sexta-feira, 22 de junho de 2012

Homossexualismo


Depois do aborto, esse era outro tema que eu não queria falar. Porque, mais uma vez, as considerações são tão óbvias que não compreendo onde as pessoas acham polêmicas, nesses assuntos!

Primeiramente, temos que separar duas coisas, quando falamos de homossexualidade: uma coisa é o envolvimento com pessoas do mesmo sexo; outra coisa é o desejo de ser alguém do outro sexo. São coisas muito diferentes, embora se confundam frequentemente.

O ser humanos, assim como todos os demais animais superiores, possui dois instintos: não sentir dor e reproduzir. 
O mecanismo de não sentir dor é simples. A dor incomoda tanto, que fazemos de tudo para nos mantermos afastados dela. Fome causa dor? Comemos. Sede causa dor? Bebemos. Frio causa dor? Nos esquentamos. E assim vai.  
Já o mecanismo da reprodução é algo mais complicado de incentivar. A princípio, não há algo que nos force a reproduzir. Um ser humano pode passar uma vida inteira sem praticar sexo, sem que haja qualquer tipo de consequência negativa. Como forçar uma pessoa a reproduzir, então? Simples! Recompensando com prazer o ato desejado!

Enquanto o primeiro instinto nos pune com dor, o segundo instinto nos recompensa com prazer. E o prazer é tão intenso que todos os animais superiores buscam por ele. Claro, existem exceções, devidamente representadas por algum tipo de anomalia. Indivíduos saudáveis sentem prazer e buscam por isso. Salmões mudam sua fisiologia saindo da água salgada para subir rios de água doce, só para reproduzir. Uma grande parte morre no processo. Sapos coaxam em alto e irritante som. Aves migram milhares de quilômetros. Muitos répteis e mamíferos se arriscam procurando parceiros, pois seus próprios pares podem lhes matar!

Em resumo, o prazer é tão intenso e vale tanto a pena que os animais colocam o segundo instinto até mesmo sobre o primeiro instinto! Para muitos, prazer vale o risco de sentir dor!

O prazer é tanto que viciamos nele. Sim, os animais regem suas vidas de modo a obter o máximo de prazer sexual que puderem.

Nessa busca, muitos indivíduos de muitas espécies aprenderam que não é somente reproduzindo com outro indivíduo, do sexo oposto, que podem conseguir prazer.

Sim, estou começando esse texto lembrando que o homossexualismo é muito comum em várias outras espécies de animais superiores. Desde peixes, anfíbios e répteis, cujas fêmeas fingem cruzar para que as férteis ponham ovos que conseguem ser chocados sem terem sido fecundados por machos. Passando por uma grande quantidade de mamíferos cujo relacionamento de indivíduos de mesmo sexo é comum, como roedores, canídeos e vários primatas. Fora os que eu esqueci. Até chegar no Homem.

Por muito tempo na história da humanidade, o homossexualismo não foi estigmatizado. Em certos momentos da história e em certas comunidades, era até mesmo incentivado! O relacionamento de pessoas do mesmo sexo só passou a mau visto desde que as religiões com um único Deus começaram a aparecer. Judaísmo, Cristianismo e Islamismo que passaram a doutrinar as pessoas para que todos acreditassem que o sexo e o prazer entre os sexos já era uma coisa feia. Imaginem o prazer entre pessoas do mesmo sexo! Heresia!

Depois de dois mil anos de bobagens sendo implantadas nas cabeças das pessoas, eu considero um verdadeiro milagre divino que meros 60 anos de luta já tenham feito tanto efeito na opinião pública. Sei, mergulhei fundo na ironia na última frase, mas ela é séria. Todos os repressores de relacionamentos entre homossexuais têm, em sua base de pensamento, os pudores ditados pelas grandes religiões. Pudores idiotas. Porque, nesse primeiro estágio, estamos falando de carinho, amor, amizade, cumplicidade e respeito mútuo. Estamos falando de casais gays que vivem uma vida mais normal que a minha ou a sua. Sua única diferença é que se sentem bem com um parceiro do mesmo sexo.

E não há nenhum argumento que possa ser dito que comprove que isso é ruim. Tão pouco que seja errado.

O sexo da pessoa com quem tu se deita no final do dia não dita o caráter ou capacidade de uma pessoa.

