terça-feira, 14 de agosto de 2012

A Bola da Copa


Tem tanta, mas tanta coisa para ser discutida no Brasil, hoje. Mas o assunto do momento, mesmo, é o nome da bola da copa do mundo.

Jo'bulani
Em dias “normais”, esse tema renderia um ou dois Twitts (no @alssst – segue lá!) e morreria por aí.

Mas você viu os nomes entre os quais podemos escolher. Sim, você já viu.

Em outras copas, o nome da bola sempre foi algo comercial ou com forte apelo cultural. Ou um nome que resumisse as qualidades tecnológicas da bola, ou algo que remetesse ao espírito da copa. Feevernova, Jabulani, Azteca, Tricolore ou Teamgeist ... Nomes com algum sentido. Com significado especial...

Então chegamos à bola da Copa do Brasil, com as seguintes opções:

TeamGeist
Bossa Nova: Opção para agradar a intelectuais. Movimento musical e cultural brasileiro. O nome foi escolhido porque “Garota de Ipanema” é um ícone internacional desse movimento. A associação seria imediata. Mais fácil de vender o Brasil.
Eu já acho que é um nome terrível. Se fosse para homenagear a música, que colocassem “Ipanema”, logo. Mas, pensando bem, se é para utilizar movimentos musicais, porque não “Tropicália”, “Maracatu”, “Sertaneja” ou “Gaudéria”? Acho que a Bossa Nova não é um movimento tão amplo no Brasil, para que seja utilizada como representante máxima. Embora goste muito do estilo (principalmente de Vinícius e Toquinho) essa opção é risível.

Feevernova
Brazuca: Vamos começar dizendo que “Brazuca” nem é uma palavra. Não passa de uma das gírias mais vagabundas que já foram inventadas, provavelmente para a televisão. Sem falar que ela nem é tão falada assim, para justificar sua escolha como finalista. Para arrematar a “idioletice”, ainda por cima está grafada com um erro gramatical gritante: entre vogais, o “s” tem o som de “z”. Deveria estar escrito “Brasuca”, ali. Mas eu entendo o porquê desta opção: lá fora é “Brazil”. Tudo a ver escrever “Brazuca”.
Já que a ideia era criar um nome a partir de uma gíria, porque não uma que se referisse à bola, então? “Gorduchinha”, “Danada” ou até “Poposuda” trariam mais da cultura de gírias brasileiras do que “Brazuca”...

Tricolore
Carnavalesca: Nem preciso dizer que esse nome é o pior dos três, não é? A ideia era conectar o nome da bola à festa? Porque, novamente, precisamos utilizar o pior do estereótipo brasileiro no exterior, para nomear um dos símbolos da Copa? Depois o Brasil é visto como o país do carnaval, mulatas e samba, e ninguém sabe o porquê, não é?
Não sei quanto a vocês, mas “Parintins” é um nome bem melhor, já que a ideia é homenagear um movimento cultural...

No fim, eu fico imaginando os demais nomes que poderíamos ter dado à bola, mas não estão relacionados nesta final. “Gorduchinha” me agradou demais. Seria uma gigante homenagem. “Tropicalha”, “Parintins” ou até mesmo “Poposuda” surpreenderiam. Fariam as pessoas procurarem pelo significado do nome da bola. O próprio nome já seria uma curiosidade, algo a ser buscado para criar novos estereótipos e mostrar a diversidade cultural brasileira, no exterior.

Questra
Particularmente, acho que um nome Tupi-Guarani seria demais. “Exaaty”, por exemplo, é a palavra Tupi-Guarani para “Busca por União”. Eu, sinceramente, não consigo imaginar um nome melhor do que este para uma bola de futebol, que será utilizada para unir os povos em uma festa que durará cerca de um mês.

Agora, como temos apenas essas três opções, em minha humilde opinião, a menos pior é “Brazuca”. “Bossa Nova” não é nome pra bola. “Intelectualóide” demais esse nome. Já “Carnavalesca” simplesmente não combina. Não consigo imaginar um narrador sério (tá bom, forcei, não tem nenhum sério) chamado a bola de “Carnavalesca”.
A minha escolha por “Brazuca” foi mais na base da eliminação, mesmo.

Mas isso tudo passa por planejamento. A Copa do Mundo e as Olimpíadas são, muito mais do que esporte ou incremento na infra-estrutura ou economia, dois eventos que dão visibilidade do país e cidade que estão organizando.
Azteca
Os holofotes estarão sobre nós. Um momento único, onde o mundo inteiro está nos dando, de mão beijada, duas oportunidades. Sabe a oportunidade que todos sempre pedem? Aquela que é rara? Então, duas delas estão caindo no nosso colo. E o que estamos fazendo com essas valiosas oportunidades?
1 – Obras faraônicas de infra-estrutura, que não acabarão no prazo.
2 – Nenhum preparo técnico para receber aos nossos convidados (ou você acha que só o Inglês, que você não sabe, bastará?).
3 – Nenhum preparo dos nossos atletas e equipes para a Copa ou jogos Olímpicos.
4 – Nenhuma promoção ou eventos de turismo, culturais ou naturais, mesmo.

Na nossa chance de brilhar, a pátria Brazuca vai mostrar todo seu potencial de Carnavalesca dançando a Bossa Nova, mesmo...


Mas a chance, mesmo é de escolher o novo nome da bola. Tá aí o link:

http://globoesporte.globo.com/nome-da-bola-2014/votacao/