terça-feira, 21 de agosto de 2012

Início da Propaganda Eleitoral


O texto de hoje não é só uma opinião. Além da minha opinião, vou tomar a liberdade de fazer alguns pedidos para cada um de vocês, cerca de 1.200 visitantes diários do Ponto Final.

Hoje, começam as propagandas políticas obrigatórias em rádio e televisão.
A primeira coisa que eu vou pedir para vocês é que assistam às propagandas. Sério, não gargalhem. Se existe uma maneira de você conhecer os seus conterrâneos que estão querendo governar a sua cidade, é acompanhando as suas propagandas. E isso é importante, justamente porque você não tem tempo de conversar com cada um dos candidatos. E não é qualquer candidato que tem a coragem e a capacidade de ir de casa em casa, dispor de alguns minutos para apresentar a se e as suas propostas para cada cidadão.

Poucos fazem isso. E cada um dos que faz já é diferenciado e merecedor de pelo menos o seu voto de confiança.

Vou pedir que mais do que procurar conhecer a cada candidato da sua cidade, você escute de verdade as propostas de cada um. Disponha-se a encontrar e-mails, telefones ou o próprio candidato, para conversar sobre o que você tem dúvidas. Se não pode fazer isso com cada um deles, eleja pelo menos os cinco melhores, em sua opinião. Tente falar com os candidatos diretamente. Pergunte sobre as questões do seu município que você acha importante. Pressione, se necessário.

Estamos a menos de dois míseros meses das eleições. Eu sei, eu também estou cansado pra caramba trabalhando para ganhar a vida (mais de dois anos tocando direto não é fácil...), estudos e atividades paralelas. Só os verdadeiros campeões condecorados por Odin conseguem administrar tudo isso sem pirar.

Só que, agora, é conosco. É o nosso chamado às armas. É o momento de defendermos a pátria, acima de tudo. Acima do egoísmo pessoal. Tanto acima do “eu estou cansado demais, que os outros decidam isso” quanto do “eu conheço um candidato que vai me dar uma boquinha, se eu ajudá-lo a se eleger”.

Amigo, são quatro anos à frente. Vamos ver se eu consigo te fazer notar a importância disso... Digamos que a sua expectativa de vida seja de oitenta anos. Maior do que a média nacional. Maior do que a média mundial. Você, que está achando que morre aos oitenta, verá apenas vinte prefeitos tomando conta da sua cidade.

APENAS VINTE.

Isso, é claro, contando com os que governaram enquanto você era um imberbe, e se você não morrer antes  dos oitenta – o que é mais comum.

Notou o drama que é escolher bem um bom prefeito? Um bom vereador? Simplesmente não há dinheiro ou tempo para fazermos todas as coisas que queremos para a cidade. E, não bastasse isso, ainda existem pessoas que querem o oposto ao seu desejo. Estás entendendo o quanto é importante escolher corretamente? Se acaso você escolher corretamente, seus filhos podem ter escola melhores. O trânsito pode melhorar. O recolhimento de lixo pode ser mais eficiente. A sua cidade pode ficar mais bonita com o urbanismo correto. A água pode chegar limpa para todos. A energia elétrica pode deixar de faltar... Enfim! O vereador e o prefeito que você eleger são as pessoas que lutarão pela obra na frente da sua casa, no caminho do seu trabalho, na área de lazer que você usa, etc...

Melhorias não só para a sua vida, mas para todos os que estão à sua volta.

Porque eu vou te lembrar que, se você estiver muito bem e todos à sua volta estiverem mal, você tem um problema. Cedo ou tarde, essas pessoas que estão muito mal vão acabar te assaltando, seqüestrando ou até mesmo, te matando. Ou pior: a alguém que você ama.

Ou seja, amigo, todos são um problema seu.

Por isso, escolha bons políticos, de bons partidos.

Grande Yashá, comentando a respeito de um documentário
do History Channel, com uma excelente analogia!
Como último pedido, vou pedir que você não vote em candidatos do PMDB. Motivo? Eu respeito qualquer um que tenha opinião. Esquerdistas e direitistas estão certos em muitos pontos, e equivocados em vários outros. Mas eles têm opiniões. E não têm medo de conversar, argumentar e até brigar pelo que acreditam.  O pender dessa gangorra de discussões é útil e saudável para qualquer democracia.
Agora, ficar no meio da gangorra, pendendo para o lado que está ganhando, só para manterem-se no poder?
Só para continuarem em seus cargos semi-vitalícios?
Só para manterem os cargos para seus comparsas?

Partidos como o PMDB fazem isso. Dizem defender “os interesses do povo”, mas, na verdade, são cânceres políticos, que se instalam nos poderes e corrompem tudo o que é bom e louvável. Piora quando você nota que esses políticos profissionais possuem uma legião de cabos eleitorais. Pessoas que militam pelos políticos profissionais, por saberem que ganharão cargos de confiança. Esses cabos eleitorais formam verdadeiras multidões de parentes, amigos e conhecidos, de quem compram os votos. Essa estrutura podre se repete eleição após eleição, mantendo uma larga quantidade de políticos "de centro" no poder.

Não que esquerdistas e direitistas não comprem votos ou não estabeleçam currais eleitorais, também. Só que, pelo menos, há alguma filosofia ali que não seja somente "garantir o poder para ganhar dinheiro", como os políticos de centro.


FHC não teria conseguido administrar sem a ajuda do PMDB. 
Tão logo o Lula tornou-se presidente, o PMDB abandonou a direita nacional e uniu-se ao Partido dos Trabalhadores e à esquerda.

E esse poder todo começa com você votando em algum vereador ou prefeito do PMDB ou de partidos de centro, similares. Por favor, dê voz à razão. Vote em quem tem convicções próximas ou iguais à sua.