Em um segundo momento, temos as pessoas que têm o desejo de serem do outro sexo. 
Pode ser um desejo físico. Comprovadamente existem casos de pessoas que nascem com toda a carga hormonal de um sexo, mas com as características físicas do outro. Creio que essa situação seja uma das mais terríveis para uma pessoa. Sentir e saber que é de um sexo, mas estar presa no corpo com o outro sexo. Complicado demais.
Pode ser um desejo estético. A pessoa já é homossexual e quer deixar isso evidente em sua aparência. Aliás, existem até casos de pessoas heterossexuais que sentem a vontade de ter a aparência do outro sexo. Famosos crossdressers.
Enfim, pode até ser um desejo transitório. Uma fase de incertezas na vida de uma pessoa.

Lembro de um caso europeu fantástico, em que um travesti havia casado com uma lésbica. Basicamente, um homem se vestia e agia como mulher, estava casado com uma mulher que se vestia e agia como homem. A mulher, que se portava como homem, inclusive esperava um filho do homem, que se portava como mulher.
Acho que esse caso ilustra bem o nível dos desejos físicos e estéticos em encontrar a aparência em que a pessoa se sente melhor, né?
Tipo, nada impedia o homem de ser homem e a mulher de ser mulher. Ambos teriam o mesmo relacionamento. Mas viviam uma inversão de aparências, sem serem homossexuais! 

O ponto, aqui, é que todas essas pessoas estão somente tentando buscar o seu prazer. E o modo como fazem isso não é errado.

Aliás, só há um modo de buscar o prazer que é feito de modo errado: quando você agride os demais com o seu comportamento. Mas, convenhamos, comportamentos inadequadamente agressivos e desrespeitosos não são - em absoluto! - exclusividade de homossexuais. Existem casais heterossexuais E homossexuais que se passam. Não sabem dosar suas demostrações públicas de afeto e passam a atentar contra o pudor.

Agarramentos lascivos chamam a atenção e incomodam de igual modo, tanto faz se é um homem e uma mulher, dois homens ou duas mulheres...

As pessoas que argumentam contra dizem que os homossexuais vão destruir a base da família e a sociedade.
Então tu está me dizendo que uma pessoa é obrigada a amar alguém do sexo oposto, para formar uma família que não terá felicidade, em vez de criar um lar harmonioso com a pessoa do mesmo sexo que ama? Quem está destruindo a base da família, aqui?
E a sociedade, amigo, já está abarrotada de gente. Salvar o mundo passa, sim, por diminuirmos a quantidade de pessoas do mundo E cuidar melhor das pessoas que já estão no mundo. Só posso pensar que casamentos homossexuais têm um efeito colateral que só auxilia o progresso da sociedade! Como não podem ter filhos legítimos do casal, a tendência é que adotem! "Dois coelhos com uma caixa d'agua só!"

Mas aí vem o argumento que casais homossexuais vão gerar filhos homossexuais.
Por essa lógica, casais heterossexuais só geram filhos heterossexuais, né? OH WAIT!
Eu acredito, sim, no mimetismo social. Nós temos a tendência de copiar o que as pessoas à nossa volta fazem, sim. É o "vírus da cultura". Só que o mimetismo não se restringe às pessoas que moram na nossa casa. Muito cedo já temos contato com vizinhos, parentes, colegas de colégio, turma do bairro, de um clube, etc, etc...
Eu fui criado em uma família extremamente religiosa. Comecei a duvidar de Deus na adolescência. Hoje, sou ateu.
Duvido que um casal homossexual irá doutrinar uma criança para se tornar homossexual, também. E, mesmo que o casal utilize a estratégia terrorista das igrejas, quando a criança começar a discernir ela é, vai acabar escolhendo o que é melhor para a sua vida.

Por fim, vão dizer que a criança vai se sentir mal por ter pais "diferentes".
É, amigo. Enquanto você tiver esse pensamento medíocre, pode ser que a sociedade ainda vá estigmatizar uma criança pelo sexo dos seus pais. Experimente parar de dar tanta importância para isso, que as crianças também não se importarão.

É isso. Que cada um procure satisfazer o seu segundo instinto da melhor forma que puder, sempre com todo o respeito pelos os demais.