terça-feira, 11 de setembro de 2012

11 de Setembro: o 9/11

Onze anos atrás eu tinha 18. Era terça-feira. Eu estava na casa da minha avó (como agora!).

Havia um ponto da TV via satélite no meu quarto. DirecTV na época, ainda, se a minha memória não falha.

Então, cedo ainda, meu pai entra no quarto, liga a TV, berrando: "olha isso!!"

Bem, meu pai gosta de filmes de ficção. Alguns até de qualidade extremamente duvidosa. Quando eu irrompo do meu sono, olho a TV e vejo uma das torres do World Trade Center soltando fumaça, logo pensei: "Caralho! O que o meu pai tá me acordando para ver filme ruim?".

Aliás, já estava pronto para reclamar. Xingar. Porra, pra que acordar o cara tão cedo! Ainda mais por causa de um filme tão idiota!

Foi então que eu notei que o canal que meu pai colocou foi a CNN. "Porra, a CNN é notícia, não filmes!"

Conforme fui acordando, fui notando a cena absurda, que todos nós assistimos.

Eu não sou um teórico da conspiração. Aliás, nem gosto de tantas conspirações que estão por aí. Acho que a alta quantidade de conspirações faz com que todas percam a credibilidade.

Mas também não gosto de coisas ilógicas. Gosto da explicação correta, do modo de ver o mundo mais exato o possível.

E, desculpem-me os pacíficos, existem algumas coisas no atentado de onze de setembro que simplesmente não fazem sentido.

Olhem esse vídeo, aqui:


Eu fico muito incomodado com o modo que todos os prédios desabaram. Uma das torres recebeu um avião na diagonal. Mas, mesmo assim, implodiu perfeitamente. Não caiu para nenhum lado. Não caiu uma parte do prédio para um lado e outra parte para outro lado. Não sobrou um pedaço de prédio, como se fosse uma ruína. Não, nada disso. As torres caíram, ambas, como se estivessem sido implodidas, perfeitamente.

"Ah Arthur, mas um avião bateu em cada torre! O peso do Avião deve ter derrubado as torres!"

Cara, primeiramente um avião não pesa tanto assim, para que só o seu peso derrube um prédio. Aliás, se você notar direito as colisões, verá que o avião entra inteiro nos prédios. Não "sobram" asas para fora dos prédios. Assim como os aviões não trespassam as torres. O dano efetuado pelos aviões nas torres foi localizado do meio até a borda de penetração dos aviões.

Quase como dar uma machadada em uma árvore, ferindo-a somente até o meio. A tendência é que o prédio  se "dobrasse" no ponto em que o avião o feriu, jogando uma parte do prédio para um lado e, talvez, até mantendo alguma estrutura do prédio em pé.

Mas não. Você, eu e o mundo inteiro vimos implosões.

E o que falar do vídeo ali em cima? O prédio sete sequer foi atingido por algum avião.

Enfim, essa situação toda cheira muito mal. Gente morreu ali. E, convenhamos, a queda das torres coincidiu exatamente com o momento em que o Iraque passou a vender petróleo para a zona do Euro, em vez de vender para os EUA. A queda de Saddam permitiu que os EUA retomassem o lastreamento do Dollar por petróleo do Iraque, enfraquecendo o Euro.

Mas esse é um mistério que, talvez, jamais saberemos a verdade.