sábado, 15 de setembro de 2012

~Acidentalmente~ Enfiar Minha Mão na Tua Cara!

É amigos, estou dando um tempo nas minhas férias para trazer para vocês um exemplo.

Um exemplo feio, totalmente recomendável que vocês não sigam e, obviamente, repreensível até a última instância.

Mas, ainda assim, um exemplo. Um exemplo de algumas coisas que eu venho falando a muito tempo, e parece que ninguém capta.

Primeiro, vamos ao fato feio. Um alguém, a quem não quero adjetivar para evitar escrever bobagem com a cabeça quente, no ápice de sua capacidade de compor pensamentos complexos, twittou o seguinte, na sexta a tarde:


Primeiramente, escrever esse texto não está sendo nada fácil.
Não sou pai. Não tenho instinto paterno. Aliás, sequer quero ter animaizinhos de estimação por perto.

Mas, mesmo assim, ler o que o magrão escreveu ali foi revoltante!

Vou começar imaginando que isso foi alguma espécie de piada. Piada de extremo mau gosto, claro. Uma infeliz combinação de palavras. Onde já se viu falar em primeira pessoa, indicando um ato claro de pedofilia, mostrando prazer em um ato contra um ser completamente indefeso?

Se isso é uma piada, por favor, me definam o que é uma "piada", nos comentários. Porque eu uso outro sentido completamente diferente disso aí, para piadas. O que esse cara fez passou completamente dos limites do que eu considero que seja uma piada.

Aliás, falando bem seriamente, essa manifestação cabe, como uma luva, em outro conceito: o do doente mental que se transforma em estuprador.
Sim, doente mental. Embora muitos vejam um cara que fala esse tipo de coisa como um "bobalhão que quer aparecer", eu já desconfio da sanidade mental dele. Eu acho que a segurança pública deveria, sim, monitorar esse tipo de comportamento. Procurar pessoas que efetuam esse tipo de "brincadeira". Convidá-los compulsoriamente a se apresentarem para uma bateria de consultas e exames psicológicos. Obrigá-los a tomarem remédios, efetuarem tratamentos ou, até mesmo, ficarem internados até que esse tipo de pensamento anômalo, doente e contra as convenções sociais, tenha fim.

Porque, se a polícia dos EUA tivesse suspeitado das duas mil balas que o assassino do cinema norte-americano comprou pela internet, talvez as pessoas daquela primeira sessão do Batman ainda estivessem vivas...

E, se acaso conseguíssemos detectar pessoas com esse tipo de desvio comportamental, talvez muitos abusadores infantis, pedófilos e estupradores simplesmente não se desenvolvessem.

Porque, convenhamos, só um verdadeiro doente mental estupra.

A internet parece uma terra sem lei. E essa aparente falta de regulação mostra, exatamente, o que cada pessoa nesse mundo é, na verdade. A internet ajuda a expor cada detalhe sórdido da personalidade de cada pessoa. Assim como você pode notar que eu sou um perfeito ditador moralista, podemos ver perfeitamente quem é um serial killer, maníaco sexual, etc...

Basta que as autoridades parem de se preocupar apenas com downloads ilegais e os lucros dos seus lobbystas, e passem a se preocupar com a segurança pública, só para variar...