segunda-feira, 8 de outubro de 2012

A Festa da Democracia!

"...Festa estranha, com gente esquisita..."
"...Não me convidaram, para essa festa pobre..."

Ok, amigos! Para alguns, as eleições de 2012 acabaram. Para outros, só acabou o primeiro turno. E também tem gente que nem sabe se a eleição que aconteceu ontem realmente valeu.

Particularmente, é mais uma eleição que eu acredito na honestidade de todos os candidatos. Apesar de ouvir muito falar e até ver na TV, novamente ninguém tentou comprar o meu voto. E olha que estava baratinho! Tão baratinho que eu venderia para qualquer um. Para mais de um. Para todos que fossem otários o suficiente para me oferecer dinheiro por algo que eles não podem comprovar que receberam.

Eu me envolvi nas disputas de várias cidades. Algumas por sua importância, outras porque eu já morei nelas e tenho um carinho todo especial. Vamos às considerações, cidade por cidade:

1 - Novo Hamburgo.
Estou morando aqui, acho que é importante começar falando desta cidade.
Aqui em novo Hamburgo os candidatos eram Tarcísio Zimmerman - PT, Paulo Kopschina - PMDB e Dione Moraes - 20.
Tarcísio Zimmerman foi enquadrado na lei da Ficha Limpa por causa de uma inauguração em 2004. Uma inauguração que não foi ele quem promoveu. Em que ele foi convidado pelo então Governador Germano Rigotto. Depois dessa inauguração, Tarcísio já foi Deputado Federal e é o atual prefeito de Novo Hamburgo. Por causa de uma brecha ilógica, o prefeito não foi considerado apto para ser candidato ao próprio cargo que exerceu nos últimos quatro anos. Se o Tarcísio tivesse roubado, sido um péssimo prefeito e etc... ainda acharia justo. Mas isso passa longe dos resultados obtidos. No fim, um recurso ao TSE deverá ser julgado.
Por causa disso, as eleições de Novo Hamburgo resultaram em 51,79% para o "Sr Nulo", pois todos os votos para Tarcísio foram computados como nulos.
Agora, é esperar o "Tapetão" do TSE. Caso Tarcísio seja inocentado, assume a prefeitura para um segundo mandato. Caso seja considerado culpado, haverá nova eleição, visto que mais de 50% dos votos foram anulados.

Minha previsão: Tarcísio será considerado culpado. Novas eleições ocorrerão. Tarcísio se candidatará novamente. E ganhará. E Novo Hamburgo continuará recebendo MUITO dinheiro federal, pelo menos até 2014.
http://jus.com.br/revista/texto/21443/mais-de-50-de-votos-nulos-nao-anula-eleicao

2 – Balneário Gaivota:
Minha prainha preferida, no meio do nada!
Lá, Ronaldo – PP, Bonamigo – PMDB e Jorge – PT disputavam a prefeitura.
Bonamigo, o atual prefeito, está envolvido em escândalos de desvio e verbas. Sem falar em seu comportamento estranho, como apanhar de um boxeador local e de bater em uma mulher...
Balneário Gaivota tem um Gre-Nal na política: de um lado, os “pés brancos” do PP. De outro lado, os “pés vermelhos” do PMDB. Nessa história, os outros partidos tentam ganhar espaço como podem e o povo sempre sai perdendo. Porque? Porque o PMDB é um partido de apadrinhamentos, de aspones, política velha, fraudulenta e ineficiente, como todos conhecemos. Já o PP é inexpressivo no Brasil inteiro. Apesar das boas ideias, não têm, ainda, os recursos federais para colocá-las em prática.
Ontem Ronaldo – PP elegeu-se prefeito de Balneário Gaivota.

Minha previsão: Tal qual o Adroaldo – PP, prefeito anterior ao atual, Ronaldo terá extrema competência e boa-vontade. Inclusive, acho que conseguirá fazer malabarismos orçamentários, para pagar todas as contas efetuadas pela administração atual e realizar obras e eventos necessários. Entretanto, não será suficiente e a prainha continuará parecendo estagnada no tempo.

3 – Criciúma:
Eu cresci em Criciúma. Muito do que eu sou eu formei por lá.
Em Criciúma, a principal disputa estava entre Salvaro – 45 e Romana – 15.
Não sei exatamente ao certo porque o Salvaro foi impugnado, mas lá na terra do carvão as coisas estão parecidas com Novo Hamburgo. Salvaro fez mais de 75% dos votos, que foram anulados. Um recurso corre no TSE. Caso seja definida a sua inocência, Salvaro assume. Caso seja considerado culpado, como mais de 50% dos votos foram anulados pela justiça, nova eleição será efetuada.

