Como todo funcionário público, queremos que tenham suas metas a bater. Se o desempenho for satisfatório, que sejam bonificados. Se o desempenho for ruim, que sejam demitidos. Aos desinteressados, rua. Às vagas, os profissionais que querem trabalhar.


5 - Investimentos em Segurança.
Chega de falta de segurança. Mais policiais, melhor armados, melhor equipados, com mais treinamento e com mais autonomia.
Que os policiais sejam incentivados a serem pró-ativos. Que eles saibam a legislação "na ponta da língua" e a defendam ferrenhamente.

Eu gosto muito do resultado do projeto que Nova Iorque implantou na década de 80: Nesta cidade, os policiais não precisam ter motivo para parar um cidadão e revistá-lo. E os cidadãos sabem disso. Todos os dias, diversas pessoas são paradas e revistadas. Perguntas de rotina são feitas. Através da pró-atividade dos policiais, eles identificam suspeitos e tiram de circulação drogas, armas e ladrões, constantemente. Nem que, para isso, tenham que parar alguns cidadãos de bem. Nós, cidadãos de bem, não devemos nada. Podem nos revistar sempre que quiserem. Se esse é o preço para garantir que os meliantes sejam retirados da rua, aposto que todos concordarão em pagá-lo.

Policiais devem ter metas a cumprir. Metas de trânsito seguro, de menos violência, etc... 
Assim como todo funcionário público, os policiais que ficarem acima da média devem ser bonificados. E os que ficarem abaixo da média, devem ser demitidos.

Mais cadeias e presídios. Mas queremos instituições penais voltadas à correção dos apenados. Não à vingança e degradação humana. Celas em padrão norte-americano, para duas pessoas no máximo. Ambientes limpos, atividades educacionais e laborais para os apenados. De preferência que essas atividades laborais paguem pela estadia do presidiário na cadeia. Tem muito acostamento de estrada precisando de capina, Brasil a fora. Foco na ressocialização do infrator.
Políticos, por favor, parem de chamar de "prisão" essas verdadeiras "escolas do crime" que vocês criaram.
Façam das prisões lugares legais, onde os seus colegas que já foram condenados consigam cumprir suas penas.

Mas o investimento público em segurança não deve ser apenas reativo. Todas as grandes nações do mundo possuem escritórios de polícia nacionais. Unidades de inteligencia, prontas para se coordenarem com as polícias federal, estadual, militar, civil, guardas municipais e até mesmo o exército. Um centro de logística para desmantelar as facções criminosas organizadas. Sejam estas organizações violentas (como as de drogas ou gangues) ou "do colarinho branco".
Essa polícia preventiva, de ações estratégicas, deve ter autonomia total e jurisdição superior à todas as demais polícias. Uma verdadeira CIA, FBI, KGB ou Scotland Yard. Só que brasileira.

Queremos um país onde possamos sair às ruas, sabendo que voltaremos para a casa em segurança.


6 - Investimentos em Infra-Estrutura.
Já falei de escolas e hospitais maiores, melhores e com mais equipamentos.
Já falei de mais delegacias, mais armas, mais equipamentos e mais treinamento para os policiais.

Transporte Público de qualidade. Metrôs subterrâneos, elevados e trens urbanos. Preços justos pelo serviço prestado. Não me importaria de pagar R$3,20 caso nossos ônibus fossem de primeiro mundo. 
Vias mais largas, melhor sinalizadas e com constante vigilância. Principalmente para coibir os maus motoristas, motoqueiros que insistem em andar por entre os carros e pedestres que não sabem se portar nas ruas.

Cidades melhor planejadas. Exemplo? Tirem todos os serviços do centro. Espalhem pela cidade vários escritórios que ofereçam o mesmo serviço. Aumentem os horários de atendimento. Criem o terceiro turno em bancos, repartições públicas e serviços essenciais. Isso cria mais emprego e faz com que a cidade não emperre pela manhã, ao meio dia e no final da tarde.

Criem uma malha ferroviária nacional URGENTEMENTE. Parem de superlotar nossas estradas com caminhões. Enquanto um trem carrega dezenas de contêineres, um caminhão só carrega um. E esse caminhão exige atenção total do motorista em mais horas de trabalho do que um ser humano é capaz de suportar. Esses caminhões são a causa da deformação excessiva das nossas estradas. E, pior: esses caminhões são as maiores causada de MORTE nas estradas.

Parem de matar as pessoas nas estradas, por favor!

Queremos aeroportos melhores. Melhor equipados. Com mais logística de vôos. 
Descentralizem os vôos de São Paulo, poxa vida! Ou, então, criem mais aeroportos nessa cidade.

Queremos portos maiores e melhores, para que produtos não se percam nas filas imensas de caminhões, formadas a cada safra colhida.

Queremos um serviço de comunicação melhor. Televisão, celulares, rádio e internet. Nem que, para isso, tenhamos que desenvolver o programa espacial brasileiro. Nem que para isso, tenhamos que construir nossos próprios satélites. Nem que, para isso, tenhamos que desenvolver foguetes para mandá-los para o espaço.

Chega de amadorismo. Nós trabalhamos feito condenados durante o dia E estudamos demais, durante a noite. Queremos mais recursos, para podermos aprender mais, para podermos construir mais.

Queremos ser primeiro mundo definitivamente. E isso passa por vocês, políticos, pararem de roubar descaradamente. Pararem de só se importar com as próximas eleições. Pararem de dar esmolas para gente.

Queremos dignidade, queremos qualidade de vida. Queremos que o Brasil assuma o seu posto dentre as nações mais desenvolvidas do mundo.

Porque nós somos criativos, sonhadores, esforçados e trabalhadores. Nós temos qualidade em tudo o que fazemos. Nós nos importamos com o meio ambiente e com as próximas gerações. Nós queremos um país para todos, só que de verdade.


-------------------------------------------


Basicamente, é isso o que eu consigo compilar de todas as manifestações. Tem muito mais coisas, certamente. Mas acho que essa relação já é um bom início. E, talvez, este início já faça com que outros problemas sejam descobertos e solucionados, no caminho.

Não concorda só com estes pontos? Não concorda com algum ponto específico? Achou que eu esqueci algo ou tem uma ideia melhor para algum dos problemas que eu citei?
Amigo, não sou dono da verdade, sou só alguém esforçado em melhorar as coisas, como você. Vá ali nos comentários e deixe as suas contribuições!