sábado, 2 de junho de 2012

Igualismo


Eu já citei diversas vezes, aqui, que sou um "Pessoísta".

Sim, eu abomino gente que cataloga e setoriza a população. Que se vale de alguma característica em especial, para se achar no direito de ser mais do que os demais. Seja essa característica física, mental, social, histórica, cultural, comportamental, de crença ou opinião. Qualquer tipo de sectarismo é absurdo.

Por esse motivo eu brigo com machistas e suas ideias ignorantes.
Assim como ponho abaixo feministas, e suas falácias tendenciosas.
Revolto-me contra racistas, nazistas, xenofóbicos e militantes de qualquer tipo de ideia esdrúxula, como "proteção dos animais antes do ser humano", ou "protetores da natureza", ou "vegetarianos", ou "carnívoros" ou qualquer outro tipo de pessoa que acha que sua causa o torna mais especial e com mais direitos do que qualquer outra pessoa, no mundo.

Mas, depois de pesquisar mais sobre o assunto, ler sobre outras manifestações similares e perguntar a opinião de mais pessoas, abandonei o termo "pessoísmo". 
Isso porque o termo "pessoísmo" é abstrato demais. Não conclui e deixa claro o cerne de tudo o que está englobado nesta palavra.

Desde então, passei a achar o termo "Igualismo" mais interessante, completo e exato.
Ao ler "Igualismo" nós já sabemos do que se trata: um movimento para que todos possamos militar pelo direito de todas as pessoas serem iguais!

Porque, se começarmos a calcular as relações humanas desde o princípio dos tempos, veremos que, sim, no final das contas, todos temos o mesmo direito de sermos tratados de modo igual, por todas as pessoas do mundo! Independente de sexo, etnia, local de nascimento, credos, comportamento, status, ofício que desenvolve, etc...

Católicos protegendo muçulmanos que estão orando,
no Egito.
O igualismo é tão importante, que ele não pode nascer sem que existam regras claras. Diretrizes que determinem logo cedo do se trata e, principalmente, do que NÃO se trata esse movimento.

Eu não sou dono da verdade. Mas arrisco determinar algumas diretrizes. Para deixar bem claro o que eu vou tentar fazer aqui, evitando assim comentários desnecessários, eu quero colocar as minhas ideias sobre o tema. Para que você tenha um ponto de partida para poder formar a sua opinião. Para que você concorde com o que achar razoável. Para debater o que não compreender. Para combater o que não achar correto.






Estamos entendidos?

Que bom!

Vamos às diretrizes:

1 - Todo igualista sabe e aceita que as pessoas são diferentes.
Sim. Se essa não for a primeira diretriz do igualista, o movimento já nasce hipócrita. Querer que todas as pessoas sejam tratadas de forma igual passa, inicialmente, por saber que cada pessoa do mundo possui sua própria carga de características, que a faz única. Alguns são mais fortes que outros. Alguns são mais inteligentes que outros. Alguns são mais bonitos do que os outros. Alguns têm muito mais do que merecem, outros têm exatamente o que lhes é devido e outros têm muito menos do que precisariam. A partir disso nós temos que lembrar que, mesmo com todas as diferenças que cada pessoa carrega consigo e que a faz diferente de todas as outras pessoas do mundo, cada indivíduo tem o direito inalienável de ser tratado de forma igual, por todos!
Não é porque você é homem, mulher, católico, budista, índio, negro, homossexual, heterossexual, grande, pequeno, burro, rico, jovem, velho, etc... que você não possa ter o direito ao mesmo tratamento que as outras pessoas recebem, em todas as ocasiões.

O igualista sabe diferir as pessoas. Mas não difere o tratamento que dispensa à elas. As reações de um igualista acontecem de acordo com as capacidades de cada indivíduo que se aproxima dele. O que determina se um igualista gosta ou não de outra pessoa é o comportamento do outro. Jamais suas características.

2 - Todo igualista é educado.
Educação independe de qualquer tipo de característica. Você não precisa ser rico, bonito, inteligente ou popular para ser educado. Para dar "Bom dia" para as pessoas. Para se identificar no início de cada ligação. Para dar a vez em uma fila ou lugar no ônibus para um idoso, grávida ou portador de deficiência. Para ser cordial no trânsito. Para seguir todas as leis e regras da sociedade. 
A educação entre as pessoas é um protocolo pré-requisitado para que possamos conviver em harmonia. Não há total respeito pelas características alheias se, antes, não houver a manifestação da educação mais básica.

3 - Todo igualista é preconceituoso contra os preconceitos.
Sim. Os igualistas são seres humanos e, por isso, não são melhores que ninguém. Erram também. Possuem preconceitos, como todos. O diferencial, aqui, é que o preconceito do igualista é exatamente contra o preconceito das outras pessoas. Para o igualista, qualquer preconceito é uma ideia ruim, e deve ser combatido.
O igualista usa os chavões dos outros preconceitos como piada, para se divertir da falta de visão destas outras ideias. O igualista vê em todas as outras pessoas que possuem algum tipo de preconceito, oportunidades perfeitas para converter novos igualistas.

4 - O igualista rejeita qualquer direito especial.
Já começo esse parágrafo deixando claro que os direitos básicos, indispensáveis, sensatos e sadios não estão relacionados nesta diretriz. O igualista continua usufruindo de todos os direitos que mantém a nossa sociedade funcionando. E, como pessoa educada, o igualista as segue e observa o cumprimento das leis, pelos demais.
Porém, o igualista não aceita o tratamento diferenciado sem o devido merecimento, pelo mesmo.
Um igualista jamais vai deixar de cumprir os seus deveres por causa de alguma característica sua.

5 - O igualismo não é um movimento político.
O igualismo, por seu nome, pode parecer ser uma cópia do comunismo ou do socialismo. Não, não é. O seu apelo pela meritocracia individual pode parecer que se baseia em liberalismo econômico. Não se apóia.
O igualismo não entra na esfera política/econômica senão para exigir que cada lei tenha que valer igualmente, para todas as pessoas.
O igualismo respeita cada visão e opinião individual. O que o igualismo não aceita é a subdivisão das pessoas por suas individualidades. Há espaço para todas as ideias, para todas as pessoas. Só não há espaço para a ignorância em pensar que um grupo é melhor ou pior do que os demais.


Esses são os cinco pontos que me ocorreram. Creio que possa haver mais diretrizes que definam o que faz de uma pessoa, um adepto do igualismo.

E você? O que acha?