segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Retrospectiva 2012!

Então, é hora do tradicional texto da retrospectiva do ano que passou.

E 2012 foi um ano com muitos acontecimentos impressionantes.


Como sempre, tentarei dividir a retrospectiva em vários grandes grupos, aninhando por área as coisas que aconteceram. Ano passado ficou legal... Vou me esforçar para repetir a dose este ano!


Este foi o ano do fim do mundo maia. Como sempre, o fim do mundo não aconteceu e todo o pânico gerado tornou-se injustificado.

Aliás, se formos pensar em 2012 como um todo, este não foi um ano de tragédias. Claro, não serei nenhum idiota de dizer que o ano foi perfeito e que o mundo apenas melhorou. Mas, se formos lembrar do ano inteiro, não houve nenhuma tragédia de comoção mundial. Nenhum tsunami, nenhuma erupção vulcânica, estamos nos recuperando da crise econômica mundial, nenhuma super-doença assolou o mundo, não fomos invadidos por alienígenas e, é claro, os maias mostraram-se errados.

Se formos contar as tragédias, elas se deram em níveis muito menores do que em anos anteriores. Mais localizadas. E eu diria, até, que algumas já eram esperadas.

Quer ver, por exemplo, a listagem de celebridades que nos deixaram?

Neste ano, infelizmente, muitas pessoas famosas morreram. Como foram muitas, vou citar só as que eu acho que geraram mais comoção.
Neil Armstrong. Pode até existir a discussão se o homem foi ou não à Lua. Mas o nome deste bravo astronauta estará marcado para sempre na história.
Millôr Fernandes. Um dos gênios brasileiros, enfrentou e venceu a ditadura militar.
Chico Anysio. Outro monstro da comédia nacional. Junto com ele, perdemos mais de cem personagens memoráveis, que faziam parte da nossa vida.
Michael Clarke Duncan. Falando em ator, essa foi uma perda mundial. O gigante que representou memoravelmente o personagem John Coffey em "À Espera de um Milagre".
Eduard Khil. Trololó. Se você não sabe, essa música possuía uma letra de protesto forte, contra o governo russo socialista. Evidentemente ela foi censurada. E Eduard - brilhantemente - substituiu a letra por "Trololó", para apresentá-la em público, quando todos já sabia a letra de cor!
Hebe Camargo. Você pode achar que era bobagem ver a sua mãe e avó assistindo à Hebe toda semana. Mas ela foi a precursora de programas femininos de verdade, na TV brasileira. E, vamos combinar: Hebe Camargo >>>>>> Abismo >>>>>> Oprah Winfrey.
Oscar Niemeyer. Arquiteto reconhecido internacionalmente. Ele pensou e projetou nossa capital nacional. Além de tudo isso, havia o mito de que ele era imortal.
Dona Canô. Mãe de Caetano Veloso e Maria Bethânia. Mais conhecida pelo amor que seus filhos famosos nutriam por ela, temos que reconhecer que algo de especial ela fez, para ter dois filhos talentosos. Claro, além disso, também havia o mito de que ela era imortal.

Vocês conseguiram notar? Pessoas importantes, sim. Mas pessoas já com certa idade e com problemas de saúde conhecidos... Evidente que fica-se triste, mas eram tragédias esperadas...


E, se formos falar em tragédias não esperadas, vamos falar do que? Do Costa Concórdia? Um cruzeiro que tombou em águas rasas, por incompetência e irresponsabilidade do seu capitão? 

Ou aquela pataquada do Koni? Um suposto terrorista tribal Africano, que raptava crianças para entrarem para o seu exército e que, depois, mostrou-se só uma brincadeira de extremo mau gosto?

Sério que ISSO é a tragédia de 2012?

