quarta-feira, 11 de julho de 2012

Som do Silêncio

Eu gosto de silêncio, sabe?

Confesso, inclusive, que demorei algum tempo para compreender que as pessoas à minha volta fazem barulho e que isso é inerente à situação humana. Aliás, não só humana: a vida, de modo geral, faz algum tipo de barulho.
Enfim, todos os barulhos são irritantemente normais. Paciência.

Isso porque o processamento dos ruídos é uma das funções automáticas do nosso corpo que têm mais influência na nossa capacidade intelectual. Nosso cérebro fica avaliando cada som que ocorre, para avaliar centenas de respostas instintivas. Desde auxiliar o nosso equilíbrio, passando por reação aos nossos inimigos naturais até a coordenação motora. Isso, é claro, sem falar no sono. Parar dormirmos, é necessário que haja um ambiente de silêncio.

O máximo que podemos fazer é estipular algumas regras de boa convivência. Eu, por exemplo, sou entusiasta da lei de horário de silêncio para áreas residenciais.

Em todos os outros casos, que cada pessoa cuide da manutenção do seu próprio silêncio.

Aqui, vale praticamente de tudo. Quem valoriza o silêncio pode escolher lugares naturalmente quietos. Muitos orientam as construções de suas casas para evitar o barulho excessivo. Outros arrumam a disposição de acessórios e móveis da casa.


Tudo isso para garantir o máximo de silêncio.


Bem, em matéria de silêncio, exite uma empresa que construiu um quarto com 99,99% de absorção de sons. Um lugar mágico para alguém que gosta de silêncio? Não! Nosso cérebro não pode ser super exposto aos sons, mas alguma incidência de sons é naturalmente obrigatória.
Por exemplo: para que alguém fique trancado sozinho nessa sala, só se estiver sentado. Sem o eco e o som ambiente, o cérebro perde as pistas sonoras que auxiliam o equilíbrio, por exemplo.
Outro problema é que sem o som ambiente, o ouvido se adapta e passa a prestar atenção nos sons do corpo humano. Coração, trato digestivo glândulas e até mesmo a respiração passam a fazer muito barulho, dentro dessa sala.

A tecnologia envolvida? Paredes duplas de aço, trinta centímetros de concreto, três metros e trinta centímetros de espessura de vidro acústico e, á claro, o revestimento de madeira e espuma.

Eu não sei quanto a vocês. Mas eu adoraria ter isso tudo em meu quarto. Acho que conseguiria dormir incrivelmente bem, desse modo!




Fonte:
http://casavogue.globo.com/Arquitetura/noticia/2012/06/conheca-o-lugar-mais-silencioso-do-mundo.html