segunda-feira, 9 de julho de 2012

"Esporte" MMA

A condição humana não é boa, sabe? Eu até acredito que todas as pessoas nascem boas. Crianças, de modo geral, não recorrem à violência espontaneamente. Na maioria absoluta dos casos, as crianças aprendem - pelo mau uso do mimetismo social - a utilizarem a violência.

A sociedade humana ainda engatinha. São quase cinco mil anos de sucessão de civilizações humanas. Já criamos inúmeros métodos de controle da população. Exércitos, polícia, justiça, leis e até direitos humanos universais. Concordo que existe um intenso movimento para que as pessoas passem a ser menos violentas.

Mas o fato é que cada dispositivo encontrado para tentar acabar com a violência é só mais uma prova de que a violência existe e que o problema da violência é persistente e difícil de resolver.

Nesse panorama, os esportes são uma tentativa de criar uma válvula de exaustão para a violência contida em cada ser humano. Se formos avaliar friamente cada esporte que existe, em todos há algum tipo de violência em seu princípio. O próprio futebol é um jogo de conquista de território, que simula uma guerra. Conquista por imposição física. Violência mascarada. Em vez de nocautear os adversários para atingir os objetivos, move-se o alvo para a bola.

Cada esporte que conhecemos hoje tem origem recente. Menos dois grupos seletos: o do atletismo e das lutas.

O atletismo consiste em basicamente avaliar indiretamente quem é o melhor. Melhor corredor, mais forte, salto mais longo, etc...
As lutas, por sua vez, são um confronto direto. O objetivo básico de uma luta é medir quem é o mais forte ou hábil, através de enfrentamento direto. Quem fica acordado no final da luta, ganha.

Mas já foi pior: houve tempos em que as lutas possuíam armas. Por "esporte" as pessoas se enfrentavam até que um dos dois morresse.

Fico pensando, então, que estamos nos esforçando para acabarmos com a violência de modo em geral. Existe censura em filmes, em eventos e até em vídeo-games, para que se evite que as crianças e as pessoas em geral sejam incitadas pela violência. 
E uma das "modalidades" que mais está em evidência, hoje, é o MMA... Dois "atletas" especialistas em artes mistas (que raio de especialidade é essa?) se esmurrando até que um desmaie!

O único modo de pensar que isso possui o mínimo de civilizado é o fato de haver um juiz (para conter os excessos)  e uma equipe médica (para atender os ferimentos constantes).

Esse tipo de "esporte" e toda essa mídia sobre o "evento" é algo venenoso para a civilização humana, como um todo. Pessoas com mente fraca ficam visivelmente excitadas com a luta por dias! Antes de depois. Eu adoraria ver um apanhado estatístico de lutas em colégios (mesmo que de "brincadeira"), nas épocas das lutas, em relação aos mesmos dados fora das épocas das lutas.

Isso sem falar, é claro, em toda a disseminação da violência por redes sociais e afins.

Não acho legal isso. Não precisamos mais desse tipo de "esporte". Nem que seja para tirarmos o exemplo ruim. Tiraram meu Carmagedon, quando eu era adolescente, porque era violento. Mas a TV pode disseminar essa barbárie (claro, porque rende patrocínio e dinheiro, né?). Onde será que fica a lógica desses casos?

Por mim, qualquer luta deveria ser extinta. Judô, esgrima, sumô, Boxe, etc... Colocar duas pessoas para se esbofetearem em um ringue não é esporte. Não passa bons valores. Não é bom exemplo. E só diverte a animais irracionais.

Ficar exclamando que as lutas marciais são "esportes" que ajudam as pessoas a manterem o auto-controle só não é mais risível do que falar que armas não matam pessoas. Talvez o atleta fique tão cansado por causa dos treinos e lutas, que não queira mais sair brigando na rua. Mas, ao ser idolatrado pela multidão, o atleta passa justamente a mensagem oposta: "dar porrada" é legal e divertido. "Dar porrada" resolve as coisas.

Pior: conheço pessoas que defendem os animais, são contra rinhas por ser "desumano". Mas é ter uma luta de MMA anunciada que ficam loucos, eufóricos pelo "evento". Vai entender...