Eu tenho tanta certeza que 2012 foi um ano de tragédias localizadas, porque eu posso falar disso no meu plano pessoal. Aliás, nem é no pessoal inteiro. Só no plano amoroso. Eu fiz a maior burrada da minha vida. Troquei o certo pelo duvidoso. E o duvidoso só me fez ver o quanto eu preciso do certo.
Espero que as pessoas citadas entendam, já que nenhuma das partes gosta de exposição...
Mas, quem sabe, né? Eu acredito em trabalho duro para contornar as situações adversas. Talvez essa sequência de burradas minhas, somadas a trabalho duro e um coração bom, resultem em um futuro ideal.

Mas eu não posso me queixar da minha vida, em 2012, de modo algum. Exemplos? Lembra que eu falei em 2011 que, no trabalho, eu estava sentindo que fazia a diferença? Então, em 2012 esse sentimento só foi confirmado. A empresa criou um setor de Gestão do Produto, que está organizando todos os nossos processos. Esta organização já está se refletindo em um aumento gigantesco na qualidade. E mais qualidade significa mais... dinheiro! Hehe!
Por falar em qualidade / dinheiro, quero falar algumas linhas sobre este Blog e o quanto eu sou agradecido a cada um de vocês que vêm aqui ler o que eu escrevo.
Ano passado eu fiz o projeto de 2012. E, nesse projeto, vi que haviam muitos dias nos meus meses. Sim, eu estou naquele ponto salarial em que eu não posso fazer tudo o que eu quero do dia para a noite, mas sobra algum dinheiro para fazer algumas coisas, em cada mês. Assim sendo, minha grana para "realizar o plano" acabaria antes do mês. E, nesse tempo, eu surtaria se não me envolvesse com algo. E deveria ser algo que eu não gastasse nada, para que sobrasse mais dinheiro para "realizar o plano". Olhei para o Ponto Final e pensei comigo mesmo: "Porque Não?"

Bem, amigos. Em primeiro de janeiro de 2012, eu tive 12 visitas ao Blog. Provavelmente umas 4 foram eu mesmo, entrando para saber se alguém havia acessado. Como o dia 31 não acabou ainda, dia 30 eu tive 1.864 acessos. Isso porque domingos e feriados acabam com meus acessos. E ontem foi domingo no meio de um feriadão. Minha média está em torno de 2.300 por dia. Quase 90.000 acessos por mês!

Disso tudo, eu só tenho que agradecer a vocês, amigos. Cada um que compõe estes números. O Ponto Final só existe por causa de vocês. Prometo o empenho em 2013, para tentar fazer um Blog cada vez melhor, com mais opiniões, mais imagens, mais vídeos, músicas... Mais conteúdo e mais divertido para cada um de vocês.

É, amigo, insisto que 2012 foi um bom ano.

Eu não tenho mais ilusões com esporte. A cada dia que passa, eu noto mais e mais que o capitalismo e o consumismo tomaram o cenário desportivo. Não existe mais festa, não existe mais confraternização. Tudo é só um bom negócio, onde quem consegue mais patrocínio tem mais dinheiro e, com esse dinheiro, conseguem fechar melhores negócios. E bons negócios traduzem-se em títulos, que é o que o consumidor-torcedor quer "comprar", no final das contas.
Duvida disso? Veja o Corinthians, por exemplo... Um projeto de negócios que começou lá em 2007, com o Ronaldo voltando para o Brasil, terminando neste ano, com o Mundial-enterra-piada-contra-Corinthianos.
No contraponto, é só ver o Internacional. Jogadores contratados por outra gestão, sendo cobrados pela gestão atual... Um time lindo no papel, mas horroroso em campo!
No meio disso tudo houve uma olimpíada. O grande evento chato do esporte mundial. Sinceramente, eu gostei de ver como Londres fez o que pôde, para sediar os jogos. Como quase todos os locais que sediariam eventos eram provisórios. E como, mesmo assim, tudo saiu quase à perfeição. Sabe quando os serviços básicos têm estrutura? Embasamento? Pilares?
Aqui no Brasil, estamos nos MATANDO para criarmos estruturas PERMANENTES para os jogos e estruturas PROVISÓRIAS para os serviços básicos. Isso aliado à péssima educação e cultura que temos, se transformará no caos absoluto. Isso que eu estou falando das Olimpíadas. "Imagina na Copa".

