quarta-feira, 27 de junho de 2012

Porque Obedecer as Leis de Trânsito?


Talvez você não tenha notado ainda, mas qualquer veículo é um projétil. 

O princípio de uma arma de fogo é impor grande energia cinética (de movimento) a um corpo maciço (o chumbo da bala) para que a velocidade alcançada aumente a massa do projétil. O chumbo de uma bala fura o alvo não porque é afiado ou porque queima. Mas, sim, porque o metal está tão rápido, e, por isso, ganha tanta massa, que, ao acertar o alvo, destrói as camadas externas. Até que a massa do alvo consiga ser mais densa e, assim, parar o projétil. Quando o alvo não consegue ser mais denso, o projétil simplesmente vara o alvo.

Qual é a diferença, portanto, entre uma bala e um carro?
Ambos são acelerados. Um por combustão interna do combustível, outro pela explosão da pólvora.
Ambos ganham massa, à medida que a velocidade aumenta.
Ambos causam grande dano, quando encontram um alvo.

Você duvida de mim? Bem, as vítimas do onze de setembro provam meu ponto de vista. Os terroristas, que arremessaram aviões na direção das duas torres do World Trade Center, viram nos aviões mísseis guiados perfeitos! E não eram só mísseis balísticos, puros. Não se tratava somente de energia cinética aplicada a um projétil maciço. Além disso, as asas dos aviões guardam quantidades absurdas de combustível altamente inflamável.

E esse foi um exemplo extraordinário. Aconteceu uma vez.

Mas exemplos diminutos acontecem todos os dias. São centenas de acidentes, com dezenas de vítimas, todos os dias. Carros, caminhões, barcos, etc... Objetos acelerados até se tornarem letais.

Sim, tal qual uma bala, um morteiro ou um míssil, qualquer meio de transporte que se auto-locomova é um projétil pronto para causar dano.

Sendo extremamente sincero, só utilizamos essas armas de extermínio como meios de locomoção, porque não temos consciência e vontade de fazer algo melhor.
Eu, por exemplo, sonho com cidades repensadas para usarem transporte inteligente. Pode ser transporte individual, mas inteligente. Com diferença de nível para pessoas e veículos.

Mas isso é mais um dos meus sonhos. Embora sensato e possível, esse tipo de pensamento é deixado de lado pelos interesses econômicos. Pena.

Nos resta entender que temos uma única forma de controlar essas armas que utilizamos para transporte: seguir as leis de trânsito. Cada regra foi feita para evitar que os outros tornem-se alvos para você.