Minha previsão: Apesar de achar a Romana uma excelente pessoa, ela é do PMDB. Apesar de gostar da ideologia do PSDB, o Salvaro não me inspira ser uma boa pessoa. Foi uma eleição onde o eleitor poderia escolher entre perder ou perder. Entre os dois “perder”, eu acho que a cidade só ganhou com novas eleições. Talvez algum novo candidato apareça, dando esperanças para essa cidade estratégica para o Brasil.

4 – Porto Alegre
Cidade onde eu nasci e voto.
A eleição estava entre Fortunati – PDT, Manoela – PC do B e Villa – PT. Muito Embora o Robaina – PSOL foi quem tenha “vencido” o debate, para mim.
Fortunati venceu com sobras, eliminando completamente a necessidade de segundo turno. Vale dizer que ele só não foi o meu candidato, porque o PDT (tal qual o PP) é um partido inexpressivo, nacionalmente. Fortunati é inteligente e sabe se cercar de boas pessoas. Ideias realmente eficientes foram postas em prática em Porto Alegre. Porém, muitas não são realizadas por mera falta de dinheiro. E essa falta de dinheiro é justamente o PT nacional favorecendo os seus prefeitos, em detrimento dos prefeitos de outras cidades. Sujo, mas infelizmente é a realidade do Brasil. Veja bem: do BRASIL. Se qualquer outro partido assumir a presidência, o mesmo “fenômeno” será observado. Independente da legenda, todos só favorecem os seus companheiros partidários.

Minha previsão: Porto Alegre terá mais quatro anos de ideias como a “campanha da mãozinha para atravessar na faixa”, que não demanda muito dinheiro, não tem muito impacto e, simplesmente, não é assimilada pela população. A Copa do Mundo está aí e Porto Alegre não terá metade dos investimentos nacionais necessários para ser uma sede digna. O pouco que virá será porque a Dilma nutre um carinho especial pelo RS. Mas Cidades como Canoas e Novo Hamburgo (com prefeitos do PT) receberão muito mais recursos federais, proporcionalmente.

5 – São Paulo
Principal cidade do país. Todos temos que prestar a atenção no que acontece lá.
Em São Paulo, José Serra – PSDB, Haddad – PT e Russomano – PRB eram os principais candidatos à prefeitura.
Sinceramente, eu estava em pânico. Russomano vinha liderando as pesquisas. E suas propostas me deixavam preocupado. Coisas como “combater a criminalidade com uma igreja a cada quarteirão” me fizeram quase ter um treco!
Por sorte, não foi só eu quem notou isso. Pelo menos junto às pessoas que sigo no Twitter, notei um movimento gigantesco de “diga não ao Russomano”.
O resultado? Segundo turno entre Serra e Haddad.

Minha Previsão: Não sei quem vai ganhar a prefeitura de São Paulo. Mas, qualquer que seja, será uma boa para a cidade. Como a cidade se custeia praticamente sozinha, Serra não teria nenhum problema em fazer um bom trabalho. Se ficar até o final do mandato, talvez melhore um pouco a sua imagem, para futuras disputas presidenciais. Já Haddad é do PT. E isso significaria recursos federais sendo despejados na cidade mais poderosa do Brasil (quiçá da América Latina). Agora São Paulo está em uma disputa entre vencer e vencer. E isso significa prosperidade para todo o Brasil.

Eu iria falar do Rio de Janeiro, também. Em como os Cariocas me decepcionaram, colocando o PMDB na prefeitura. Mas... Olhando os concorrentes... É... Vocês não tinham muito o que fazer, mesmo.

Que o interesse pessoal de cada um dos candidatos eleitos seja a necessidade seu povo. E que o povo saiba fiscalizar seus governantes, para que eles jamais esqueçam que são nossos empregados, não nossos reis.

No mais, agora é esperar 2014. Tentar tirar o PT do âmbito nacional. Renovar um pouco a política brasileira. Tomara que a Marina Silva ou o Cristóvão Buarque se candidatem! Talvez o Brasil esteja chegando a um nível de maior politização. E isso possa fazer com que elejamos pessoas com ideologia e inteligência para administração a médio e longo prazo.