E por falar em "Imagina na Copa" este foi o ano dos MEMES!!

Luíza no Canadá, Ecce Homo restaurado, Namorada Psicopata, Nana Gouveia, Call me Maybe, Nissim Ourfali, Gangnam Style...

Mas como esquecer o #OiOiOi ??? Chorava rindo dos estrangeiros, perguntando para nós, Brasileiros, o que era o tal "OiOiOi"!!!
Eu, que nem assisti à novela, cheguei até a participar da brincadeira!
Lembrou muito o "#CalaBocaGalvão", que gerou o "#GalvãoBirds", na última Copa do Mundo. Eu não entendo como ninguém se aproveitou disso, para sacanear os outros países.

Na economia, as bolhas dos países ricos estouraram em anos passados. E, agora, os países emergentes estão em seu momento. O mundo está dando mais importância para os produtos importantes (commodities) e isso se reflete na qualidade de vida do nosso país. Não é a toa que a renda familiar cresceu mais do que a economia, no Brasil. Ajudados por estímulos do Governo, nós estamos enfrentando uma onde de consumismo do exterior. Assim, mais empresas nacionais vendem "para fora", aumentando o dinheiro aqui dentro.
Pena que somos um país imediatista e não nos importamos com as ações, obras e infraestruturas a longo prazo. Poderíamos usar o PAC para aumentarmos nossa produção científica e tecnológica. Passarmos de meros colhedores de soja para fabricantes de tecnologia de ponta, em menos de 20 anos.
Mas não. Depois de comprar as classes D e E, o PT lançou a "bolsa-cultura", para ter motivo para dar R$50,00 para as classes B e C. Pronto, conquistando todas as classes do Brasil, o PT não sairá nunca mais do poder.

Ah se soubessem que eu tenho um projeto para poder controlar o gasto (e assim as necessidades) de energia elétrica, para todo o Brasil... Quem sabe o PT pudesse comprá-lo de mim, hehe!!

Mas tecnologia não é o nosso campo. Tecnologia é o campo de outros países. E, mesmo imersos até o pescoço na crise internacional, a Europa e os Estados Unidos não param de trazer mais e mais inovações para a humanidade.

Nestes campos, vimos os dispositivos móveis (celulares, tablets, etc...) sendo muito mais desenvolvidos. Mesmo só aumentando um pouco mais a tela de seu modelo, a Apple continua sendo fantástica. Mas a Samsung conseguiu ultrapassar a concorrente, mostrando celulares realmente brilhantes.

Entretanto, brilhantes mesmo foram as nossas descobertas no campo da física e no espaço.
O pouso da Curiosity, em Marte, foi algo fantástico!

Mas o que mais pudemos celebrar neste ano, foi a possível descoberta do Bóson de Higgs.
Amigo, isso mudará o mundo. Não hoje, não amanhã. Mas, quando conseguirmos manipular melhor as consequências desta ideia, passaremos a criar produtos maravilhosos. Quase tão maravilhosos quanto o microondas, GPS ou ressonância magnética foram criados a partir das ideias de Einstein.


Ou seja, no geral, foi um ano bom. Claro que a opinião pessoal ainda conta muito para determinarmos se certas coisas são boas ou não.

Por exemplo:
Nesse ano, eu sofri duas derrotas, democraticamente falando, no nosso país.
Embora ateu, eu tenho ótimos motivos para defender a criminalização do aborto. Lógica cartesiana, sabe? Qual a diferença de matar alguém com alguns dias de gestação ou anos de vida? E não me venha com "morulas não é uma pessoa", porque todos nós já fomos morulas. Hoje, os métodos contraceptivos nos permitem escolher quando teremos filhos.
A eficiência destes métodos contraceptivos é enaltecida por feministas, usada como argumentos a favor da equalização sexual no mercado de trabalho. Mas, para fins de aborto, as mesmas feministas dizem que nem todos são efetivos e que elas têm direito de decidir o que acontece com o corpo DELAS.
Eu concordo. todos temos direito de decidir o que acontece com o NOSSO corpo. Mas, quando grávidas, as mulheres têm um segundo corpo - que não é o delas - dentro do seu. E esse segundo corpo tem tanto direito de decidir o que acontece com ele, quando a mãe tem o direito de decidir o que acontece com o dela. Isso sem falar, é claro, no pai, cujo direito de opinião é sempre negado.
O último momento em que uma pessoa pode decidir não ter filhos é na hora que se prepara para o sexo. Se escolhe fazer sem proteção, está admitindo que quer ter filhos. Depois disso, é assassinato.

Mas, para o resto do Brasil, essa minha visão está errada, pelo menos na questão dos anencéfalos. Ok, continuo com a minha lógica, lutando pela consciência e pela vida. Deixo vocês aí, em seu mundo selvagem, onde mulheres têm direitos de vida e morte sobre os fetos.

Também fui voto vencido no que tange as cotas em faculdades.

Enquanto a própria justiça discriminar as pessoas - mesmo que seja para dar-lhes direitos -, o racismo continuará existindo. A semente para que acabemos com a bobagem do preconceito é incutirmos nas novas gerações que as pessoas não possuem diferenças, possuem características. E essas características não são balizadores para você julgar alguém à primeira vista.


Mas vocês decidiram que não é assim que funciona. Que algumas pessoas foram tão vítimas de preconceito, no passado, que temos que nos reparar com seus descendentes, hoje.
Pelo menos a regulamentação desta lei mostrou-se mais sensata. A maior parte das cotas será reservada para pessoas de baixa renda. Isso é uma característica mensurável e justa. Quem tem menos dinheiro deve mesmo ter prioridade para estudar Universidades Públicas, gratuitas.

Talvez, se juntarmos a falta de cultura (que me dá certeza que faremos um papelão nos eventos mundiais que se aproximam) com a bolsa cultura e estas cotas mais organizadas, tenhamos modos que eu não concordo de acabarmos com problemas reais.

Porque, eu tenho certeza, as faculdades demorarão ainda para fazerem efeito. Ainda mais sem uma educação básica de qualidade. E o dinheiro para a cultura não será gasto com cursos ou livros mas, sim, com cinema e shows.


E, por falar em cultura, música e filmes, este foi um ano glorioso para a arte, de modo geral.

Tirando o Ecce Homo mal restaurado...

Talvez pelo bom cenário econômico do Brasil, tivemos inúmeros grandes shows, por aqui. Cada um deles especial, ao seu modo, para o seu público.
Tivemos excelentes seriados, também. Particularmente, eu estou acompanhando Homeland. E segunda temporada foi fantástica!

Mas o que mais chamou a atenção foram os filmes! Os lançamentos do Cinema, neste último ano, foram fantásticos!

Ouso até a fazer um Top-10 dos filmes favoritos:

1 - O Hobbit.
4 - MIB III.
5 - Os Mercenários 2.
6 - TED.
8 - Era do Gelo 4.
9 - Madagascar 3: Os Procurados.
10 - Crepúsculo.

Este foi o último ano. Fazendo o balanço bem direitinho, quero arrumar o meu coração. Porque, sabe como é, né? Se ele não está legal, o resto todo parece meio cinza. Tomara que os planos se concretizem e tudo o que eu estou lutando para tornar real faça feliz àquela pessoa especial.

Eu desejo para todos nós um 2013 repleto de realizações. Que exista a motivação necessária para que cada pequeno projeto nosso seja posto em prática. E que nenhum projeto seja concluído; mas, sim, que todas as nossas metas sejam alcançadas e, depois, tornem-se apenas mais um degrau para uma nova meta, maior ainda!

Feliz 2013 para todos nós!

(O primeiro ano, desde 1987, em que nenhum dos quatro números do ano se repetem ^^.)